segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Eliane Aquino será a primeira mulher a participar do “Fora de Pauta”

Foto de Olívia de Cássia

Fonte: Alternativa Produções Culturais

Alagoana de São José da Laje, Eliane Aquino foi a primeira mulher a fazer jornalismo político no estado de Alagoas e também será a primeira mulher a participar do programa “Fora de Pauta” na próxima quinta-feira a partir das 20h30, no Barroco Comedoria, localizado no bairro do Jaraguá.

Com um portfólio denso, construído ao longo de seus 32 anos de carreira, Eliane Aquino estará diante de Mário Agra para contar às histórias que presenciou e viveu em diversos meios de comunicação em que trabalhou país afora em cidades como; São Luís, Belém, Manaus, Salvador, Brasília, Cuiabá e Goiânia.

Eliane Aquino começou sua carreira trabalhando no Jornal de Alagoas em 1979 e com menos de um mês passou a cobrir a Assembléia Legislativa para a Editoria de Política, depois começou a cobrir a Câmara de Vereadores de Maceió, trabalhou nos semanários, Repórter Semanal de Nilton Oliveira e Extra da família Brêda, trabalhou também no jornal Gazeta de Alagoas como repórter. Passou nove anos fora de Alagoas e quando retornou trabalhou no jornal Diário de Alagoas na Chefia de Redação, depois assumiu a Chefia de Redação do jornal Gazeta durante a gestão de Pedro Collor e depois Fernando Collor, foi ainda Editora Geral do jornal Tribuna de Alagoas e Editora de Primeira Página do jornal Gazeta de Alagoas.

Como assessora de imprensa Eliane trabalhou em 1982 na campanha para deputado estadual de Mendonça Neto, foi militante voluntária da campanha de Ronaldo Lessa e Heloísa Helena para a Prefeitura de Maceió em 1992, fez assessoria de imprensa para Heloísa Helena como deputada estadual e foi assessora de comunicação da Prefeitura de Arapiraca na gestão de Célia Rocha. Desde 1998 faz assessoria de imprensa para Teotonio Vilela e prestou consultoria de imprensa para Helenildo Ribeiro, na Câmara Federal. Como repórter, entrevistou políticos em destaque no Brasil; como Tancredo Neves, José Sarney, FHC, Lula, ACM, Jader Barbalho, Luiz Carlos Prestes, Franco Montoro, Mário Covas, entre outros.

A cada semana o projeto “Fora de Pauta” consolida-se como um momento de raro debate ente jornalistas, intelectuais, artistas e sociedade em geral a respeito da realidade sócio-política alagoana e brasileira, além de servir como um espaço de bate-papo sobre os bastidores da imprensa e o papel que a mídia representa em nossas vidas.

Eliane Aquino costuma dizer que durante toda a sua vida profissional tem tentado agir com justiça e imparcialidade com a informação e parcial e justa em suas opiniões "mais da metade da minha vida tenho vivido como jornalista, as vezes acho que já nasci assim, em busca da informação" afirma a jornalista que trabalha em um grande projeto para 2012: um livro-reportagem sobre o assassinato do Cabo Gonçalves.

Teclas e Vozes e banda Grafite tocaram na festa de Santa Maria Madalena, ontem à noite

Fotos de Olívia de Cássia
Palmarinos se ausentaram da noite de domingo e praça ficou quase vazia

Olívia de Cássia – Repórter

A noite de ontem, 29, da festa de Santa Maria Madalena, padroeira de União dos Palmares, foi animada pelo grupo Teclas e Vozes, que está completando 27 anos de música, e pela banda Grafite, de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

A noite de domingo, diferente de outros anos, não levou muita gente à Praça Basiliano Sarmento e o local ficou quase vazio. Mas quem compareceu gostou das atrações musicais oferecidas.

O Grupo Teclas e Vozes tem como vocalistas Jarbas Leite e Beto Santana (voz e teclado), que cantaram músicas do cancioneiro popular, MPB e músicas que fizeram sucesso nos anos 70, 80 e 90.

A banda Grafite, também de excelente qualidade, tocou baladas internacionais rock in roll e outros tantos sucessos e por fim as músicas da atualidade.

A tradicional festa de Santa Maria Madalena, que neste ano completa 177 anos, teve início no dia 24 de janeiro e termina no próximo dia 2, com a procissão luminosa da bandeira e as atrações musicais Michael Sullivan, Frank Aguiar, Aloha e Mano Walter. Nesta terça-feira, 31, Gilliard e Missinho e banda fazem a animação da festa. O evento atrai visitantes de todo o país: os palmarinos ausentes que trazem filhos e amigos para conhecer a cidade e ver de perto a fé do povo na padroeira do município.

Além da programação artística e religiosa, acontece todas as noites bingos na praça e leilões de animais doados à santa. Os brinquedos estão armados em toda a Avenida Monsenhor Clóvis e na Estação Ferroviária.

A festa se estende para o Centro da cidade e em frente à AABB será armado um palco alternativo que levará outras atrações no dia 2, quinta-feira. TAmbém no dia 2 haverá o bingo de um Fiat Uno.

A palmarina Maria Cícera (Tita) disse que no sábado, 28, a festa foi muito mais animada e teve show da banda Mastruz com Leite. “Parecia o dia 2, a praça estava lotada e não dava nem pra gente circular pelas mesas, nem para ir ao banheiro”, disse ela.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Mais um fim de semana violento em Maceió


Olívia de Cássia – jornalista

Nem bem eu cheguei para o plantão deste sábado, 28, à tarde no portal Tribuna Hoje e já tinha ocorrências de três homicídios no sábado. Um no Santos Dumont, outro no Jacintinho e o terceiro em Cruz das Almas.

O crime do Jacintinho foi de um rapaz de nome Cristoferson Rarbel Araújo dos Santos, 24 anos, crime ocorrido na Travessa Triunfo e a polícia não tinha muitos detalhes a respeito do ocorrido. Quando chegamos à rua indicada, o rabecão do IML já ia saindo com o corpo e os moradores do local não sabiam quem tinha assassinado o rapaz e nem as motivações do crime.

Em Cruz das Almas, na Rua Novo Horizonte, por trás do Conjunto Dom Adelmo Machado, a vítima foi Hildebrando Conceição Júnior, 22 anos, morto com dois tiros à queima roupa.

Testemunhas que estavam no local disseram aos soldados da Ronda Cidadã que ele foi perseguido na rua por outro homem que deu o primeiro tiro no peito da vítima. Para se proteger, o jovem entrou numa pequena quitanda da rua e levou o segundo tiro, na cabeça.

O corpo ainda estava no local, os policiais estavam aguardando, à espera do Instituto de criminalística (IC) e do rabecão do Instituto Médico Legal Estácio de Lima (IML), que teve muito trabalho neste sábado.

Muita gente aglomerada no local onde o corpo de Hildebrando estava, envolto em um plástico. A rua é de difícil acesso, um dos policiais dando bronca nos curiosos e mandando que se afastassem; mas não tinha jeito: quanto mais ele falava para que saíssem dali, mais gente chegava, curiosa para ver o corpo.

Cabisbaixo, o pai do rapaz, seu Hidelbrando, chegou ao local e disse apenas que eu falasse com a mãe de Júnior, dona Lindalva: me disse que não morava com eles e que não queria falar.

Dona Lindalva, desde o momento em que chegou ao local, se atirou em cima do corpo do filho, desesperada. Não tinha como eu falar com aquela mãe sofrida que apenas repetia frases desconexas, pedindo ao filho para levantar.

Ela chegou a deitar perto do corpo de Hildebrando, ficou suja do sangue que escorria do corpo do rapaz. Uma cena comovente, que me deixou com dor de cabeça quando eu saí do local, com dificuldade, pois além das muitas pessoas, o terreno não ajudava e minhas pernas emperravam mais. Não dá para a reportagem chegar nesses locais sem policiais, é insalubre demais e temeroso.

Hildebrando morava na Grota do Rafael, mas não se sabe o motivo de estar ali, na Novo Horizonte. Pensou que se refugiando no pequeno estabelecimento comercial, pudesse se livrar da morte. Se enganou.

A polícia cidadã disse que não tinha mais detalhes, não sabia dizer se o rapaz tinha rixas ou dívidas de drogas. Uma pista foi uma fala de dona Lindalva que disse: “Eu tanto que lhe aconselhei meu filho!”, dando a entender que Júnior pudesse ter más companhias, ou estivesse fazendo algo de errado.

Fui adiante fazer levantamento no IML e na Central de Polícia. No IML eles ainda não tinham em mãos os dados do crime do bairro Santos Dumont, mas o escrivão de plantão, seu Raí, estava apostos, esperando mais corpos.

LEI MARIA DA PENHA

Na Central de Polícia, duas ocorrências: uma enquadrada na Lei Maria da Penha e outra uma tentativa de roubo em uma das unidades do Cesmac.

O caso referente à Lei Maria da Penha foi uma ameaça de morte. Ivanildo Francisco da Silva ameaçou de morte a ex-esposa Maria Damiana Paulo, que reside no Conjunto Lenita Vilela, no Trapiche.

Ela me disse que está separada de Ivanildo há um ano e seis meses, mas que ele não se conforma com o fim do relacionamento e teria feito várias ameaças para ela. Damiana já está em outro relacionamento, e tem uma filha recém-nascida, que Ivanildo quis registrar como se fosse dele.

Com o ex-marido Damiana tem uma filha de 13 anos, mas disse que nem isso ele considera. A jovem observa que já tentou fazer um acordo com o ex-marido, deu um quartinho para ele morar, mas ele não aceita e quer voltar a morar com ela de qualquer jeito.

