quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Alma gêmea


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Dizem que todo mundo tem uma alma gêmea,
Mas se isso for verdade, parece que a minha
Foge de mim feito uma assombração, em dias de agonia.
Não quero pensar nas minhas infinitas
Perdas, nas intempéries do meu coração.
Preciso dominar e acalmar meus pensamentos
Eles voam longe, que nem passarinhos desgovernados,
Em busca de seus ninhos. Sentimentos indefinidos,
Esses que me rodeiam nessa noite...
De céu estrelado e de muitas indefinições...


Imagem de Santa Maria Madalena está concluída e será inaugurada em dezembro


Ascom - PMUP
(Texto e fotos)


A Secretaria de Cultura de União dos Palmares por meio de uma equipe composta pelo historiador Wagner Marcelo, escultor Sueldo Ferreira e o ajudante Fábio José, coordenada pelo secretário Élson Davi, concluiu os trabalhos de confecção da imagem gigantesca da padroeira católica do município, Santa Maria Madalena. A imagem com dez metros de altura deverá ser inaugurada no próximo mês de dezembro.


Natural do Rio Grande do Norte, Sueldo Ferreira, desde os 16 anos trabalha com a criação de esculturas de santos e figuras históricas. Sua profissão exige muita concentração e uma dedicação minuciosa para que a obra esteja fiel ao original. “Esta é a primeira estátua que faço com uma dimensão de dez metros”, afirma o escultor. O corpo da imagem foi dividido em quatro partes, além das mãos, a cruz e a figura de Cristo.


As partes são o busto, o rosto, a cintura e os pés. A imagem terá dez metros de altura (corpo) e será colocada em uma base alta na Serra da Laje. A pretensão do prefeito Areski Freitas e do secretário Élson Davi é inaugurar a estátua da padroeira de União dos Palmares em dezembro. “Por se tratar de um marco sagrado e histórico a administração municipal dará início a este santuário motivando assim a existência do turismo religioso”, afirma o secretário.

Ele ressalta que a festa de Santa Maria Madalena – que acontece entre os meses de janeiro e fevereiro - é o maior evento cultural da cidade e que a construção de um santuário e da imagem da padroeira, irá gerar um aumento no número de visitantes e fieis durante o ano todo. “O próximo passo será a construção da base da estátua e em seguida a montagem das partes dela para que se faça o acabamento e sua inauguração”, concluiu o secretário.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Falo por mim


Olívia de Cássia - jornalista

Falo por mim, não pelos outros. Quando conto alguma coisa a respeito meus sentimentos, é deles mesmo que estou me reportando, ainda que em certas ocasiões eu dê destaque, enfeite e supervalorize as minhas emoções.

Tenho a estranha mania de me apegar e de gostar facilmente das pessoas: amigos ou bem-querer. Eu não falo dos quereres alheios porque não sei dimensionar em que patamar podem estar, nem a mim interessam, a não ser que me peçam e permitam entrar nessa seara.

Eu sei que às vezes eu intensifico demais e dou um destaque àquilo que estou sentindo, às minhas manias e questões de foro íntimo, mas é uma forma de desabafo natural essa que eu tenho, não estranhem os amigos.

Vivo em busca da felicidade e isso é uma questão de estilo talvez. Sei que a felicidade é um estado de espírito e que não adianta a gente procurar em coisas complexas. Ele está na simplicidade da vida.

Avalio  que para os padrões de hoje em dia, eu ainda possa ser considerada uma pessoa romântica, louca, uma mulher sonhadora e delirante, às vezes, apesar da minha fase de cinquentona.

Eu não me sinto com essa idade cronológica espiritualmente e me permito gostar quase que das mesmas coisas que eu gostava antes, na juventude: de festas, de amigos, de música, de vida.  Não deixei de ser eu mesma por isso.

A idade chega, o corpo envelhece, mas a alma da gente vai se renovando e se aperfeiçoando. Pelo menos comigo acontece isso. Não quero permitir o meu envelhecimento interior. Tenho dito que não vou permitir isso e quero fazer dessa proposta uma bandeira de luta, como a gente dizia na militância estudantil.

Como eu escrevi ontem, quero me contagiar de alegria permanente, sem pensar na vida, sem pensar na sorte.  Quero encontrar a magia nas pequenas coisas da vida, que são as que nos trazem os melhores momentos.

Quero driblar as intempéries da vida, de forma que elas não me atrapalhem a alegria de viver dos meus dias de ocaso. Quero encontrar a felicidade ainda buscando a realização desses sonhos tão perseguidos por mim, mesmo que eles pareçam impossíveis e loucos.

E repito aqui que se não posso ter a felicidade plena, que eu possa encontrá-la na simplicidade, das coisas verdadeiras e nas amizades, no estar bem comigo e com a vida. São esses pensamentos que me perseguem nessa noite de terça-feira, um pouco abatida, mas com vontade de viver muito ainda.

Mês da Consciência Negra


Olívia de Cássia – jornalista

Novembro bate à nossa porta, é um mês de comemorações para o povo negro e de reflexão também. É o mês de a gente reverenciar e saudar o nosso herói Zumbi e todos os quilombolas que se aventuraram no sonho de querer uma sociedade melhor, mais igualitária e mais justa.

Podemos dizer que tivemos muitos ganhos, ao longo dos séculos que se sucederam à epopeia de Zumbi, mas ainda é preciso muitas lutas para que a gente acabe com o preconceito velado que ainda existe na sociedade brasileira.

Infelizmente ainda é possível no Brasil e no Estado se julgar as pessoas pela cor da pele, como se isso fosse o passaporte para se medir o caráter  de alguém. Sempre lutei contra o preconceito racial e por uma sociedade mais justa.

Fui lutadora assídua dessa causa, dede muito cedo; também sofri preconceito por ter tido um companheiro de cor por quase 20 anos. Sempre tive a convicção de que não se mede competência e nem caráter de homens e mulheres pela cor ou sexo.

Acompanho o movimento desde a década de 1980, sempre fui apaixonada pela história de Zumbi, mesmo que as lendas que meu avô me contasse fossem preconceituosas, porque seu Manoel Paes de Siqueira era um descendente de português racista, mas se rendia às minhas falas e brincadeiras.

Eu sempre acreditei, desde a mais tenra idade, que não só a comunidade negra, mas todos nós merecemos um mundo melhor e mais justo, sem discriminações pela cor da pele, religião ou opção de vida.

O povo negro sofreu a opressão da escravidão branca e não se aquietou enquanto não conseguiu a libertação, diferente de outros povos que a gente pode conhecer na história. Todos já conhecem a história de Zumbi dos Palmares, que teve início em 1655 com seu nascimento em Alagoas, em um dos mocambos do Quilombo dos Palmares.

Segundo as pesquisas dos historiadores, com apenas sete anos  Zumbi é capturado por soldados e entregue ao padre  António Melo, que o alfabetizou e foi responsável por sua formação.

Batizado na igreja Católica como Francisco, Zumbi ajudava nas missas além de estudar Português e Latim. Conta a lenda que aos quinze anos ele foge para o Quilombo dos  Palmares onde obtém reconhecimento pelas suas habilidades marciais e com apenas vinte anos já é um respeitável estrategista militar e guerreiro, atuando na luta contra os soldados do Sargento-mor Manuel Lopes.

Há muitas lendas a respeito do nosso herói negro, mas eu prefiro acreditar naquela de Décio de Freitas, Abdias Nascimento, Joel Rufino e de tantos historiadores respeitados no País.

Zumbi vive em cada coração que sonha com a utopia, que luta por causas justas, a luta  contra a opressão e o cativeiro. A história do nosso herói faz a gente refletir sobre o que queremos para a nossa juventude de hoje e o que pretendemos para a sociedade e para as nossas vidas. Salve Zumbi. Zumbi vive!

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Ação da SMTT e do 2º Batalhão da PM de União resulta na recuperação de dois veículos roubados


Por Assessoria - PMUP
(Texto e foto)

Em um trabalho conjunto da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) e homens do 2º Batalhão da Polícia Militar (BPM) mais um veículo roubado foi recuperado em União dos Palmares. Esta é a segunda vez em menos de um mês que o trabalho integrado entre a SMTT e o BPM rende a recuperação de veículos roubados no município.

Segundo o superintendente da SMTT, Késio Augusto, as operações feitas por meio desta parceria têm sido importantes para inibir os criminosos e também aos que infringem as leis de trânsito na cidade, os motociclistas e condutores de veículos irregulares.

O carro encontrado foi um Gol do modelo ‘quadrado’ de placas KFN3038 , Joaquim Gomes/AL, que foi achado na Avenida João Lyra Filho, na noite de quarta-feira, dia 25. No momento da abordagem dos fiscais da SMTT e de policias do 2º BPM, o condutor e um ocupante do veículo fugiram, tomando rumo ignorado.

O veículo foi conduzido até a sede da SMTT e o caso foi comunicado ao delegado regional da Polícia Civil. Ainda na mesma noite um Fiat Uno, placas MUW 2804, de Marechal Deodoro, pertencente a Nivaldo Benedito Macena, residente na Rua dos Cajueiros, no bairro Taperaguá, em Marechal, também foi encontrado e devolvido ao proprietário.

Sebrae e prefeitura de União oferecem cursos para trabalhadores do comércio


Recursos foram destinados a trabalhadores e lojistas do comércio palmarino


Assessorias - PMUP
(Texto e fotos)

O Sebrae de Alagoas levou para União dos Palmares, na semana passada, as clínicas tecnológicas para atender ao público do comercio, entre lojistas e comerciários. As clínicas foram realizadas no educandário Olímpia Augusta dos Santos, onde os consultores  Sacha Passos trabalhou o tema: ‘5S; Samyr Abeleda trabalhou o tema: A Importância da Marca; e a consultora Rarys Costa o tema: Vitrinismo.

As clínicas têm como prioridade atender a um pré-definido pelos temas tratados. "As palestras foram muito úteis e a cada encontro temos mais experiência para atrair, conquistar e fidelizar nossos clientes com as tendências do mercado e melhorando nosso atendimento, produto e comércio, é muito bom", disse a comerciante Adriana Santos.

Além dos cursos, foram ofertadas diversas palestras junto aos feirantes que atuam na feira livre da cidade.
Com o tema “Juntos somos mais fortes” os feirantes e os consultores do Sebrae debateram a proposta de organização da feira livre, considerada a maior da região da Zona da Mata e uma grande geradora de renda para todo o comércio. 

A ação é resultado da parceria entre a prefeitura e o Sebrae por meio da Secretaria de Indústria e Comércio, englobando ainda a Sala do Empreendedor, por meio  da agente de desenvolvimento, Neide Mitomari.

Ainda no auditório da prefeitura foi promovido sobre Gestão Visual, com duração de quatro dias e carga de 15 horas com o consultor Luiz Sampaio. Aos participantes do curso foi entregue um certificado conferido pelo Sebrae de Alagoas.  

Pelo Twitter o prefeito Areski Freitas (PTB), parabenizou o trabalho desenvolvido pelo Sebrae no município em parceria com a Sala do Empreendedor e Secretaria Municipal de Indústria e Comércio.

A agente de desenvolvimento Neide Mitomari conta que desde que o município firmou parceria com o Sebrae, vários cursos, formações e  acompanhamento técnico no comércio de União com consultores do órgão tem sido uma constante.

 "E graças ao trabalho em conjunto o comércio de União tem crescido, se desenvolvido e está cada vez mais forte", concluiu Neide Mitomari, incluindo ainda o trabalho do prefeito empreendedor, o Kil.

Quero ser feliz!


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Quero me contagiar de alegria permanente,
Sem pensar na vida, sem pensar na sorte.
Quero encontrar a magia nas pequenas coisas
Que trazem a felicidade verdadeira.
Driblar as intempéries da vida, de forma
Que elas não me atrapalhem
A alegria de viver dos meus dias de ocaso.
Quero encontrar a felicidade buscando
A realização dos meus sonhos, mesmo que
Eles pareçam impossíveis e loucos.
Se não posso ter a felicidade plena,
Que eu possa encontrá-la na simplicidade,
Das coisas verdadeiras e nas amizades
No estar bem comigo e com a vida.

Quero me libertar


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Quero me despojar
De qualquer sentimento
Que me faça sofrer.
Não quero mais sentir
Aquela sensação amarga,
De derrota e tristeza.
Não quero mais percorrer
Caminhos indefinidos, sofridos.
Quero me libertar da saudade,
Se é que isso é possível na vida da gente.
Persigo a felicidade todos os meus dias.
Quero encontrar o equilíbrio
Entre o sentimento e a realidade.

domingo, 28 de outubro de 2012

Guerra interior

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Minha guerra interior não tem fim.
Não precisa de opositores,
Basta tudo o que há dentro de mim
Para me trazer mais conflitos.
São muito os meus oponentes internos
Sou um poço de contradições:
Sou terra e mar, sou finito e infinito,
Luto contra minhas emoções,
Contra minha maneira frágil de ser.
Que às vezes parecem coisa de adolescente.
Foram muitas causas perdidas que eu tive,
Mas nelas, não havia inimigos a combater,
É uma guerra profunda e insana
Essa que eu travo dentro de mim
A luta entre o querer não ser assim
E ao mesmo tempo o medo de mudar
O que existe dentro de mim.
Minha guerra interior
Não precisa de inimigos.
Já me bastam os conflitos
Que eu tenho dentro da minha cabeça,
Que não sei  se terão fim...