“Eu tenho dois barracos e dei um para que ele morasse; ele levou tudo e fica nas esquinas me vigiando. Tenho medo, tenho uma filha recém-nascida que precisa de vacinas e não posso sair de casa, com ele me perseguindo. Eu não queria isso (a prisão de Ivanildo)”, disse Damiana Paulo.

Damiana explicou que por conta dessas ameaças do ex-marido fez a denúncia para a polícia. "Ele ameaçou me matar, disse que queria me ver debaixo da terra se eu não voltar para ele e que se não me matasse ia mandar um maloqueiro fazê-lo, por isso chamei a polícia; ele chegou a fazer as ameaças na frente do policial”, disse ela.

Ivanildo foi encaminhado para a Central de Polícia, mas irá para o presídio e vai responder pela lei Maria da Penha. Uma dúvida que sempre me vem à cabeça nesses casos. Quando esse senhor for solto, pois sempre aparece um advogado para defender, como fica a questão da segurança da moça, já que ela não tem posses. Um caso para ser pensado.

A tentativa de assalto no Cesmac foi de Rubens Oliveira dos Santos, conhecido como “Pareia". Ele foi detido pela segurança da faculdade e em seguida encaminhado para a Casa de Custódia, no Jacintinho. Ufa! Foi um plantão movimentado e vou já dormir que amanhã viajo para União dos Palmares, para a festa der Santa Maria Madalena, para aliviar um pouco a tensão de hoje. Até mais.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Deputado JHC diz que faltam novos líderes na política

Fotos de Olívia de Cássia
Olívia de Cássia – Repórter

João Henrique Caldas (PTN) completou 24 anos, está em seu primeiro mandato como deputado estadual e tem provocado alguns incômodos na Assembleia Legislativa pelos posicionamentos de independência que tem assumido e pela postura crítica que tem adotado com relação à Mesa Diretora da Casa de Tavares Bastos.

Filho do ex-deputado federal João Caldas e da prefeita de Ibateguara, Edócia Caldas, o jovem deputado diz que acredita na juventude e na revolução social que as mídias eletrônicas têm causado no mundo e avalia que a sociedade passa por um momento de mudanças. Em entrevista exclusiva ele disse que a sociedade atual anda acéfala, sem grandes líderes humanitários.

Segundo João Henrique, em Alagoas, por exemplo, os líderes políticos são pessoas ou grupos que estão há duas ou três décadas no poder.

“O povo está descrente deste tipo de liderança. Este ano de 2012 teremos eleições municipais, na maioria das cidades existem dois lados onde um é o grupo de situação representado pelo prefeito ou prefeita atual, e outro lado é representando pelo ex-prefeito do município. Será que existem apenas duas pessoas capazes de conduzir com probidade e competência os destinos do município?”, indaga o deputado. Parte dessa matéria foi publicada no jornal Tribuna Independente, edição deste domingo, 29. Leia abaixo a entrevista na íntegra.

O senhor tem se destacado no parlamento alagoano, em seu primeiro mandato, com apenas 23 anos. A que atribui isso?

João Henrique Caldas - Acredito que como jovem represento uma parcela significativa da sociedade alagoana. De acordo com o IBGE, cerca de 28% dos alagoanos possuem entre 15 e 29 anos. Desde minha campanha consegui interagir melhor com esse público, jovens que assim como eu estavam ávidos por renovação e mudança. E principalmente pelo meio de relacionamento que adoto, como todos de minha geração, a Geração Y, aqueles que são adeptos as novas tecnologias e os meios de comunicar-se entre si através das mídias sociais. Utilizo sempre o Facebook e o Twitter, isso permite nos aproximar de várias pessoas simultaneamente e em tempo real sentir qual o anseio de sociedade, das classes formadoras de opinião. Ah, Olívia, só para correção, eu já fiz 24 anos.

Como avalia a falta de interesse da população por questões políticas, sociais ou econômicas?

JHC - Infelizmente a população alagoana, e o brasileiro como um todo, cansou um pouco de debater política e suas nuances. Pelo que a história diz, no ano que nasci (em 1987), o Brasil estava saindo de uma ditadura, a população ia com frequência às ruas clamar pelo voto direto, um direito imprescindível da democracia, uma vitória da população brasileira. Mas após isto, a sociedade perdeu aquele ímpeto de ir às ruas reivindicar seus interesses. Hoje, infelizmente, vemos em todo lugar estampar-se manchetes de corrupção, malversação de recurso público, ataque ao erário. A sociedade se acuou, perdeu o desejo de retornar às ruas e bradar por justiça. Hoje vemos o poder de articulação e mobilização que se tem nas redes sociais, porém, é uma maneira virtual de protestar, o povo tem de voltar a se reunir. Seja nas universidades, nas igrejas ou em plena praça pública. O desejo do individual tem de se tornar coletivo. Ainda creio nessa transformação, acredito que essa nova geração tomará atitudes moralizadoras, é questão de tempo. Vimos isso há menos de um ano no Egito e na Síria. O povo brasileiro possui um espírito mais arrojado que os países do Oriente Médio; acredito na juventude.

As religiões e a defesa da liberdade de costumes (passeata gay) levam milhares de pessoa às ruas, mas ainda não surgiu uma palavra de ordem com capacidade de mobilização na sociedade. A que o senhor atribui isso?

JHC - É como vínhamos falando agora há pouco, há hoje um fenômeno interessante nas redes sociais. Quando as pessoas se propõem a retwittarem no Twitter ou curtirem no Facebook, a sociedade em peso toma a decisão em questão de segundos, no conforto do lar ou do trabalho, clicando um botão no computador ou no smart phone. Mas quando é para reunir uma grande quantidade de pessoas em torno de um mesmo ideal nas ruas, aparecem poucos. A sociedade passa por um momento de mudanças, o mundo está em crise política e econômica e o Brasil figura numa posição confortável. A sociedade atual anda acéfala, sem grandes líderes humanitários. Esse espírito de liderança, motivação e condução de unir as massas. Em Alagoas, por exemplo, vemos que os líderes políticos postados são pessoas ou grupos que estão há duas ou três décadas no poder. O povo está descrente deste tipo de liderança. Este ano de 2012 teremos eleições municipais, na maioria das cidades existem dois lados onde um é o grupo de situação representado pelo prefeito ou prefeita atual, e outro lado é representando pelo ex-prefeito do município. Será que existem apenas duas pessoas capazes de conduzir com probidade e competência os destinos do município?

Os temas que dominam a mídia quase todo o dia nas primeiras páginas de jornais, como a crescente onda de violência, não conseguem mobilizar a população de forma que a leva a fazer grandes protestos. Comente.

JHC - A violência era 'privilégio' de grandes cidades, hoje atinge as pequenas cidades também. No caso do crack que está presente em 90 dos 102 municípios alagoanos, a violência se alastrou por todo o estado. Hoje somos o estado mais violento da federação. Há também o caos generalizado na saúde pública, vemos corriqueiramente a maternidade Santa Mônica em Maceió fechar as portas por falta de leitos, outro grande hospital de Maceió prestes a fechar as portas. Há o fator educação, temos a pior taxa da alfabetização do país, somos os campeões no analfabetismo, e por mais que esse número reduza continuamos na última posição. Ainda, a desigualdade de renda, onde mais da metade da população vive com menos de um salário mínimo. Esses índices nos perseguem há anos, na década de 70 diziam que Alagoas era "o filé do Nordeste", comeram o filé e deixaram o osso. Todos os dias, jornais, sites, revistas, a televisão e o rádio mostram o caos instalado em Alagoas e a população vive um clima de comodismo em sua grande maioria. Porém acredito na inquietude de alguns. Creio que esse tipo de revolução social, de mobilização em grande quantidade de pessoas ocorre de forma gradativa. Essa é a minha esperança. Sei que sozinho não mudarei o mundo, mas fazendo a minha parte na atuação na Assembleia, espero resgatar a esperanças de alguns alagoanos.

Como vê o desinteresse da maioria dos jovens pela política?

JHC - É lastimável ver um jovem desinteressado pelo futuro, porque discutir política significa discutir o futuro. Costumo dizer que nós os jovens é quem colheremos os frutos das sementes plantadas pela sociedade atual. Na Assembleia sempre me refiro a minha geração como reverência ao futuro. Tento trazer à tona discussões por temos atuais que atingem diretamente a juventude alagoana. Sei que tem muito jovem desinteressado, mas vejo que tem muito jovem consternado querendo necessário na política, seja por mandato eletivo ou simplesmente por militância. O meu Partido, o PTN (Partido Trabalhista Nacional), tem uma característica peculiar, tivemos um número de filiações de jovens que correspondeu a mais de 50% dos filiados para 2012. Ou seja, isso significa que nosso partido, o PTN é o partido da renovação política do estado. Teremos candidatos a prefeito e vereador com menos de 30 anos em 73 cidades de Alagoas. Eu aposto nisso. Um fator preponderante são as mídias sociais e os blogs. Vejo que em pequenas cidades do interior tem sempre um jovem ou um grupo de jovens começando a postar mensagens e ideias políticas de relação na rua e na cidade onde moram. Esse é o recomeço de uma nova história que a geração Y irá escrever.

O que acha que está faltando para que a sociedade volte às ruas para exigir direitos e protestar contra irregularidades, como fazia na época da ditadura militar?