O fim de semana termina

Olívia de Cássia - jornalista

O fim de semana foi embora e não fiz nada do que eu queria ter feito; o tempo foi curto, ou eu não me organizei como deveria. Deve ter sido isso.  Amanhã começa tudo de novo. Hoje foi um dia de reflexão, de ficar em casa sem fazer nada, sem sair para lugar  nenhum, impossibilitada pela falta de dinheiro mesmo.

Eu queria ter ido numa praia, ter tomado um banho de mar, pegado uma cor, como antigamente, deixar as mazelas nas águas de Iemanjá e recomeçar com mais vigor a semana que chega daqui a pouco e que será de desafios.

São muitas as minhas divagações e preocupações nesse domingo; não é só a questão interior, meus traumas de infância, problemas de foro íntimo, mas muita preocupação com o trabalho, também. Nem tive ânimo para ir à casa de um parente ou vizinho, conversar um pouco para me distrair.

Com alergia e o corpo quebrado, fiquei em casa o dia todo conectada, mesmo sem conversar com ninguém, isso já me distrai. Escrevi há pouco uns versos falando das minhas viagens infinitas em pensamentos. Acho que isso também que ainda me dá muita força para viver persistindo nos meus ideais.

Ainda sonho e faço alguns planos, mesmo com minha condição de saúde frágil; sonho com o melhor de mim. Busco sempre forças interiores para não perder a minha razão, minha vontade de viver. Às vezes invento umas coisas loucas para escrever poesias e isso coloca meu cérebro em atividade.

Tenho medo de perder minha coordenação, minha capacidade de raciocínio e minha capacidade de amar. Minha razão é o melhor que há em mim, é do que eu posso me valer para enfrentar os desafios interiores, que como eu já disse, eles não são de agora, vêm de muito longe, vêm de outras lembranças.

Nesse começo de noite de domingo eu me coloco em pensamentos, ouvindo minhas músicas, vendo quem está conectado também, tentando não me lembrar das minhas limitações e desafios, que serão muitos daqui para frente.

Invento um amor imaginário para não tornar meus dias mais vazios. Invento sentimentos inexistentes para diminuir meus pesadelos diários, para não pensar num futuro que virá não se sabe como e nem de que forma.

São esses pensamentos que me acometem nesse término de fim de semana e nessa noite de domingo vazia, sem ninguém. Estou só com meus pensamentos,  gatos e cães. Boa noite de domingo, bom descanso e uma feliz semana. Fiquem com Deus!

Eu não amo mais

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Eu não amo mais do jeito
Que eu amava antes,
Com total entrega
E sem pensar em mim.
Eu não amo mais
Quem não se importa comigo.
O que amo agora
É a ideia de ser feliz.
Não importa se um instante,
Uma hora, um dia ou uma semana.
Não tenho mais tempo
De ficar esperando a felicidade.
Eu não amo mais quem não se importa comigo...


Preciso me reconectar

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Às vezes me desconecto do mundo
E faço viagens infinitas em pensamentos.
Sonhos e planos que atingem o ápice,
Da minha memória, do querer não realizado,
Sonho com o melhor de mim, que pensa em ti.
Às vezes é preciso mudar para que haja o encontro
Busco forças interiores para não perder a razão
Minha razão é o melhor que há em mim
É o que eu posso dar nessa hora de desafios interiores
Que não são de agora, vêm de muito longe,
Vêm de outras lembranças.
Preciso me reconectar com o agora
E fazer parte de mim...

Bom domingo!

Olívia de Cássia – jornalista

Bom dia, Diário. Começo o meu domingo pedindo a Deus que alivie as dores daqueles que estão passando dificuldades sérias muito mais do que qualquer problema que eu possa ter.

Às vezes a gente está com algum problema,  alguma bobagem no pensamento  e já acha que aquilo é o maior entrave do mundo e que você é um sofredor maior.

Mas não é isso o que estou pensando agora. Diferente de épocas passadas, num dia como hoje eu já estaria na praia, pegando aquele sol, me bronzeando, saboreando um cervejinha gelada e jogando conversa fora.

O tempo passa, as coisas mudam e muitas situações ficam apenas na lembrança da gente. Eu tenho a estranha mania de ficar me  lembrando das boas coisas boas que vivi. Não lamento mais a passagem do tempo, já passei dessa fase.

Hoje aproveito os momentos de reflexão para agradecer a Deus por tudo o que vivi, sem arrependimentos e talvez se tivesse que fazer tudo de novo, que sabe eu repetisse muito do que fiz e do que fui.

Não é porque eu esteja nessa fase de transição da vida, na maturidade, que eu vá renegar meu passado. Não faço esse tipo. Tem gente que depois que amadurece parece que vira santa, esquece o que fez e o que viveu.

Talvez isso seja um bloqueio, ou uma proteção psicológica usada como pano de fundo. Mas eu estou aqui, Diário, depois de muitas perdas, decepções, experiências vividas e algum aprendizado para falar que eu ainda acredito em coisas boas, positivas.

 Acredito no amor, apesar de tudo. Acredito que a gente possa encontrar no mundo pessoas delicadas, que acreditem na vida, acreditem em seu potencial e que não se aproximem de você apenas por algum interesse terceiro.

Talvez eu ainda alimente dentro de mim sonhos ingênuos de adolescente. Não consigo me desapegar dos sonhos, dos quereres, dos amigos, que foram e são fundamentais em minha vida de ser errante.

Já levei muitas bordoadas na vida, mas hoje eu avalio que  tudo o que passei me serve hoje de exemplo e de aprendizado. Não alimento ódios e nem raiva dentro de mim, isso eu não quero.

Só fico triste, às vezes com alguma indelicadeza, ingratidão, mas isso também faz parte do aprendizado maior que a vida nos dá.

Estou começando a aprender, Diário e como dizem no popular: ‘antes tarde do que jamais’. Bom domingo para todos, fiquem com Deus!

sábado, 27 de outubro de 2012

Meu coração bate forte

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Meu coração bateu mais forte
Ao imaginar como seria a emoção
De estar em teus braços, moço bonito.
Num momento de pensamentos
Confusos eu penso em ti,
Na possibilidade de um abraço teu.
Mas não posso continuar assim,
Tendo emoções que não me pertencem,
Tenho sonhos proibidos, incontidos.
Meu coração bate mais forte...


Tenho sonhos surreais...

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Eu tenho sentimentos escondidos,
Confusos, incomuns e surreais
Que me fazem sonhar
Com outro mundo inexistente...
Só eu sei o que significam
Esses pensamentos indefinidos,
Um mundo de sonhos e possibilidades.
Não, eu não sei defini-los, é mentira.
Penso em beijos escondidos, roubados...
Em sentimentos retribuídos, às escondidas,
Como se fôssemos dois adolescentes
Descobrindo o mundo, sensações
E os sentimentos...
Pensamentos que marcam o ocaso
Da minha vida vazia...
Surrealismo fantástico....

FCP realiza quarta edição do Quintal Cultural em União dos Palmares

Com informações do Blog do José Marcelo Fotos
(Fotos de José Marcelo)

Na última quinta-feira, 25, aconteceu na sede do escritório da Fundação Palmares, em União,  a quarta edição do Quintal Cultural,  organizado pela representante da instituição no Estado, Genisete de Lucena Sarmento.

 O artista convidado foi o compositor Gustavo Gomes,  de Maceió, que foi  para bater um papo e cantar. Antes da apresentação foi exibido um documentário feito na Serra da Barriga sobre a música Ponto do Colibri, de autoria de Gustavo Gomes e Petrucio Baêtto,  em homenagem a Zumbi. Muitos consideram a Ponto do Colibri um hino à Serra da Barriga.

Gustavo Gomes acredita que "esse tipo de projeto é importante por aproximar artista e público". Ao final de cada canção o cantor interagia com o público presente revelando histórias da cena cultural de Alagoas.

No evento aconteceram declamações de poesias de  poetas da nossa literatura e outros. O Quintal teve a presença de um grupo de crianças e adolescentes do Povoado Várzea Grande, que foram acompanhados por Carla Leite, enfermeira do PSF da comunidade. O grupo já participou de três das quatro edições do evento.

Genisete Sarmento, representante da FCP no Estado de Alagoas e Pernambuco, explica que o objetivo do projeto é ocupar o quintal da Fundação. Um espaço antes ocioso. “É uma alternativa para se fazer cultura em União dos Palmares”, explicou.

Outra proposta é  formar público para os eventos culturais que acontecem na cidade, já que no município tem bares e outros tipos de ambientes não são adequados para as crianças e adolescentes.

Na ocasião, Genisete Lucena disse que a FCP está fechando a programação do mês da consciência negra, que ocorrerá de 5 a 20 de novembro.

 Na programação está marcado para o dia 18 a 1ª Cavalgada da Liberdade, com a presença do ministro do Esporte Aldo Rebelo, organizador da cavalgada. Em relação a expectativa de cantores nacionais a representante da Palmares disse que em breve serão divulgadas as atrações.

 Com um varal repleto de poesias, os presentes iam escolhendo os poemas e recitando entre aplausos e uma taça de vinho. De acordo com Luana Tavares, "o evento já tem um público fiel e assíduo a cada edição e que nas próximas edições o quintal da fundação estará lotado".

No final do evento, Gustavo Gomes disse que ficou com "gostinho de quero mais" e que na medida do possível virá a União prestigiar os próximos artistas do projeto e, quem sabe, cantar as músicas dos seus quatro CDs. Na  próxima semana será divulgada a data e a atração da 5ª edição do Quintal Cultural .

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Boa tarde, Diário.

Olívia de Cássia – jornalista

Boa tarde, meu amigo Diário. Hoje estou aqui de volta para conversar com a única pessoa que não tenho medo de falar o que sinto, a única que me entende, sem críticas e sem censuras, se é que tenho alguma restrição de desabafar minhas dores com alguém.

Sabe, Diário, hoje eu acordei mais uma vez com aquela sensação de vazio, de solidão e angústia no peito. Dizem que isso “é o excesso de passado em nossas vidas e que a ansiedade é o excesso de futuro”.

Bem, meu caro amigo, eu não sei avaliar se é isso o que acontece comigo agora.  O que tenho absoluta certeza é: “não tenho certeza de nada”, neste momento. Não sei Diário, mensurar o motivo desta agonia, vontade de chorar, de me debulhar em lágrimas.

Não sei definir esse incômodo que me acomete nesta sexta-feira, quando eu devia estar celebrando  e dando vivas ao dia de hoje. Sim, porque para todo brasileiro festeiro, o dia de hoje é de comemoração, de cerveja, de agradecer a Deus por mais um dia, pela vida e pelas dádivas recebidas.

Sabe Diário, não há nada melhor do que a vida que Deus nos deu, mesmo que a gente tenha dias de reflexão, introspecção e até chore um pouco, como eu hoje de manhã, enquanto trabalhava; mas as lágrimas servirão para lavar a minha alma às vezes cansada de lutar. Será um impulso para um novo recomeço.

Não me desespero, estou na luta, não desisto nunca, tenho dito sempre. Às vezes peço que Deus me proteja de mim, do que eu possa fazer e pensar. Mas os sonhos fazem parte da nossa vida também, mesmo que eles pareçam irrealizáveis, utópicos e loucos como têm sido os meus até hoje.

Apesar de tudo, de querer ser outra pessoa, de querer ser uma mulher mais forte e mais senhora de si, no fundo eu quero ser assim mesmo: um pouco louca, um pouco normal. Não aprendi certas facetas da vida, me tornei uma mulher ingênua, frágil, suscetível a emoções.

Nem mesmo essa maturidade e a velhice, que às vezes renego, me tornaram mais firme. Eu acho que ainda não me fiz entender e isso me deixa aflita em certos momentos. Tem situação na vida que a gente quer eternizar, tornar para sempre, mas isso nós sabemos que é impossível.

Penso às vezes até em pedir desculpas por eu ser assim. Mas pensando bem, pedir desculpas para quem e para quê? Só as amizades verdadeiras têm sustentação na vida; no mais é coleguismo e quando há isso.

O que eu estou precisando nesse momento em que desabafo, Diário, é  ter um colo de amigo para deitar e desabafar, da mesma forma que eu fazia na juventude com meus amigos queridos em União dos Palmares, quando estava assim.  Tantas vezes deitei no colo deles, para falar dos meus sentimentos, meus medos e sonhos. 

Um tempo em que as amizades eram puras e sinceras. Por que naquela nossa fase da vida, não censurávamos nada e nem ninguém e acreditávamos nos nossos sonhos como se fossem fatos consumados, que só dependeria do tempo.

Estou carente de afeto, Diário, necessitada desses abraços carinhosos que só os amigos sabem dar. Deus me proteja de mim.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

O roteiro imaginário



Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Nossa história se confunde com o tempo.
Não sei precisar quando comecei a te amar.
O enredo desse filme teve um começo de
Maneira platônica e assim continuou.
Numa apoteose sem conclusão.
Minha história se mistura
Com amores indecifráveis,
Inenarráveis, indefinidos.
Sou metamorfose, transformação.
Sou uma mulher do passado e do agora.
O roteiro dessa história é confuso,
Não tem explicação, um filme imaginário,
Sem começo, nem fim....


Pensamentos que voam longe....


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Às vezes eu não entendo
Meus sentimentos.
Eles se confundem misturados
Com emoções embaralhadas,
Como se fossem uma teia
De complicações.
Sou um poço de contradições.
Preciso acabar com essa mania
De querer o que não existe,
O que não posso ter.  
Quero-te nesse instante derradeiro
Seja de qualquer jeito,  
Desejo-te na hora do apelo,
Do apego, na hora em que penso
Muito mais em mim do que em ti.
Em como tudo seria se eu te amasse
Nem que fosse por um segundo apenas.
Pensamentos voam longe....