JHC - Na época da ditadura havia opressão militar. Hoje existe uma amplitude na liberdade de expressão. Creio que houve diversas mudanças no mundo desde a década de 80, com o fim da ditadura. Na verdade, aquela época, quem mais ia às ruas eram jovens estudantes e universitários; o clamor era trazido à sociedade pela juventude. O tempo passou e o mundo se modernizou. Hoje temos um batalhão de jovens se mobilizando através das mídias sociais. Temos uma quantidade infinda de jovens que trocam informações pelo mundo todo através do aparelho celular. Quando esses jovens nasceram, nem sequer existia celular. Portanto, a revolução da próxima geração de líderes deve ser iniciada no mundo virtual, e eu acredito que já houve esse início. Ano passado, no Egito, foi o Twitter que iniciou a maior revolução do século naquele país, a sociedade brasileira amadurece e caminha para isto. Eu aposto neste tipo de revolução, será uma revolução orquestrada, sistematizada e contará com jovens que através da internet tem informação de tudo que aconteceu na história do país, portanto, creio que a história sempre se repete de forma aperfeiçoada, e será assim com a minha geração.

Está faltando liderança política no Estado e no País? O que o senhor acha disso?

JHC - Como falei anteriormente, desde as pequenas cidades do interior até a nação Brasileira vemos apenas dois lados no jogo eleitoral onde um é a situação e outro grupo é a oposição que perdeu o poder e quer resgatá-lo. Na verdade, necessitamos da reforma política urgentemente. Precisa-se discutir tal reforma. Mas antes de tudo sei que a política é cíclica, naturalmente, a sociedade muda seus lideres. Costumo dizer que a sociedade está acéfala, e a forma de surgirem novos lideres será naturalmente. O mais importante é que a inovação tecnológica fará com que a sociedade permaneça cada vez mais vigilante, assim, obrigando os novos lideres a serem probos, honestos, capazes, eficazes.

Qual a avaliação que o senhor faz da atuação dos parlamentares com relação a todas essas questões que estão saindo na mídia? Há interesse dos políticos em conscientizar a juventude sobre as questões que estão sendo discutidas no País?

JHC - Lógico que sim, a juventude representa um terço da população. A cada ano os eleitores que darão seu primeiro voto vêm com um espirito de caráter fiscalizados, mais severo. Então é natural que a juventude seja o foco de manobra da mídia. O que os grande veículos de comunicação têm de entender é que houve um fortalecimento intenso dos blogs como fonte de informação, o que tem seu lado positivo no tocante à independência editorial, quando o blogueiro que for subserviente a um determinado grupo político perde leitores, assim exigindo imparcialidade dos blogueiros. Porém o lado negativo é a falta de capacitação do blogueiro, que deveria por essência ter formação jornalística, respeitando apuração das informações para que não criem-se boatos através das redes sociais.

A Assembleia Legislativa está novamente na berlinda, depois de o senhor ter apresentado requerimento solicitando explicações sobre a GDE, que avalia como ilegal. O que o senhor tem a dizer sobre isso? Comente.


JHC - Apenas pedi, via Ofício, informações acerca do repasse das gratificações que estavam sendo depositadas nas contas de meus assessores. Desde o primeiro momento avaliei a forma como isto ocorria. Tanto eu quanto o assessores lotados em meu gabinete achamos por bem aguardar da Casa um posicionamento sobre as gratificações. Neste tempo houve decisões judiciais que anularam a GDE através de uma Ação Civil Pública ingressada pelo Estado. A devolução ocorreu por consequência de tudo isto. Quanto a Assembleia estar 'na berlinda' não sou eu quem tem que julgar. Meu dever como deputado é fiscalizar, exigir ações por parte do Executivo e principalmente, debater no parlamento as formas e meios de promover melhorias para a sociedade. Gosto de legislar, fazer leis que beneficiem diretamente a cada um dos alagoanos; tenho prazer nisso.

O que fará se depois do prazo de 30 dias não obtiver resposta do seu requerimento?

O requerimento foi respondido no dia limite. Era 30 de dezembro, a Assembleia estava em recesso desde o dia 15. Todos os gabinetes estavam fechados, mas mesmo assim determinei que minha assessoria fizesse uma escala de plantão para os trabalhos no gabinete visando também o recebimento da resposta. Estive com o Ministério Público no dia 18 de janeiro, lá entreguei a resposta que recebi da Assembleia e alguns outros documentos. Agora aguardo o posicionamento do MP. Como deputado fiz minha parte, agora aguardo os promotores. Acredito no Poder Judiciário e tenho certeza que o Ministério Público fará sua parte atendendo o desejo da sociedade Alagoana.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Em breve, entrevista exclusiva com o deputado JHC, não percam!

Foto de Olívia de Cássia
João Henrique de Holanda Caldas ou JHC como vem sendo chamado na mídia e na Assembleia Legislativa, tem 24 anos, é filho do ex-deputado João Caldas e da prefeita de Ibateguara, Eudócia Caldas, está exercendo o primeiro mandato no parlamento alagoano e me concedeu uma entrevista exclusiva que estarei postando em breve, na íntegra. Aguardem!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Em União dos Palmares, bancas de feira estão sendo usadas para prática de sexo

Por João Paulo Farias - Texto e Foto - O Relâmpago

Bancas que são usadas para a comercialização de mercadorias na feira livre do bairro Roberto Correia de Araújo, popular Terrenos, são armazenadas a céu aberto às margens da BR-104, na Rua Maria Carmelita e servem segundo informações, como banheiro para animais e pessoas que trafegam pelo local.

Cães, gatos e até mesmo gente usam as bancas como banheiro público, um risco para a saúde de quem consome os alimentos comercializados nos dias de feira, até mesmo a carne é vendida em cima dessas bancas, que são cobertas com um tecido, que é o único método de proteção da mercadoria.

A feira livre é realizada aos domingos no bairro e durante os outros dias da semana, as bancas ficam expostas ao relento sem nenhuma proteção, às margens da BR-104. Não há fiscalização e o mais grave além do acúmulo de lixo ao lado das bancas é, segundo denúncias, a utilização das bancas para a prática de sexo durante a noite, já que o local não possui iluminação e vigilância, segundo informações preservativos são encontrados com frequência ali.

O presidente da Associação Comunitária dos Moradores do Bairro Roberto Correia de Araújo (ACMBRA), Luís Carlos Lima, disse que inúmeras vezes a Associação encaminhou ofícios a diversos órgãos do município, mostrando o problema das bancas e pedindo que a situação fosse resolvida. Mais segundo o presidente, só a Vigilância Sanitária respondeu a solicitação, dizendo na época, (início de 2011), que não dispunha de fiscais suficientes para atender a localidade.

Luís Carlos fala das dificuldades enfrentadas pelos moradores do maior bairro da cidade, que enfrentam diariamente a ausência do poder público no local. Esgoto a céu aberto em mais da metade do bairro, falta de pavimentação e saneamento, são as principais carências dos Terrenos. “O poder público é morto nesse bairro, não faz nada é uma decepção”, desabafou.

Em relação à situação em que são armazenadas as bancas de feira, o presidente da Associação de Moradores, disse ter encaminhado semana passada um oficio ao Ministério Público, com cópias de ofícios anteriores encaminhados à Prefeitura Municipal e Câmara de Vereadores, órgãos esses que segundo Luís Carlos, nunca responderam as solicitações. “Espero agora um posicionamento do Ministério Público frente a essa situação”, concluiu.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Antonio Pereira, da Tribuna Independente, estará no próximo “Fora de Pauta”

Foto de Olívia de Cássia
Fonte: Alternativa Produções Culturais

O jornalista Antonio Pereira será o próximo entrevistado no programa "Fora de pauta" que acontece quinta-feira, 26, a partir das 20h, no Barroco Comedoria localizado no Bairro do Jaraguá. "Toinho", como é mais conhecido, é alagoano de Arapiraca e carrega um histórico de 20 anos de batente e luta em defesa de sua categoria.

Toinho foi presidente do Sindicato dos Jornalistas (Sindjornal) e vice-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Atualmente é presidente da Cooperativa dos Jornalistas e Gráficos do Estado de Alagoas (Jorgraf) e diretor de redação do jornal Tribuna Independente e do portal de notícias Tribuna hoje.

O Engenheiro Mário Agra estará mais uma vez no comando do bate-papo descontraído no qual Antonio Pereira vai relatar a experiência bem-sucedida da Cooperativa Jorgraf e transformou a Tribuna Independente num exemplo de organização entre os trabalhadores da comunicação em Alagoas. Além disso, sua história de vida e militância política também serão outros temas abordados pelo entrevistador Mário Agra.

O projeto "Fora de pauta" tem repercutido muito bem no meio jornalístico e tem recebido em seus programas muitos profissionais da área além de publicitários, artistas, intelectuais, políticos e empresários, “é mais uma tentativa de resgatar o bairro de Jaraguá como um ambiente boêmio e de efervescência cultural” afirma o idealizador do projeto Mário Agra.

E nós aqui

Olívia de Cássia – jornalista

Uma sexta-feira chuvosa: de trovoadas, relâmpagos e ruas molhadas. Acordo de madrugada com o barulho dos trovões. Parece que teremos um verão chuvoso. Volto a adormecer, mas a tempestade não dá uma trégua. Pela manhã o aspecto do tempo é de inverno. Incomoda um pouco sair de casa com um tempo assim, mas a responsabilidade me chama à realidade e vamos cuidar da vida.

No recesso parlamentar não houve calmaria na Assembleia Legislativa: ações na Justiça, eleição antecipada da Mesa Diretora, anulação da mesma eleição e denúncias de tramas de morte. Nem bem começou o ano e parece que a 18ª legislatura vai ser muito movimentada na Casa de Tavares Bastos. Tomara que não haja violência no parlamento alagoano. Alagoas não merece isso.

Estou impressionada como o tempo passa tão rápido na vida da gente. Parece que foi ontem que minha sobrinha Raynara nasceu e já está se formando este mês de janeiro. Será uma bela e competente terapeuta. Da mesma forma que ela, os outros sobrinhos e sobrinhas já estão quase todos formados e encaminhados na vida. Ainda bem.

Tantas lembranças me veem à cabeça e desfilam na memória como num filme. Tempos vividos, tempos bons. Estou ficando velha; o tempo já o anuncia mostrando suas marcas em meu corpo. Olho minhas mãos e percebo os sinais da velhice; é o primeiro sinal, o primeiro indício.

Nunca esqueço isso, foi a irmã Lili, como eu chamava a amiga Socorro Lins, quem me alertou para isso: “O primeiro sinal do envelhecimento, irmã, está nas mãos”, disse-me ela uma vez. Engraçado como eu nunca esqueci essa frase e quando olho para minhas mãos lembro-me da amiga Socorro Lins, que hoje em União dos Palmares é uma professora-psicóloga, mãe de lindas meninas que já se fizeram mulheres.

Mas voltando à realidade, me emocionei muito no erguimento do mastro da festa de Santa Maria Madalena. Foram momentos de apreensão, medo e muitas preces, mas depois que foi erguido, muitas lágrimas caíram do meu rosto. Lágrimas de emoção, de dúvidas de pedidos à nossa santa protetora.

Fazia tempo que eu não me emocionava dessa forma. Encontrei muita gente querida da minha terra, gente que a gente só avista na festa da padroeira mesmo, ou outros que a gente se esbarra por aí, eventualmente. Devo ir ao evento pelo menos dois dias, mas no dia 2 é de lei eu comparecer à procissão.

Preciso cumprir minha obrigação de devota e agradecer as graças alcançadas esse ano e por ainda estar andando, mesmo que cambaleante. Está tudo caminhando bem melhor, graças a Deus e espero que assim continue.

O baile Vermelho e Preto, no Jaraguá Tênis Clube, no sábado passado, já anunciou que a folia de Momo pede passagem. Os Seresteiros da Pitanguinha também já anunciaram festa.

Bailes de Carnaval assim me remetem à nossa antiga Associação Atlética Palmarina e aos antigos e saudosos carnavais de União dos Palmares. Uma época mais romântica, mais musical e mais aninada. Eu sou fã. Mas tudo fugiu do controle hoje em dia. O tempo passa, as coisas mudam e a gente precisa seguir em frente, não podemos parar. Fiquem com Deus.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Engraxate que perdeu tudo na enchente precisa de uma cadeira de rodas

Foto de José Marcelo Pereira/Cortesia
Por Olívia de Cássia, com informações do blog do José Marcelo

Seu Expedito Francisco da Silva, um senhor de 74 anos, é engraxate e trabalha na Rodoviária Povina Cavalcante, em União dos Palmares, desde a inauguração do prédio, na década de 70, na administração do então prefeito Afrânio Vergetti de Siqueira.

Seu Ditinho da Baronesa, como é mais conhecido na rodoviária, disse que sua família é natural de São José da Laje e que migrou para União dos Palmares quando ele tinha seis anos de idade.

Casado com a dona-de-casa Alaíde Silva, os dois tiveram 11 filhos, todos já estão espalhados pelo Brasil a fora, segundo seu Ditinho. Hoje morando em uma casa alugada no Bairro Costa e Silva, ele conta que a sua casa na Rua do Jatobá foi destruída na enchente de junho de 2010. Seu Expedito espera receber a casa nova, assim como os outros desabrigados de União.

Seu Ditinho nasceu com um problema de saúde que lhe dificulta a locomoção. Para trabalhar, ele tem que ir de moto-táxi para a rodoviária de União e conta que antes andava em sua cadeira de rodas, mas a perdeu na enchente.

Ele deu entrevista ao blog do José Marcelo e contou que aprendeu o ofício com o engraxate Antônio Bisoura, que lhe ensinou e lhe deu alguns produtos antes de viajar para São Paulo.

Seu Expedito explica que também já ensinou o ofício a outros profissionais e disse que em União tem poucos engraxates. “Muitos já morreram e os poucos que têm andam à procura de clientes”, destaca.

O sapateiro espera ganhar uma cadeira de rodas nova, como também uma ajuda para comprar os materiais que utiliza para engraxar e lustrar os sapatos dos clientes, pois na última quinta-feira, 19, quando chegou no trabalho viu que tinha sido roubado.

Seu Expedito é um homem simples mas gosta de contar as histórias da sua vida e ri da própria situação. “No momento que disse ao blog que tinha perdido tudo com a enchente deu uma gargalhada e disse: ‘Eu era pobre e fiquei mais pobre’ e repetiu o riso quando falou sobre o roubo”, conta José Marcelo.

Quem quiser ajudar seu Ditinho pode procurá-lo na Rodoviária Povina Cavalcante, no centro de União dos Palmares.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Obra social de União dos Palmares completa 21 anos

Olívia de Cássia, com informações do Blog do José Marcelo

O Centro Formação Social Rainha da Paz, localizado na Rua Coronel Bezerra Montenegro, em União dos Palmares, está completando 21 anos. A instituição cuida apenas de meninas carentes; muitas delas ficam na casa enquanto seus pais trabalham.

Segundo o blog do José Marcelo Pereira, atualmente a Rainha da Paz oferece cuidados a 22 meninas com idades entre 7 e 14 anos, recebe doações e também uma subvenção da prefeitura municipal. A instituição está aberta das 7h30 às 16h30, de segunda a sexta-feira.

“No local as meninas tomam café, fazem recreação, almoço, trabalhos escolares, ajudam na arrumação da casa e, antes de voltarem para suas casas, tomam banho e café”, diz Marcelo, acrescentando que na casa as meninas usam fardamento.

A funcionária Luana Amália Rosa Nunes, que trabalha no local há quatro anos, disse ao blog do José Marcelo que as meninas são praticamente criadas na casa. As crianças têm maior contato com os funcionários da casa, já que ficam só no final de semana com os pais.

Há oito anos também na instituição, Lúcia de Araújo Ferreira diz que faz tudo na casa, “até dar banho nas meninas”. Segundo José Marcelo, Lúcia avalia que esse contato “faz todos da casa se sentiram uma família”. Ela disse ao blog que se as meninas “são danadas” e as funcionárias têm que ter pulso forte para manter a casa organizada.

A Rainha da Paz tem dois quartos, além de salas, cozinha e uma área de lazer com brinquedos e uma capela. A instituição pertence à Renovação Carismática, movimento religioso da Igreja Católica.

A casa onde funciona a Rainha da Paz foi uma doação do advogado Dácio Ferreira e é dirigida pelas irmãs Josineide e Sandra Andrade. Na creche as meninas fazem orações sempre antes do almoço e aos sábados a casa recebe um grupo orações.

Quem quiser conhecer e contribuir com a educação das meninas é só procurar as diretoras e funcionários da Rainha da Paz na Rua Coronel Bezerra Montenegro, em União dos Palmares. Uma bela obra que merece todo o cuidado e carinho.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Sessão pública pede fim dos maus-tratos a animais

Divulgação/Internet
Ana Paula Omena/Milton Rodrigues-Repórteres

O Núcleo de Educação Ambiental Francisco de Assis se reuniu ontem na Assembleia Legislativa (ALE) com parlamentares, representantes de ONGs de defesa dos animais e sociedade civil para solicitar o fim dos maus-tratos contra os animais. A sessão pública foi realizada para sensibilizar a população quanto ao crescente registro desse tipo de violência no Brasil.

Segundo Lucely Mergulhão, da ONG Vida Animal, as pessoas quando comentam a violência contra os animais só se lembram dos animais domésticos. “É necessário destacar a importância dos animais de grande porte. Os equinos, não podemos esquecer deles”, pontua.

Em seu discurso, Lucely destacou o avanço recente do município na criação de uma lei que impede a entrada e a utilização de animais em circo. Ela também aproveitou o momento para citar dois casos de violência registrados pela ONG em Maceió.

O primeiro foi de um casal que foi à praia e deixou o cão dentro do carro, amarrado no banco. Com o forte calor, o animal ficou agonizando.

“Foi aí que algumas pessoas passaram e viram o animal. Elas acionaram a polícia, mas os policiais disseram que não podiam fazer nada porque não era uma vida humana em risco”, narra. Para salvar o cachorro, uma moradora de um prédio próximo, arrombou o vidro do veículo e tirou o cachorro.

O segundo caso foi presenciado por uma turista de Belo Horizonte, Minas Gerais. Ela viu um jovem espancando um burro. “Ela chegou a ligar para mim, mas não recordava onde tinha acontecido e nem tinha o nome do agressor”, completa.

Outra forma de crueldade contra os animais vista também na cidade é quando eles são utilizados para transporte. Para Pierre Escoldro, professor de Veterinária da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), os cavalos utilizados nesse tipo de serviço são açoitados e recebem uma carga acima do que podem suportar.

O grupo encabeçado pela vereadora Heloísa Helena (PSOL) marcou uma caminhada para protestar contra a violência. O movimento intitulado “os animais pedem ajuda”, se concentrará no domingo, às nove horas, em frente ao Alagoinhas.

Quem quiser participar basta apenas vestir uma camisa branca. A ação também tem o apoio do deputado Judson Cabral (PT) e do radialista Moreira da Silva.

Fonte: Tribuna Independente

A televisão Brasileira está de luto

Olívia de Cássia – jornalista

A televisão brasileira está de luto: não pela morte de alguma grande estrela, mas pela caída de nível de sua programação, pela falta de seriedade com que vem elaborando seus conteúdos e pela degradação dos valores da família. Nem mesmo as campanhas contra a baixaria nos meios de comunicação têm adiantado muito.