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Eu não desisto


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Eu não desisto da vida,
Não desisto dos meus sonhos.
Mesmo que pareçam impossíveis
Distantes, loucos.
Sou teimosa e persistente
E enquanto eu tiver
Sonhos para sonhar
Uma cabeça para pensar
Insistirei nessa minha
Intenção maior de ser feliz. 

Eu me apaixonei por um sonho


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Eu me apaixonei de novo
Por um sonho impossível, distante
Que ninguém é capaz de decifrar...
Feito adolescente ingênua...
Estranha mania essa minha
De querer coisas impossíveis,
Diferentes de mim, inalcançáveis
Sentimentos confusos,
Uma mistura de tudo
Que a tua lembrança me traz,
Sonhei com alguém que não existe
E não é a primeira vez
Que isso acontece comigo.
Eu me apaixonei por uma hipótese
Nula, inexistente, impossível,
Sem razão, sem nexo, complexo...

Desejos....


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Eu te desejo nessa tarde de muito sol
Convidativa para um chope gelado,
Para se jogar conversa fora e ir além
Do que eu possa ir, pelo menos um instante,
Não quero me prender a sentimentos outros...
Deixa eu te amar de qualquer jeito
Do jeito que eu possa imaginar....
Eu te quero muito além de um instante,
De agonia e de prazer.
E imaginar que eu poderia te encontrar
Algum dia, por aí, numa tarde de sol.
De alegria e felicidade...

E de repente...


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

A gente não percebe
As mudanças que acontecem
Dentro de nós.
E quando menos esperamos
Acontece uma transformação.  
Sem que tenhamos noção
De como tudo se deu.
Mudamos de repente,
Como se algo tivesse acontecido,
Uma revolução interior.
Você amadurece com o sofrimento,
Com experiências e as vivências...
A menina que existia em mim
Não morreu, mas aprendeu a conviver
Com a falsidade, com a amargura e a solidão.
De repente tudo se transformou...

Secretária Nacional de Segurança, Regina Miki participa em Maceió da instalação de Comissão na ALE


Olívia de Cássia

A secretária Nacional de Segurança, Regina Miki, participa nesta quinta-feira, 25, às 4h30, depois da sessão ordinária, na Assembleia Legislativa Estadual, da instalação da Comissão de Segurança da Casa de Tavares Bastos, formada para fiscalizar o Programa Brasil Mais Seguro do governo federal.

Regina Miki chega ao Estado dois depois de os deputados terem discutido o tema no plenário da Assembleia. Na terça-feira, 23, os deputados  abordaram o tema e disseram que seria necessária a presença da secretária porque ‘há contradições sobre as informações a respeito do plano de segurança, material disponibilizado e outros itens’.

O deputado Ronaldo Medeiros (PT) destacou a importância do trabalho a ser encaminhado pela comissão que vai fiscalizar o Plano Brasil Mais Seguro, em Alagoas,  e observou que a Comissão vai permitir um levantamento contando a real situação do plano e como funciona a participação do Estado e do governo federal.

A Comissão de Segurança da Casa é formada pelos deputados Ronaldo Medeiros, Gilvan Barros (PSDB), Jeferson Morais (DEM), Joãozinho Pereira (PSDB) e Ricardo Nezinho (PT do B) e vai solicitar, periodicamente, documentos que possam comprovar as atividades que estão sendo feitas em Alagoas no combate à criminalidade.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Deputados debatem Canal do Sertão e Segurança Pública


Olívia de Cássia – Repórter
(Foto Olívia de Cássia)

Quase que não havia sessão na tarde desta terça-feira, 23, na Assembleia Legislativa. Na hora da chamada, quando o deputado Antonio Albuquerque (PTdoB), que presidiu a sessão, ia encerrando os trabalhos por falta de quorum (só tinham oito no plenário), o deputado Edval Gaia (PSDB) chegou, viabilizando a sessão, que contabilizou depois 20 deputados em plenário.

O primeiro deputado a fazer uso da fala na tribuna foi o petista Judson Cabral, que falou da sua preocupação sobre o Canal do Sertão. Em aparte a Cabral, o também petista Ronaldo Medeiros destacou a importância de um trabalho equilibrado e correto quando o assunto é o Canal do Sertão.

“Espero que o governo se pronuncie nos informando qual a metodologia utilizada para selecionar as famílias que irão ser assentadas ao redor do Canal, visto que, essas terras não tinham quase nenhum valor, mas agora com a água, o líquido precioso, estão muito valorizadas, mas nós temos que assentar neste local os sertanejos”, disse Medeiros.

Foto Olívia de Cássia

Outro assunto abordado na sessão desta terça-feira foi a questão do Plano Brasil Mais Seguro no Estado. Judson disse que há contradições sobre as informações a respeito do plano de segurança, material disponibilizado e outros itens. Ele propôs ‘trazer à Casa autoridades para darem explicações a respeito do projeto.

Medeiros fez outro aparte e disse que fez o convite à secretária Nacional de Segurança, Regina Miki, para que ela possa vir à Assembleia prestar explicações. Ronaldo Medeiros destacou a importância do trabalho a ser encaminhado pela comissão que vai fiscalizar o Plano Brasil Mais Seguro, em Alagoas.

Ele disse que a comissão vai permitir um levantamento contando a real situação do plano e como funciona a participação do Estado e do governo federal. O parlamentar lembrou que a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, quer fazer parte da instalação destes trabalhos.

A Comissão de Segurança da Casa, proposta pelo deputado Ronaldo Medeiros, que é formada pelos deputados Joãozinho Pereira, Ricardo Nezinho, Ronaldo Medeiros, Jeferson Morais, Gilvan Barros e  suplentes Judson Cabral e JHC, vai solicitar, periodicamente, documentos que possam comprovar as atividades que estão sendo feitas em Alagoas no combate à criminalidade.


Deputado Dudu Holanda critica Galba Novaes, na ALE

Olívia de Cássia – Repórter
(Texto e foto)

Num discurso que parecia mais estar na Câmara de Vereadores de Maceió, o deputado Dudu Holanda usou a tribuna da Casa de Tavares Bastos, nesta terça-feira, 23, para fazer duras críticas ao presidente da Casa de Mário Guimarães, Galba Novaes Filho.

Dudu disse que a medida de Novaes ao extinguir 266 cargos comissionados do quadro de pessoal, por determinação do Ministério Público Estadual, foi demagógica.

“Não consigo entender o silêncio, a omissão de alguns vereadores diante da administração do atual presidente da Câmara de Maceió. O que parece justo e honesto é engodo, demagogia. Ele quer dar uma de bom moço, de puritano, mas, eu posso falar, porque não preciso dele para nada”, afirmou Hollanda, referindo-se a Novaes.