Sem querer ser hipócrita, nem moralista essa semana a polêmica cena do programa Big Brother Brasil de um suposto estupro ao vivo mostrou bem a que patamar está relegada a grade de programação da televisão brasileira, no caso em questão, a da Rede Globo de Televisão, que já foi mais cuidadosa quanto a seus programas, independente da história de seu surgimento.

O caso do Big Brother levou a Polícia Civil do Rio de Janeiro a abrir inquérito para apurar a história, que provocou a expulsão de um integrante do programa envolvido no assunto e muita besteira está sendo publicada na imprensa, desde então. Em minha opinião, a moça também deveria ter saído de cena ou o programa ser tirado do ar.

Tudo aconteceu, segundo o que foi divulgado na imprensa, após uma festa iniciada na noite de sábado, comuns no programa. As câmeras do BBB registraram o integrante do grupo, Daniel, junto com a moça chamada Monique, sob o edredom, em uma cama. Segundo os meios de comunicação eletrônicos, depois que a cena foi ao ar, passou a circular na internet a versão de que Monique sofreu abuso sexual.

A Polícia Civil anunciou que foi aberto um registro de ocorrência para investigar as circunstâncias de suposto abuso e o delegado foi ao Projac buscar informações. Na segunda-feira à noite, a Central Globo de Comunicação informou que o rapaz foi eliminado por ter infringido as regras do programa, mas não especificou que regras são essas.

A Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) enviou ofício ao Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro solicitando a tomada de “providências cabíveis” no caso. Segundo a entidade, o ofício foi elaborado com base em demandas encaminhadas por cidadãs de várias cidades à Ouvidoria da SPM, pedindo providências.

O que a gente percebe nesse caso e em muitos outros programas da televisão é que a cada dia cai a qualidade da programação, não só da emissora da família Marinho, mas das redes em geral. É ‘pegadinha’ grosseira, sexo ao vivo, cenas de violência, palavras de baixo calão, nudez, falta de caráter e discriminação nas novelas.

Os jovens não têm o quê aprender nesses casos. Em 2009, a Coordenação Executiva da campanha “Quem Financia a Baixaria é Contra a Cidadania” divulgou o 16º Ranking da Baixaria na TV, em audiência pública promovida pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

Segundo a entidade, de 2008 a 2009 foram recebidas 874 denúncias de telespectadores no site da campanha (www.eticanatv.org.br) e do Disque Câmara.

Sobre a questão da baixaria do Big Brother, o Ministério das Comunicações se manifestou, na quarta-feira, 18. Em comunicado oficial, a instituição informou que vai identificar por meio das imagens se a TV Globo realmente exibiu um suposto estupro dentro do programa.

E se caso forem provadas que as imagens “causaram constrangimentos” ao telespectador, o Ministério observou que vai instaurar um processo cujas sanções incluem multa e interrupção dos serviços da emissora.

O certo é que alguma coisa tem que ser feita de imediato para conter tanto baixo nível. Se for tirado do ar o programa a ação trará um grande benefício aos telespectadores, não se perde nada com isso, pelo contrário. Pelo menos isso vai servir para que de agora em diante as emissoras e meios de comunicação repensem seus programas e seus conteúdos.

Instituto Biota preserva a vida

Divulgação
Olívia de Cássia - Repórter

Uma entidade que faz diferente e que respeita a vida. Assim é o Instituto Biota de Conservação, uma ONG alagoana sem fins lucrativos, que tem por objetivo promover pesquisa, proteção, conservação e defesa da fauna e da flora, por meio de projetos e ações de educação ambiental que possam colaborar para o desenvolvimento sustentável e a preservação das espécies.

A ONG tem dois anos e meio e segundo o presidente, Bruno Stefanis, trabalha com o resgate e a reabilitação de tartarugas e mamíferos aquáticos como: peixe-boi, leão marinho, golfinho e outras espécies. Bruno observa que o trabalho do Instituto Biota é contínuo e o maior destaque é para o Proteja, que trata das tartarugas em extinção.

“O projeto funciona assim: recebemos o comunicado da população e vamos atender. Tem casos de ação humana direta de maus-tratos a golfinhos. Tivemos um caso de um golfinho que foi esquartejado vivo”, revela Bruno, destacando que a entidade faz campanhas de conscientização com a população, nos bares e com moradores da área litorânea.

O Instituto Biota tem 15 associados, sobrevive de ajuda e de trabalhos voluntários. A entidade não recebe subvenção de nenhum órgão governamental e funciona em Riacho Doce, perto do campo de futebol. Bruno é biólogo desde 2009 e disse que a entidade conta com a ajuda de veterinário, advogado, contador e engenheiro.

Quem quiser colaborar pode entrar em contato na própria sede, em Riacho Doce, ou no endereço eletrônico www.institutobiota.org.br e obter mais informações.

Fonte: Tribuna Independente - Abertura da Coluna Se Ambiente

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Bloco das Bicicletas sairá nas prévias de Maceió

O Bloco das Bicicletas, fundado por Gildo Santana em 24 de janeiro de 2010, vai sair nas prévias do Carnaval de Maceió, dia 10 de fevereiro, às 20h, com largada do estacionamento do Alagoinhas até Jaraguá.

O bloco tem hino com letra de Maclém e Edberto Ticianeli e arranjos de Maclém. Quem tiver interessado pode entrar em contato com Gildo para maiores informações. Contatos: [82] 8845-4990 / 9977-2873 / 3241-5941 - Rede Social: Facebook e Orkut = Gildo Santana - Twiter: gildo_santana

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Renan vai apoiar a PEC do Diploma

Foto de Olívia de Cássia-24-10-2011
Apesar de ter votado contra no primeiro turno de votações, o senador Renan Calheiros, em resposta a uma carta da presidente do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas (Sindjornal), Valdice Gomes, garantiu votar pela aprovação da PEC 33/2009, que estabelece a exigência do diploma para o exercício da profissão de jornalista.

Além do voto, o senador alagoano prometeu, como líder da maior bancada partidária no Senado, o PMDB, empenhar-se para que a votação, em segundo turno, ocorra no início dos trabalhos legislativos deste ano, no mês de fevereiro.

Neafa realiza audiência pública na ALE contra maus-tratos aos animais

Preocupados com os maus-tratos e a violência cometida contra os animais, o Núcleo de Educação Ambiental Francisco de Assis (Neafa), a vereadora Heloísa Helena (PSOL) e o radialista Moreira da Silva, realizam uma audiência pública na sexta-feira, dia 20, às 9h, na Assembleia Legislativa.

O debate terá o objetivo de promover a consciência nas pessoas, como também irá levar a discussões acerca da crueldade contra os animais. Na oportunidade será apresentado o Projeto de Lei para a regulamentação de transporte de cargas com animais.

A audiência pública pretende mostrar o problema de maus-tratos aos animais à população. “Precisamos pedir um basta contra a crueldade e queremos justiça, pois a legislação ainda é muito branda. Os crimes cometidos contra os animais dificilmente levam os agressores à prisão. Iremos lutar e pedir às autoridades que dêem mais atenção a cada caso para enquadrar as pessoas que maltratam os animais”, ressaltou Cristiane Leite, presidente do Neafa.

Durante o debate haverá uma mesa redonda com a participação das principais personalidades do Estado ligadas à causa animal para discussão do tema.

OAB/AL participará de movimento nacional de combate à violência animal

Por Luiza Barreiros e Marcelo Alves
Assessoria de Comunicação OAB/AL

A presidente da Comissão de Bem-Estar Animal da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL), Adriana Alves, recebeu na última quinta-feira (12), a visita da coordenadora do Grupo Vida Animal de Maceió (GVAM), Lúcia Ligrito, que solicitou apoio da instituição para a divulgação do Movimento Crueldade Nunca Mais, que será realizado no próximo dia 22, às 10h, na orla da Ponta Verde.

A manifestação tem o objetivo de denunciar casos de maus tratos contra animais e exigir a punição dos agressores. O movimento é nacional e acontecerá simultaneamente em todas as capitais do País.

Além de denunciar, a manifestação tem a intenção de conscientizar a população para os atos de violência praticados contra bichos. Além do ato público, será elaborada uma carta aberta para solicitar mudanças na legislação, nos itens que tratam de crimes contra animais.

Adriana Alves disse que a OAB/AL apoiará, integralmente, o movimento e ressaltou a importância do ato para despertar o sentimento de respeito aos animais. “Os animais existem e precisam ser respeitados. A população deve se conscientizar que maus tratos vão desde agressões até abandono”, disse Adriana Alves.

De acordo com Lúcia Ligrito, o movimento surgiu depois da repercussão do caso da enfermeira Camila de Moura que espancou o seu cão da raça yorkshire, de cerca de cinco meses, na frente da filha pequena, em Formosa (GO).

As cenas foram gravadas por um vizinho no dia 13 de novembro e foram divulgadas na internet. O cão morreu dois dias após por conta dos maus tratos. Também esteve presente à visita, a integrante do GVAM Mayara Cunha. O encontro aconteceu na OAB/AL.

IMA interdita pedreira no rio Mundaú

Foto de Sandro Lima

Área interestadual deverá ser desocupada sob pena de prisão dos responsáveis pela atividade de degradação ambiental, em caso de descumprimento

Por Daniel Maia

Após a veiculação da reportagem “Rio Mundaú vira local de extração de pedra”, pela Tribuna Independente, no domingo (15), o Instituto do Meio Ambiente (IMA) interditou o local. O diretor-presidente do órgão, Adriano Augusto de Araújo, anunciou que iria enviar técnicos do órgão à cidade de União dos Palmares para averiguar a atividade de extração de pedras na localidade. O anúncio foi cumprido e a interdição foi feita ontem.

Dois técnicos do IMA foram à Rua do Juazeiro, local antes habitado pelas vítimas das enchentes de junho de 2010. Lá, eles constataram que a área é inapropriada para realizar a extração de pedras, o que faz com que o local seja interditado sob a punição de prisão dos responsáveis pela obra, caso haja descumprimento.

Adriano Augusto informou que, no momento da abordagem dos técnicos do IMA, os responsáveis pela obra não foram encontrados, mas mesmo assim, a notificação foi aplicada aos trabalhadores, sob a pena de prisão.

“No momento da chegada dos técnicos, havia dois trabalhadores em serviço. Eles não quiserem falar. Avisamos a um suposto cara que transportava carga que se encontrava no local. Deixamos a notificação dizendo que era para suspender as obras sob a pena de prisão”, disse.

Adriano voltou a afirmar que não é possível emitir licença ambiental para realização de obras no leito de um rio. “Houve realmente um afloramento de granito no meio do rio”, disse.

Após a notificação, os técnicos do IMA se comprometeram em retornar à Rua do Juazeiro no dia 24, para identificar se houve a desapropriação do trecho do rio Mundaú, que é interestadual. O procedimento é realizado pelo órgão sempre que há uma notificação relacionada à degradação do meio ambiente. “Se houver reincidência daremos voz de prisão e aplicaremos as medidas cabíveis mediante a situação”, reiterou o diretor-presidente.

EXPLORAÇÃO

Na reportagem que trata da degradação ambiental no Rio Mundaú, a Tribuna Independente relatou também o dia-a-dia de “Seu Leopoldino”, um trabalhador palmarino, com mais de 54 anos de serviço de quebra e transporte de pedras.
A assessoria de comunicação do Ministério Público do Trabalho (MPT), ao ser procurada, só informou que a instituição recebeu denúncias anônimas, mas não tinha prazo para visitar o canteiro de obras no leito do Rio Mundaú.

Fonte: Tribuna Hoje

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Fundação Palmares em Alagoas realiza o projeto Quintal Cultural

Foto de Olívia de Cássia-8-1-2012
Por João Paulo Farias com divulgação

A representação da Fundação Cultural Palmares em Alagoas, com sede no município de União dos Palmares, inicia na próxima quinta-feira, 19, o projeto Quintal Cultural da Palmares. A iniciativa tem o intuito de proporcionar momentos de reflexão e discussão a partir de produções artísticas que tenham como foco a história do povo negro.

Filmes, poesias, documentários e músicas serão trabalhados ao longo do projeto, que pretende levar para a população o conhecimento da riqueza multicultural do seu país, através da luta contra as desigualdades.

Na estreia do projeto, será exibido o documentário "1912: O Quebra de Xangô", dirigido pelo antropólogo Siloé Amorim. A produção relata o trágico episódio histórico que marca a trajetória de perseguição enfrentada por mães e pais de santo em Alagoas, no início do século passado.

A exibição do documentário será nesta quinta-feira, 19, a partir das 20h, no escritório da Fundação Cultural Palmares, localizada na Rua Antônio Honorato da Silva, 236, centro. Participe!

Deputado JHC vai ao MP nesta quarta, conversar com promotores

Foto de Olívia de Cássia
Charlene Araújo – Assessoria

O deputado estadual João Henrique Holanda Caldas (PTN), irá ao Ministério Público na manhã desta quarta-feira, 18, às 9 horas, onde conversará com os promotores de Justiça Sidrack Nascimento, Norma Medeiros e Jamyl Gonçalves.

Na ocasião, JHC irá falar a respeito do ofício encaminhando à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, no dia 30 de novembro de 2011, quando solicitou esclarecimentos a respeito do pagamento da Gratificação de Dedicação Excepcional (GDE).

Ainda durante o encontro, o parlamentar irá entregar cópia do ofício recebido por intermédio da Procuradoria da ALE, como resposta à sua solicitação, além de outros documentos.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Devoção e fé na procissão do mastro em União dos Palmares

Fotos dde Olívia de Cássia
Mastro da festa ameaça cair e assusta devotos palmarinos

Olívia de Cássia – Repórter

A Devoção e a fé que movem os palmarinos foi demostrada novamente neste domingo, 15, na procissão do mastro da festa de Santa Maria Madalena. Milhares de pessoas acompanharam o evento, que este ano está completando 177 anos e faz parte do calendário turístico-religioso do município. O mastro foi doado pelo empresário Eduardo Pedrosa e tem quase 25 metros.

No local da concentração, na Rua Juvenal Mendonça, muita gente se aglomerou e aproveitou para se confraternizar e rever os amigos que moram fora da cidade. Uma banda de pífano da cidade de Murici tocou e acompanhou em cima de um carro durante todo o percurso.

Ciclistas, cavaleiros e amazonas, motos, carroças, pessoas a pé e até quadricículo acompanharam a procissão. Fé e religiosidade, um sentimento em cada rosto que foi cumprir com a sua obrigação de religioso, pagando penitências e promessas.

Pessoas aproveitaram para registrar a procissão, com celulares, máquinas e filmadoras. O professor da Ufal Zezito Araújo também fez o percurso fazendo filmagem do evento.

Seu Benedito Valeriano, um senhor de quase setenta anos, disse que faz tempo que acompanha a procissão. “Vim a pé, moro no Sitio Pedra Branca e vim demostrar minha fé”, disse ele, que estava acompanhado da esposa, dona Maria, já idosa e maltratada pela lida na roça.

A assistente social Nádia Seabra mora em União há 20 anos e durante todo esse tempo acompanha o evento, disse que já é uma tradição e que admira a festa pela capacidade de o povo mostrar a sua fé.

“Cada ano aumenta o número de pessoas que acompanham a procissão do mastro. Vejo como um evento importante para a renovação da fé; é um ato religioso que se mistura com o profano, mas em nenhum interior do Estado tem uma procissão assim”, destaca Nádia.

Gidelson Guilherme é professor e coordenador da Unipar em Murici e também foi acompanhar a procissão. Ele disse que é a primeira vez que vai ao evento e que estava emocionado. “É a primeira vez que venho acompanhar a procissão e estou emocionado. A história de Santa Maria Madalena é de entrega a fé que ela tinha em Deus”, disse o professor.

Após a bênção do padre Iranjúnior o cortejo saiu em direção à Praça Basiliano Sarmento, percorrendo várias ruas da cidade. Exaustos, os homens que carregavam o mastro chegaram à praça e na hora da subida uma das tesouras (paus que erguem o mastro sustentados por cordas) quebrou e ele ameaçou desabar.

Com o susto que todos que estavam na praça tiveram, chegou a ser anunciado que uma pessoa tinha ficado ferida, mas tudo não passou de um boato. Por conta da informação, algumas pessoas se retiraram do local com medo e outras choravam emocionadas.

Segundo a tradição da festa, quando algum incidente acontece no erguimento do mastro de Santa Maria Madalena é porque alguma coisa desagradável vai acontecer na cidade, ou durante ou depois do evento.

No percurso de quase Três quilômetros, alguns participantes da procissão informaram que o mastro ameaçou cair várias vezes, assustando os homens que o carregavam. O calor estava insuportável e um senhor passou mal, quando chegou à praça, exausto do esforço que fez no transporte do mastro.

Esse ano o tronco de árvore cortada foi maior do que nos outros anos, segundo os moradores da cidade. Antes da procissão, o mastro ficou exposto e alguns palmarinos aproveitaram para escrever seus pedidos, agradecimentos e colocar fitas no mastro pintado de azul.

Os padres Iranjúnior e Francisco, da paróquia local, recepcionaram o padre Emilio que veio do Canadá participar da festa. Padre Emílio junto com o padre Donald foi pároco de União por muitos anos e voltou a morar no Canadá. Emilio foi muito assediado pelos palmarinos que queriam fotografá-lo e saber das novidades do padre.

Políticos como o deputado federal Givaldo Carimbão (PSB), o prefeito Areski Freitas (PTB), o presidente da Câmara de Vereadores do município, Bruno Praxedes (PSDB), o médico Beto Baía, candidato a prefeito na eleição passada, vereadores e outras autoridades também prestigiaram o evento.

No próximo dia 23 haverá a procissão da bandeira, que será erguida no mastro e nela ficará as nove noites de festa que só acaba no dia 2 de fevereiro, com a procissão das charolas, que saem da Igreja Matriz junto com Santa Maria Madalena e percorrer também várias ruas da cidade.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Cambistas e ambulantes estão animados com primeiro clássico alagoano

Fotos de Olívia de Cássia-14-1-2012
Olívia de Cássia – Repórter

Cambistas e ambulantes já se preparam, na porta do Estádio Rei Pelé, para o primeiro clássico do ano do futebol alagoano, que acontece hoje, a partir das 17h. CRB e CSA se enfrentam, numa partida que promete muita agitação na capital alagoana neste sábado, 14.

A bilheteria do Trapichão já está aberta aguardando os torcedores para a compra de ingressos, mas o movimento ainda é pequeno, segundo o vendedor Marcelo Basílio. “O movimento ainda está tranquilo, por enquanto e deve intensificar depois do almoço”, observa.

Além da bilheteria do estádio os torcedores também podem adquirir o ingresso com os cambistas. Na manhã deste sábado, 14, duas pessoas já estavam vendendo os bilhetes, a R$ 30 a arquibancada, a exemplo de Edmilson Alves da Silva. “O movimento está bom, mas ainda está lento”, disse o cambista Edmilson.

José Carlos, 39 anos, é vendedor ambulante de bebidas há mais de 20 anos e está apostando na partida de hoje para suas vendas. “Tomara que seja bom, ainda não vendi nada, mas estou com esperança de muito movimento”, disse ele.