A briga do deputado com o vereador por Maceió parece ser uma pendenga pessoal. O deputado Dudu Holanda disse ainda que o presidente da Câmara divulgou que irá reduzir os cargos da Mesa Diretora de 165 para 29, mas, não frisou que será dada uma gratificação de 200%, elevando o número de cargos para 80.

“Eu não aguento mais esse rapaz mangar da sociedade”, reclamou da tribuna da Casa de Tavares Bastos ressaltando que Galba Novaes de Castro Filho conseguiu que a Prefeitura de Maceió aplicasse os recursos, na ordem de R$ 5 milhões, devolvidos pelo Poder Legislativo Municipal na região do Tabuleiro, reduto eleitoral de Novaes.

Segundo Dudu Hollanda, Galba gastou com o Programa Parlamento na Praça “cerca de 60 a 80 mil, enquanto que, segundo ele,  na sua gestão foram gastos apenas R 5 mil no mesmo programa. 

Teu corpo...


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Teu corpo masculino
Tenta-me e me causa arrepios.
Recantos infinitos imaginários.
Que levam o meu pensamento
A imaginar loucuras...
Teu corpo tem a cor de pecado
Me faz imaginar uma viagem
Não importa que eu não possa tê-lo
Em meus braços sedentos,
Teu corpo me tenta os sentidos...


segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Meus erros


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Os erros que eu cometi na vida
Serviram para trazer crescimento interior.
Quando a gente erra e reconhece a falha,
Isso vai contribuir para que
Eles tragam amadurecimento.
Já passei por tudo isso na vida.
Às vezes a gente erra tentando acertar,
Tentando ser feliz, comete loucuras.
Onde andará a felicidade,
Que a gente tanto procura?
Muitas vezes a gente busca ser feliz
Em lugares impossíveis de encontrá-la.
Eu errei tentando ser feliz. 

Desamor...


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Desilusões provocam mágoas,
Às vezes tristezas profundas
Que marcam nossa vida inteira.
A razão nos diz que a gente não se apegue.
O coração cheio de carência vacila.
Aprendi com esses anos que tenho,
Que não adianta querer, sem poder ter.
Não é fácil para nosso ego viver assim...
O sentimento de abandono é doloroso.
É necessário fazer reposições na vida,
Substituições em nossas atividades
Para poder a gente encontrar
O verdadeiro caminho da felicidade.
Se não temos amor,
Busquemos a amizade....

Marcas do tempo...


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Sou um rosto marcado pelo tempo,
Cheio de marcas profundas
Que revelam o fundo da minha alma,
Transparente...
Tudo em mim é o resultado daquilo
Que um dia eu fui, amor...
Tenho saudade de um tempo
Em que eu era melhor,
Saudade do frescor da juventude,
Quando tudo a gente podia...
Um tempo de muitos sonhos
Sonhos são indecifráveis,
Vivências e experiências
Que vão morrer comigo....
Não consigo me desapegar,
Tenho saudade de mim.

Um dia pensei...


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Um dia pensei que poderia
Ser importante para você...
Alimentei expectativas,
Sonhei, percorri caminhos meus...
E diante de tanta ilusão,
Não foi possível a realização do meu sonho.
A vida é mais cruel e mais amarga que a poesia.
Não é como nos  sonhos,
Quando a gente acorda, o susto é maior.
Chorei, sofri, me debulhei em lágrimas de desabafo,
Para aliviar minhas dores de poeta
Apaixonada e sozinha.
Desencantei...

Festa da vitória de Beto Baía reúne em União cerca de 30 mil pessoas

Olívia de Cássia – Repórter

Segundo avaliação da Polícia Militar, conforme foi anunciado no evento, a festa do prefeito eleito de União dos Palmares, Beto Baía (PSD) reuniu no Conjunto Residencial Nilton Pereira cerca de 30 mil pessoas, na tarde deste domingo, 21.

As pessoas iam chegando a pé, de carro, de bicicleta, de moto ou de carro e o espaço onde o palco foi armado foi tomado. Políticos, eleitores, simpatizantes e familiares do prefeito e do vice, Eduardo Pedrosa compareceram ao evento.

Todos os políticos que compareceram ao evento fizeram uso da palavra, antes de Beto Baía. O senador Fernando Collor, como já é do seu feitio, fez duras críticas ao atual prefeito Areski de Freitas, o Kil, que é do seu partido, o PTB, e ao ex-governador Manoel Gomes de Barros. Em determinado momento do discurso parecia que estava em campanha e que ainda não tinha ‘descido do palanque’.

O deputado João Henrique Caldas (JHC), muito assediado no evento, fez um discurso destacando a sua participação na Comissão das Enchentes da ALE e disse que vai continuar fazendo o melhor pela Região da Mata.

Todos se comprometeram em apresentar emendas que possam beneficiar o município. Beto Baía foi o último a usar a palavra e disse que ia manter as promessas de campanha.

“Vou montar uma equipe técnica, procurar trazer médicos especialistas para União dos Palmares, tentar fazer o melhor para o município”, disse ele, comovido pelos aplausos e receptividade do público,  agradeceu e pediu o apoio de todos para fazer um bom governo.

Compareceram ao evento: o deputado estadual João Henrique Caldas, o JHC (PTN), o deputado federal João Caldas (PEN), o senador Fernando Collor (PTB), Francisco Tenório (PMN), que assumirá a Câmara Federal em janeiro, no lugar da deputada Célia Rocha, vereadores e a imprensa palmarina. 

sábado, 20 de outubro de 2012

Por minha causa...

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Eu choro por uma causa
Desperdiçada,
Um choro silencioso, 
Quieto, discreto.
Choro por uma 
Oportunidade não vivida,
Um amor perdido,
Uma saudade incontida,
Um amor impossível.
Eu choro pela falta
Que você me faz,
Nessa noite longa,
Sem presságios, 
Sem tua presença,
Sem o teu cheiro, 
Teu sabor, tua cor. 

Sei que não posso...

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Sei que não posso te amar,
Moço bonito: tu és um segredo meu.
Amor dos meus sonhos encantados.
Guardado a sete chaves.
Não posso ter o teu amor...
Não posso ficar ao teu lado,
Tu és um sonho proibido.
Mas só a ideia de te amar
Já preenche meus dias solitários,
Da maturidade indesejada.
Minha alma esconde segredos
Profundos, confusos, embaralhados.
Mal de amor, essa é a sina,
Triste fim dos poetas,
Que amam sem ser amados.
Meu coração é chama,
Mas eu sobreviverei
Aos teus encantos...
Sei que não posso te amar.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Estranha solidão...

Olívia de Cássia - jornalista

Fiz uma pesquisa e descobri que muitas pessoas sentem a mesma coisa que eu. Quando a gente está assim, sensibilizada, acha que é a única a sentir isso, mas não é. 