Marlene Araújo comercializa produtos há 12 anos. “Vendo passaporte, churrasquinho, cerveja, refrigerante e água há 12 anos e espero que Deus ajude e as vendas dê para todos. Essa parte que estou é do CRB e a entrada é boa porque o time tem o mando de campo hoje e a torcida é maior”, explicou a vendedora.

Pavilhão da Santa Fé, em União dos Palmares, ganha instalações do Projeto Inaê

Olívia de Cássia com informações do site O Relâmpago

Uma comunidade que vivia abandonada à própria sorte nas dependências de um presídio abandonado no povoado da Santa Fé, em União dos Palmares, ganhou na tarde de ontem, 13, instalações do Centro de Formação e Inclusão Social (Inaê), que vem há dois anos levando conhecimento a crianças e adolescentes carentes dos pavilhões, que abrigam pessoas desabrigados das enchentes de 1989, em condições subumanas.

A responsável por essa conquista é a ialorixá Mãe Neide Oyá d´Oxum, do Grupo União Espírita Santa Bárbara (Guesb), com sede na capital Maceió. Mãe Neide é coordenadora do projeto Inaê, que faz parte do Guesb, e por meio da dança, música e teatro, propõe a inclusão e respeito às diferenças, independente de religião ou etnia.

Na cerimônia de inauguração das instalações do projeto em um dos pavilhões do presídio abandonado, ontem , Mãe Neide destacou as dificuldades na implantação do projeto em União dos Palmares, mas observou que com apoio de inúmeras instituições o sonho se tornou realidade. Emocionada, ela ressaltou a parceria com a Fundação Palmares, a Prefeitura de União e outras instituições, que colaboram com a obra social.

O espaço amplo dos pavilhões oferece locais para o desenvolvimento de inúmeras atividades recreativas. O local inaugurado conta com uma biblioteca, salão de beleza, refeitório, local para aulas de corte e costura e auditório para apresentações culturais.

A representante da Fundação Cultural Palmares no Estado, Genisete Sarmento, lembrou do passado dos moradores que ainda residem nesses pavilhões, observando que eles precisam do apoio de todos.

“A Fundação Palmares está à disposição para contribuir com esse projeto”, disse Genisete, destacando a coragem de Mãe Neide em manter o projeto de relevada importância para aquela comunidade.

O prefeito do município, Areski Freitas, o Kil, lembrou da parceria com o Inaê desde o início de suas atividades no povoado de Santa Fé e destacou que está trabalhando para que os moradores dos pavilhões sejam incluídos nas casas do Programa da Reconstrução, pois os desabrigados vivem ali, desde as enchentes de 1989.

Durante a inauguração, várias atrações culturais animaram o local, como a banda de percussão do Projeto Inaê e a banda Afro Zumba. Brincadeiras como o pau-de-sebo animaram a garotada, que também se divertiu em brinquedos montados para o evento.

Também faz parte dessa nova fase do Projeto Inaê a instalação de uma praça, denominada São Cosme e São Damião, onde foram plantadas quatro mudas de árvores típicas da Mata Atlântica. A praça será um local para diversão e lazer daqueles moradores.

Diversas autoridades prestigiaram a inauguração do Projeto Inaê na Santa Fé: o prefeito Areski Freitas, a ialorixá Mãe Neide Oyá de Oxum, o padre Francisco, pároco local; a representante da Fundação Cultural Palmares em Alagoas, Genisete Sarmento, representantes das secretarias de Estado da Mulher e de Estado da Cultura, secretários municipais de Infraestrutura, Turismo e Comunicação, representantes de religiões de matrizes africanas locais, o presidente da Associação dos Grupos de União (Agrucenup), Djalma Rosendo e moradores do povoado.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Procissão do mastro

Fotos de Olívia de Cássia-arquivo
Olívia de Cássia - Jornalista

Neste domingo, 15, a partir das 16h45, acontece em União dos Palmares a tradicional procissão do mastro da Festa de Santa Maria Madalena, que sairá da Rua Juvenal Mendonça, conhecida como Castelo Branco, e percorrerá cerca de dois quilômetros até chegar ao seu destino final: a Praça Basiliano Sarmento, onde receberá no dia 23 a bandeira da festa.

O evento faz parte da tradição religiosa do município e da programação da principal festa do calendário turístico-religioso da região dos quilombos, que completa, em 2012, 177 anos. A procissão fará o percurso pelas ruas: Abílio Gomes, Tavares Bastos, Rui Barbosa, Avenida Monsenhor Clóvis Duarte de Barros, Rua Edgar Sarmento, Rua Presciliano Sarmento, Rua Correia de Oliveira, terminando na Praça Basiliano Sarmento.

Segundo o blog a Terra da Liberdade, o trajeto pode ser feito em 29 minutos a pé ou sete minutos de carro. O mastro é um tronco de madeira doado por um dos fazendeiros do município e nele é hasteada a bandeira de Santa Maria Madalena que fica no local as nove noites do evento.

No dia da procissão, centenas de fiéis vão até o local onde a árvore foi cortada e antes da saída do cortejo colocam assinaturas e fazem preces e orações pedindo proteção à santa para o ano todo.

Depois da bênção do pároco da cidade, os fiéis pegam a madeira e saem quase que correndo pelas várias ruas de União dos Palmares carregando o tronco, geralmente com mais de 20 metros de comprimento, até chegar à Praça Basiliano Sarmento, local onde é erguido o mastro, em frente à Igreja Matriz, onde também acontece a maior parte da programação da festa.

Seguindo a tradição centenária, o mastro é carregado nos ombros, por homens, como forma de penitência por alguma graça alcançada. O que se observa todos os anos em União dos Palmares é um misto de fé e devoção por parte dos palmarinos à sua padroeira.

Segundo estudiosos, a penitência do mastro é uma forma de promessas serem pagas e uma maneira de pedir novas graças à santa padroeira. O mastro é importante para os festejos pois recebe, durante a procissão luminosa, realizada no dia 23, a bandeira com a imagem de Santa Maria Madalena, simbolizando o início do maior evento religioso da Zona da Mata alagoana, a Festa de Santa Maria Madalena.

A procissão é acompanhada por milhares de pessoas, cada uma demonstrando a sua fé à sua maneira. Algumas pessoas acompanham o cortejo a pé, algumas descalço, outros vão a cavalo, bicicleta, moto, carroça ou como preferirem.

Mas, estranhamente, quando termina o erguimento do mastro, que é o ritual religioso, a Avenida Monsenhor Clóvis se transforma num ritual pagão e dezenas de jovens, alterados por bebidas alcoólicas, fazem exibições em cima dos cavalos suados, já cansados do percurso da procissão, muitas vezes se transformando em atos violentos. É bom que essa questão seja revista pelos organizadores da festa.

'A Turma da Rolinha' divulga programação de pré-carnaval

Bloco anima as prévias de Carnaval de Maceió


O bloco 'A Turma da Rolinha', da Pongta Grossa, está de volta trazendo muita alegria e frevo no pé para os maceioenses. A programação para o pré-carnaval 2012 tem início no 1º sábado de fevereiro com a tradicional Panelada da Rolinha. Confira:

Data: 4/2/2012.
Horário: a partir das 13 horas.
Local: Sou Jorge Petiscaria, Bairro Jatiúca (na Rua do Divina Gula).
Atraçăo Musical: Orquestra de Frevo Fogo-Pagô.
Você só paga o que consumir.

E a continuação será no 2º sábado de fevereiro com o Desfile Carnavalesco:

Data: 11/2/2012.
Horário: a partir do meio-dia.
Local: concentraçăo na Praça Multieventos (Pajuçara) e saída em direçăo ao antigo Clube Alagoinhas.
Atraçőes: Orquestra de Frevo Fogo-Pagô e cantores convidados.
Preço do kit-rolinha (camisa e boné): R$ 35.
Sombrinha de frevo opcional: R$ 10.
Em breve os Kits estarão à venda.

Visite o site www.turmadarolinha.com.br e tenha mais informações. (Informações de Ivonilton Mendonça)

Colônia de Férias do Tri começa na próxima segunda-feira

Foto meramente ilustrativa
Por Assessoria

Já está tudo preparado para a I edição da Colônia de Férias do Tri-Criança: Esporte e Cidadania nos municípios alagoanos, com patrocínio da Petrobras. As atividades marcam o início do calendário de aulas do projeto, ainda com gosto de férias para a criançada. A partir da próxima segunda-feira, dia 16 seguindo até o dia 27, as manhãs e tardes dos alunos do Tri serão de muitas brincadeiras e animação.

Participam das atividades os núcleos de Maceió, Pilar, Atalaia, e Igaci, com aulas sempre as segundas, quartas e sextas-feiras. “As crianças terão aulas diferenciadas das que já acontecem durante o projeto. Foi elaborado um calendário de ações com brincadeiras, maratoninhas de corridas e de perguntas e respostas, além de atividades no mar e com bicicletas”, contou o professor Higino Vieira, coordenador executivo do O Consolador.

Na programação das atividades para o primeiro dia (16/01) as crianças participaram de brincadeiras e jogos populares. No dia 18 acontece a maratona de perguntas e respostas, já no dia 20, as crianças participaram de um passeio, onde irão redescobrir suas cidades, passando pelos pontos principais dos municípios.