Existem milhares de pessoas sozinhas no mundo: eu não estou só quando me angustio e sinto esse apertinho no peito. 

Talvez esse seja o mal desse século, cada dia mais o ser humano vai se sentindo mais sozinho, isolado do mundo, apesar de um monte de gente ao seu lado, ou não. 

Sinto um nó na garganta e uma vontade imensa de chorar e sair por aí dizendo ao mundo que eu existo, que sou uma pessoa, tenho sentimentos profundos, que quero, que amo e não sou amada. 

Como é estranha a solidão de quem ama unilateralmente. É como se algo tivesse faltando em nossa vida para nos completar. 

Mas não estou reclamando da vida, nem da minha sorte. Pelo contrário, agradeço a Deus todos os dias pelo meu lento caminhar, mesmo que já bastante cambaleante por causa da ataxia.  

Não é a falta de Deus no meu coração, isso o que estou sentindo agora,  é a falta de um carinho, de um conforto, de um ombro amigo para desabafar minhas dores. 

A angústia é uma sensação psicológica, causada talvez pelo não desabafo dos sentimentos, pela insegurança, uma dor que dói sem doer e fere a alma da gente. 

Dizem os estudiosos que na moderna psiquiatria a angústia é considerada uma doença que pode produzir problemas psicossomáticos.

Mas eu não vou me deixar levar por isso, já passei situações piores e venci. As minhas angústias sempre precedem alguma coisa. 

É como se meu corpo estivesse me alertando para algo que aconteceu ou vai acontecer comigo, sempre é assim. 

Pode-se dizer que o sentimento de angústia é um conflito existente dentro da gente. É como se metade do corpo quisesse algo e a outra metade tivesse alertando para que eu tenha cuidado. 

É assim que eu a entendo e é assim que me sinto agora. 

Viagem pela poesia


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

A poesia nos leva a lugares onde desejamos chegar
A qualquer instante, a qualquer lugar...
Qualquer hora, sem censuras...
Ela nos transporta para outros
Mundos imaginários ...
Numa viagem transcendental e única
Mundos de sonhos, de paz...
Viajo nos meus sonhos poéticos
Até chegar ao teu pensamento...
Que seria do mundo se não fosse a poesia?
Que transcende muros, barreiras sociais e
Nos leva a ultrapassar limites?  

Esperança...


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

A esperança é uma crença emocional.
Vivemos cheios de expectativas
Com relação a ela.
Mas a vida é cheia de contradições,
Nós éramos duas esperanças...
Eu era uma menina que sonhava
Tu eras a minha esperança
De um mundo novo,
De eu ser uma pessoa melhor...
Não adianta esperar.
Que os outros melhorem por nós...
Sonhos, confusões em minha mente...
Sonhei com um mundo de paz
Às vezes o dia parece longo,
É uma eterna espera,
A espera de mim....

A política desperta paixões

Olívia de Cássia – jornalista



Desde os tempos mais remotos, a política desperta paixões e emoções intensas e profundas. No Brasil, principalmente, ela é até capaz de tirar a razão de qualquer um que se aventure nesse mundo, hoje tão cheio de nuances inesgotáveis, com palavras agressivas e acusações ferozes aos adversários.

O termo política é derivado do grego antigo e se refere a todos os procedimentos relativos à pólis, ou à cidade-estado. Assim, pode se referir tanto a Estado, quanto à sociedade, comunidade e definições que se referem à vida humana.

Teoricamente, a política está destinada a ‘despertar com visão de futuro o espírito de esperança e organizar seus âmbitos com clareza e precisão’. Mas na prática não é isso o que a gente observa.

No Brasil a disputa em época eleitoral é ferrenha e não se atém à apresentação de propostas e planos de governo; a prática é denegrir a imagem dos outros, ao invés de se discutir assuntos sérios, que merecem a atenção dos nossos representantes e os da população também.

Acompanho disputas políticas há muitas décadas, muito antes de entrar na faculdade e a disputa sempre foi ferrenha, mas hoje em dia parece que a prática da baixaria vai se acentuando e se aperfeiçoando com o avançar da tecnologia, aliada à corrupção.

Parece que a política, assim como a religião e o futebol, cega a capacidade de reflexão das pessoas e cada partidário de um lado só enxerga negatividade e os erros do lado oposto: ou seja, só vê aquilo que quer. É impressionante como isso acontece com frequência .

Da mesma forma que a eleição acabou há 12 dias e tudo ainda está muito recente, parece que muita gente ainda não desceu do palanque e continua agindo como se ainda estivesse disputando o voto do eleitorado.

Disse um autor que o nome agora me foge à memória, que “a política sacia nossa alma, alimenta nosso espírito e provoca-nos o gozo, ao ensejo da satisfação plena”. É um vício se a gente for observar com mais cuidado.

Quem se embrenha na política, na maior parte das vezes, não quer mais sair: está sempre arrumando uma desculpa para disputar cargos. Uma hora diz que foi a vontade das bases  ou  do partido, ou que quer fazer o bem da sociedade.

Com a queda do Muro de Berlim, o suposto fim das ideologias e das utopias, parece que muita gente se esqueceu de tudo aquilo que pregou no passado e adotou a filosofia do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC), que mandou esquecerem tudo aquilo o que escreveu e defendeu.

No livro ‘O Principe,  Nicolau Maquiavel  observa que a política é a arte de conquistar, manter e exercer o poder, o próprio governo. Outros autores avaliam que "trata-se da convivência entre diferentes", pois a política "baseia-se na pluralidade dos homens”.

Ainda existem algumas divergências sobre o tema pois, para alguns, política é a ciência do poder e para outros é a ciência do Estado. Maquiavel descreve como o governante deveria agir e quais ‘virtudes’ deveria ter a fim de se manter no poder e aumentar suas conquistas.

A expressão maquiavelismo teve origem em seu nome. Já dá para imaginar, mesmo quem não leu a obra, do que se trata. O Príncipe seria ‘uma espécie de manual político para governantes que almejassem não apenas se manter no poder, mas ampliar suas conquistas’.  

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Se eu chorar...


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Se eu chorar
Na tua presença,
Não se incomode;
Não me censure.
Se eu choro
É de saudade de mim. 

Casa de radialista sofre atentado em União dos Palmares


 Por João Paulo Farias - O Relâmpago

O radialista Hermes Marques, da Rádio Farol de União dos Palmares, que apresenta o programa o Show de Notícias, teve uma surpresa nada agradável na madrugada desta quinta-feira, 18. Na garagem de sua residência localizada no Bairro Santa Maria Madalena, na periferia da cidade, foram jogados mais de três litros de gasolina, numa tentativa de incendiar o local.

Segundo Hermes, em entrevista ao Programa A Palavra. com, da mesma emissora, na tarde desta quinta-feira, 18, por volta de 1h50 da madrugada, ele foi acordado com os latidos do seu cão de estimação, ao acender a luz da garagem percebeu um forte cheiro de gasolina e algumas pisadas no local e encontrou duas garrafas pet de dois litros vazias e um palito de fósforo apagado.

 “Eles queriam me matar e matar minha família”, lamentou o radialista, que no momento do ataque estava com sua esposa e dois filhos menores. “Acionei a Polícia, que demorou a chegar no local, levei meu carro até um Posto de Combustível, por medida de segurança”, disse.

 Hermes atribuiu o crime como conotação política, já que ele apoiou o candidato da oposição eleito, Beto Baía (PSD). O radialista desconfia de um mesmo grupo de pessoas, que estaria promovendo os ataques, primeiro foi a Rádio Farol, de propriedade do deputado federal João Caldas (PEN), que teve sua gravadora destruída por uma bomba.

Já no sábado, véspera da eleição, várias residências de parentes do candidato a vice prefeito da oposição, Eduardo Pedrosa, foram alvo de incêndios, nesses casos os banners com as fotos dos candidatos que estavam na frente das casas, foram queimados. 

Divagando por aí...


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Ando divagando em pensamentos,
Desejos, sentimentos e emoções.
Os pensamentos vão voando longe...
Eu caminho por aí sem rumo certo,
Desequilibrada, sem direção alguma.
Dias e noites à espera de um milagre acontecer
E eu te encontre em uma esquina qualquer,
E poder falar de amor, de nada, de tudo,
De segredos meus...
Sentimentos que vão em minha alma errante, andante...
Ando divagando por aí....

De repente...


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Estava absorta em meus pensamentos
E de repente me vejo num lugar longínquo,
Nunca antes visitado, pensando em você.
Meus pensamentos são o resultado
Da minha fértil imaginação de poeta,
Nesta tarde ensolarada de muitas leituras
De romances intermináveis...
Era uma vez uma tarde de muito sol e alegria,
Os pássaros cantavam alegremente em nossa volta
Celebrando aquele encontro nunca visto antes.
Nossos corpos se encontravam numa sinfonia única.
Éramos dois amantes que se queriam
Naquela tarde encantada de muita
Imaginação e criatividade.
De repente, era uma vez...

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

O vazio que há em mim...


Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Uma sensação de vazio me invadiu o coração.
Foi assim o dia inteiro: algo se partiu
Dentro de mim, como uma saudade derradeira
Que a gente sente sem saber de quê e de quem.
É a vida mostrando sinais para que
A gente possa entender os seus mistérios.
Que mistérios são esses que eu ainda não entendi?
Sinto-me confusa, numa profusão
De sentimentos adolescentes
Que me invadem nessa hora da noite
Aqui não é o lugar, eu não sei explicar o motivo.
Não me encontro nessa hora e procuro
Saídas para esse impasse interior...
Nessa hora, um turbilhão de pensamentos
Ultrapassa minha força interior.  
Sinto um vazio profundo dentro de mim

Medeiros apresenta projeto de prevenção contra incêndios no Estado


(Foto de Olívia de Cássia)
Olívia de Cássia – Ascom


Foi protocolado na Assembleia Legislativa, na tarde desta terça-feira 16, o projeto de lei de autoria do deputado Ronaldo Medeiros (PT) que dispõe sobre a prevenção contra incêndio e pânico no Estado e dá outras providências.

Segundo o deputado, compete ao Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Alagoas – CBMAL “estudar, analisar, planejar, normatizar, exigir e fiscalizar todo o serviço de segurança das pessoas e de seus bens, contra incêndio e pânico”.

O petista observa que são objetos do projeto “dispor sobre a proteção da vida dos ocupantes das edificações e áreas de risco; dificultar a propagação do incêndio, reduzindo danos ao meio ambiente e ao patrimônio”, entre outras medidas.

Segundo Medeiros, o projeto foi  encaminhado depois  que ele  ouviu as demandas da categoria no Estado. “Alagoas vem perdendo investimentos por conta da legislação burocrática que tem e esse projeto de lei foi  elaborado espelhado em leis de outros estados como Minas e São Paulo”, disse o deputado.

Ele explica que, pela proposta apresentada, o comandante do Corpo de Bombeiros fica autorizado a estabelecer as exigências necessárias ao fiel cumprimento desta lei, por meio da expedição de instruções técnicas.

Segundo o texto do projeto, é de responsabilidade do proprietário do imóvel ou responsável, utilizar a construção de acordo com o uso para o qual foi projetada e manter as ferramentas de segurança contra incêndios em condições de utilização providenciando sua adequada manutenção, sob pena de cassação de documentos, independente das responsabilidades civis penais cabíveis.  

“Os licenciamentos das edificações e áreas de risco referida nessa lei, por parte de outros órgãos competentes, devem exigir, previamente, a expedição pelo Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas de documentos que comprove em vistoria o cumprimento de todas as determinações constantes no Projeto de Segurança Contra Incêndio e Pânico”, diz ainda o texto do projeto.

Medeiros observa que o projeto prevê ainda que os planos de urbanização dos municípios, que afetem as larguras livres e os acessos a ruas e avenidas, deverão dispor sobre a forma de facilitar o acesso das viaturas do Corpo de Bombeiros.

“Os órgãos e entidades municipais, responsáveis pela implantação de planos de urbanização, devem submeter os respectivos projetos à apreciação do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas – CBMAL”, explica o deputado.

Caso o projeto de lei seja aprovado e sancionado, caberá ao Corpo de Bombeiros a fiscalização de toda e qualquer edificação e área de risco existente no Estado e, quando necessário, aplicará sanções administrativas com o intuito de sanar as irregularidades verificadas. 

As perdas da vida...

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Hoje eu amanheci com uma sensação de perda dentro de mim. Uma dor fininha, persistente, sem razão e nem porquês aparentes. 

Parece angústia isso o que estou sentindo agora.  De repente uma vontade de chorar invadiu meu coração e uma sensação de vazio se estabeleceu em minha vida.

Eu perdi mais uma vez o que eu nunca tive:  será uma lembrança a mais para alimentar a minha vida solitária de poeta apaixonada. 

Perdi um sonho impossível que  não poderia se realizar, desses que a gente menos espera ou se espera, não acredita que será.

A gente sempre acha que está fortalecida e pronta para qualquer situação, mas eis que chega a realidade e nos dá uma sacudida geral, para que a gente entenda o quanto somos frágeis diante da vida.

Tenho saudade de repente de algo que eu nunca tive e que o vento, o tempo ou não sei lá o quê, não quis que acontecesse. 

 Saudade de ti e de mim, dois paralelos antagônicos. Meu pranto silencioso vai me lavar a alma, mas não quero perder a capacidade de ser feliz. Eu te perdi mais uma vez.

Alguns instantes. Vivendo por aí...