Na segunda semana, serão realizadas várias maratoninhas de corridas, começando no dia 21, com os núcleos de Atalaia, Pilar, Igaci, e Maceió. No dia 23, as crianças terão atividades no mar e no dia 25, de ciclismo. Na sexta-feira, 27 o encerramento das atividades será marcado pela maratoninha de corrida da Barra de São Miguel e de uma grande Gincana.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

União garante presença na Feira dos Municípios

Por Ascom/UP

Faltam apenas alguns dias para o início da Feira dos Municípios Alagoanos e para ajustar os últimos detalhes da participação de União dos Palmares no evento, a Secretaria Municipal de Turismo se organiza para levar até a feira, os melhores produtos artesanais da cidade. Já cadastrados os artesãos palmarinos estarão presentes em todos os dias da feira para mostrar seus talentos e vender suas peças.

A feira em 2012 será no período de 19 e 22 de janeiro, no Centro de Convenções, em Maceió. A mudança foi escolhida pela atual gestão para atrair ainda mais turistas, já que é o mês de altíssima temporada. A secretária Izabel Maia Gomes, garante que como em todos os anos, o estande de União dos Palmares terá uma atenção especial da administração.

“O prefeito Kil tem interesse e uma paixão muito grande pelo turismo e a história de nossa terra. Nosso estande nas últimas feiras foi um dos mais visitados e continuaremos a trabalhar para que nesta edição possamos alcançar ainda mais visitantes e compradores”, afirmou.

Durante a reunião, devem ser passadas informações estruturais, como o horário de funcionamento e montagem dos estandes e das atrações folclóricas, além de detalhes sobre o concurso Miss Municipal.

“É muito importante que cada município envie seu representante, pois as informações serão primordiais para manter o sucesso da feira”, afirmou Adilson Pereira, do Instituto Brasileiro de Consultoria a Municípios (Ibcom).

Coordenada pela Associação dos Municípios Alagoanos, o evento já se tornou marcou no calendário turístico do Estado. Seguindo o sucesso deste ano, a AMA mantém em 2012 a parceria do Ibcom, que fica responsável pela organização do evento.

“Esperamos repetir o sucesso da parceria, pois a AMA aposta em inovações que possam oferecer novas oportunidades de negócios e assegurar a visibilidade de um evento tão importante para a arte, cultura, turismo e políticas públicas", garante Abrahão Moura, presidente da associação.

Jornalista Plínio Lins inicia projeto 'Fora de Pauta' em 2012

Foto de Olívia de Cássia-7-9-2010
Projeto será comandado pelo engenheiro Mário Agra

Por Olívia de Cássia, com assessoria

O jornalista Plínio Lins inicia amanhã, 12, a partir das 20h, no Barroco Comedoria, no Jaraguá, o projeto “Fora de Pauta”, comandado pelo engenheiro agrônomo Mário Agra (foto). Segundo Mário, o projeto tem o objetivo de envolver jornalistas alagoanos em uma série de debates e entrevistas.

“No jornalismo político podemos dizer que os jornalistas estão no comando de tudo, sempre na espreita com o olhar fixo e o faro bem apurado à procura de uma boa pauta, sempre à procura de um assunto polêmico, um furo de reportagem, uma informação valiosa e principalmente uma pergunta constrangedora”, observa Mário.

Segundo ele, geralmente os políticos são o alvo principal, “estão sempre na mira de uma caneta ferina, de um texto que, sem rodeios, raz à tona os principais acontecimentos da história atual. Mas, e se os papéis fossem trocados?” Essa é a ideia do projeto ‘Fora de pauta’, diz o criador da proposta.

O “Fora de Pauta” é um projeto diferente, descontraído, que levará semanalmente um jornalista para o Barroco Comedoria, localizado no boêmio bairro do Jaraguá, na Rua Sá e Albuquerque.

O primeiro entrevistado, Plínio Lins, foi pioneiro em projetos desse tipo em Alagoas com o “Conversa de Botequim”. Boêmio, aventureiro, bancário, militante do PCdoB, assessor parlamentar de Renan Calheiros e posteriormente Eduardo Bomfim (PCdoB).

Lins participou juntamente com Cláudio Humberto Rosa e Silva da coordenação de campanha de Fernando Collor para governo de Alagoas e também fez parte da equipe de comunicação na campanha de Lula em 89 e ainda foi secretário de Comunicação de Djalma Falcão na Prefeitura de Maceió.

O evento terá a participação do compositor Herman Torres e do ator e poeta Chico de Assis. Mário Agra comandará o bate-papo da noite e em seguida os presentes também poderão fazer suas perguntas ao convidado. “Será um bom momento para perguntarmos o que ele nunca disse em público”, afirma Mário Agra.

Até agora, além de Plínio Lins, já confirmaram os seguintes jornalistas e radialistas: Joaldo Cavalcante; Antônio Pereira; Marcelo Firmino; Roberto Vila Nova; Jorge Oliveira; Ricardo Mota; Valdice Calheiros; Luiz Dantas; Ênio Lins; Zé Elias; Eliane Aquino; França Moura; Fátima Almeida; Edvaldo Júnior; Gorete Pompe; Canetinha; Odilon Rios; Luis Vilar; Manoel Miranda; Marcos Rodrigues; Antonio Sapucaia, Flávio Gomes de Barros; Antonio Torres; Miguel Torres; Maresia; Luiza Barreiros entre outros. A entrada é gratuita.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Segunda edição do Passeio no Parque movimenta a Serra da Barriga

Fotos de Olívia de Cássia-8-1-2012

Olívia de Cássia – Repórter

A segunda edição do evento cultural Passeio no Parque, promovido pela representação do escritório regional da Fundação Palmares, aconteceu neste domingo, dia 8, na Serra da Barriga, e levou à Terra da Liberdade grupos culturais, estudantes e o ex-deputado estadual e suplente de deputado federal Paulo Fernando dos Santos (o Paulão), do PT.

Segundo Genisete de Lucena Sarmento, representante do escritório da Fundação Palmares no Estado, a proposta da entidade é realizar este evento na Serra da Barriga uma vez por mês. “A nossa ideia é ocupar o espaço, que é muito ocioso; muito visitado, mas só movimentado no período da Consciência Negra. Queremos fazer esse tipo de atividade na Serra da Barriga o ano todo, para mostrar a riqueza do local”, destaca.

Genisete observa que no próximo dia 6 de fevereiro é o dia que marca o fim do Quilombo dos Palmares e que pretende lembrar a data histórica com algum evento na Serra. “Pretendemos fazer também um evento para lembrar a data, da madrugada do dia 5 para o dia 6; só não sabemos ainda que tipo de evento nós vamos fazer; vai depender dos apoios e das parcerias que teremos”, reforça.

Nesta segunda edição do Passeio no Parque teve o primeiro Banquete dos Ancestrais, onde foi servido um cardápio afroindígena no restaurante Kùuku-Wàana (Banquete Familiar), pela mãe Neide e sua equipe. Diversas atrações culturais se apresentaram na Serra da Barriga, como o Grupo de Dança Brilho da Paz, Grupo de Capoeira Palmares – Maculelê e a Banda Afro Zumba.

Patrícia Araújo é professora de história nas escolas Moreira e Silva, no Cepa, e no Colégio de São José, ambas escolas de Maceió. Ela diz que fez um trabalho com os seus alunos mostrando a cultura afro, mas conta que foi a primeira visita que fez ao Parque Memorial Quilombo dos Palmares.

“É a primeira vez que venho aqui, mas me senti como se estivesse na época do quilombo; é tudo muito organizado, todos conviviam aqui pacificamente. Fiz umas fotos e vou levar para mostrar aos meus alunos”, disse a professora.

Dona Maria Zélia coordena o Grupo de Dança reggae Brilho da Paz, da comunidade Alto do Cruzeiro, em União. O bairro é um local carente e tem outros grupos culturais como o coco de roda, que trabalha com jovens e crianças em estado vulnerável. O grupo Brilho da Paz já faz apresentações de reggae há 14 anos, tem 18 componentes, a maioria mulheres.

Dona Zélia diz que já levou o grupo para vários municípios e que também fez apresentações em escolas. “Comecei com crianças de cinco anos; hoje tem meninas de 14 a 23 anos, tem DJs no Morro das Cobras que foi formado pelo grupo, mas ninguém valoriza e eu já estava com vontade de desistir; foi aí que recebemos o convite de Genisete (Fundação Palmares) e estamos aqui”, conta dona Zélia.

Outro representante de grupo cultural que estava na Serra da Barriga neste domingo foi Djalma Roseno Filho, presidente da Agrucenup, entidade que reúne 23 grupos culturais de União dos Palmares como capoeira, coco de roda, banda afro, grupo de reggae, guerreiro e dois grupos de dança e teatro.

Djalma conta que a entidade recebe uma subvenção de 300 reais da prefeitura e quando tem apresentações nas cidades faz parcerias e recebem um pequeno cachê simbólico, como no dia 20 de novembro. “E ainda dizem que estamos ficando com dinheiro”, reclama.

VIXE MARIA

Luana Tavares é integrante do Grupo de Estudos Culturais Vixe Maria, também de União, que trabalha com dança afro e teatro. O grupo conta com 49 participantes e tem parceria da Fundação Palmares.

Ela conta que Vixe Maria existe há quatro anos, tem uma peça montada e está preparando outro trabalho para, no mês de outubro, fazer apresentação. “Estamos com uma peça em cartaz “Entre Deus e o Diabo, Lampião”, em parceria com a Fundação Palmares e o Projeto Inaê”, disse Luana.

Dois ônibus do município de Colônia Leopoldina levaram estudantes ao local, que também recebeu professores e estudantes de Maceió, Ibateguara, União, entre outros locais. Antes de iniciarem as apresentações dos grupos culturais a mestre de cerimônia pediu um minuto de silêncio, pela morte de dona Maria, uma das cozinheiras do grupo da Mãe Neide, que administra o restaurante do Parque Memorial Quilombo.