sábado, 30 de junho de 2012

Ex-governador Mano terá o comerciante Zé Clemente como vice

Foto de Ivan Nunes - A Palavra
Olívia de Cássia, com informações de Ivan Nunes (blog A Palavra)

Faltando poucas horas para encerrar o prazo das convenções no Estado, o PSDB, em União dos Palmares, que tem o ex-governador Manoel Gomes de Barros no comando, escolheu como vice na chapa o comerciante José Clemente, da Brhama, irmão do prefeito de São Miguel dos Campos, George Clemente.

Segundo o blog A Palavra, do jornalista Ivan Nunes, para chegar ao nome de Clemente, foram várias negociações e conversas. Nesse processo de escolha foram cogitados os nomes de Jaiminho Vergetti, Iran Menezes e Zé Alfredo (PCdoB), mas alguns entraves envolvendo cada um levaram à escolha de Clemente.

Em entrevista a Ivan Nunes depois da convenção, o ex-governador Manoel Gomes de Barros, candidato do atual prefeito Areski Freitas (PTB), disse que soube esperar de forma paciente, para a escolha do seu vice.

Mano teria dito que “sabia que encontraria um nome que pudesse aglutinar esforços e pensamentos iguais aos meus nessa força-tarefa de continuar trabalhando, ajudando União dos Palmares”, observou.

No que se refere à escolha do nome de Zé Clemente para compor a sua chapa política, o ex-governador respondeu ao jornalista que União dos Palmares saberá reconhecer como sempre fez a disposição política do grupo.

”A chegada de Zé Clemente vai ser possível enfrentar problemas de ordem administrativa. Ele é um dos pilares do crescimento desta cidade”, disse.

Mano e Zé Clemente vão enfrentar o candidato de oposição Beto Baia (PSD), que tem como vice o agropecuarista Eduardo Pedrosa (PTB) irmão do falecido prefeito José Pedrosa. A convenção do PSD aconteceu na quinta-feira e reuniu 14 partidos políticos, entre eles o Partido dos Trabalhadores, o PTN, PMN, PSD, PTB, entre outros.

Manoel Gomes de Barros, que começou sua carreira política em União dos Palmares, foi prefeito do município, deputado e como governador de Alagoas completou o mandato do governador Divaldo Suruagy.

No exercício do cargo, disputou a reeleição em 1998, perdendo o pleito para Ronaldo Lessa, do PSB, que com 387.021 ganhou as eleições no primeiro turno, contra 259.463 votos conferidos a Manuel Gomes de Barros. Agora, Mano tenta encerrar um ciclo voltando a governar o município.

A política em União dos Palmares esse ano está muito misturada e vai ficar difícil para o eleitor tomar uma posição. Será mais uma empatia pessoal, uma relação de amizade, como sempre tem sido no interior, do que uma disputa partidária e de propostas.

Do lado de Mano estão a família Praxedes, que tem o vereador Bruno Praxedes (PSDB), presidente da Câmara, o prefeito Areski Freitas, o Kil, e outras forças do município.

Do lado do médico Beto Baia o ex-deputado federal Francisco Tenório (PMN), o deputado federal João Caldas (PSDB), o deputado estadual João Henrique Caldas (PTN) filho de João Caldas e o senador Fernando Collor (PTB), entre outros partidos.

O jogo vai começar e o resultado só saberemos quando abrirem as urnas, em outubro.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Viva São Pedro!

Olívia de Cássia- jornalista

Hoje é Dia de São Pedro, o último santo comemorado nas festas juninas. Na maioria das cidades do Nordeste a festa é comemorada com muita alegria, fogueira, quadrilha e animação. Nesta época acontecem várias queimas de fogos com danças e muitas comidas típicas.

São Pedro é considerado o mais sério dos três santos juninos. Dizem que santo Antônio é o santo casamenteiro, mas é no dia de São Pedro que se escolhe o melhor pretendente, segundo conta a lenda. São Pedro, que é considerado o padroeiro dos pescadores e primeiro papa da Igreja Católica.

Em homenagem ao santo, que é festejado nas celebrações juninas juntamente com Santo Antônio e São João, fogueiras são acesas e "barqueatas" - procissões no mar - são promovidas. No entanto, São Paulo, que também é celebrado no dia 29 de junho, acabou ficando de fora das festas do mês.

Segundo a tradição católica, a coincidência das datas não é por acaso, mas sim porque Pedro e Paulo teriam sido julgados e condenados à morte no mesmo dia. Contudo, não há uma explicação definitiva sobre as razões que fizeram com que São Paulo acabasse ficando esquecido nos festejos juninos.

No Nordeste, há algumas décadas, era comum que duas fogueiras fossem acesas no dia 29 de junho, mas o hábito acabou praticamente perdido, restrito a poucos registros na zona rural.

Em Alagoas hoje foi feriado, comemorado em homenagem ao alagoano Floriano Peixoto, ex-presidente do Brasil, mas pouca gente sabe disso também, acha que o feriado foi por conta de São pedro.

Aqui na rua, a única coisa que lembra o Dia de São Pedro é uma fogueira que queima solitária, sem ninguém por perto. Muito diferente das festas do interior, onde tem muita animação, forró e alegria.

Cheguei há poucas horas do trabalho, estou cansada, sem muita animação pra nada e daqui a pouco eu vou dormir. Hoje já aconteceram seis assassinatos na capital alagoana, uma triste estatística para um Estado que tenta, com um plano de segurança recém-lançado, sair da estatística dos que mais matam.

O sexto assassinato aconteceu no Jacintinho, área considerada de risco, onde todos os dias acontecem mortes por bala. É preciso reagir contra isso, não podemos continuar amargando essa fama.

Meus gatos bagunçam a casa toda, eles e a TV ligada para ninguém; fazem as vezes da casa, para que o silêncio total não tome conta disso aqui. Não tem como a gente não ser saudosista quando vai ficando velho mesmo.

Hoje tem show de Elba Ramalho no Jaraguá, mas da mesma forma que ia trabalhar não sabia a hora que ia sair e nem me animei para articular uma ida ao show. Não deu para ir.

E diante do nada só me resta ficar lembrando do passado, das festas juninas de antes, da minha vida no interior, de outras paisagens e de outros momentos vividos. A vida é assim. Viva São Pedro!

Medeiros estranha desculpa de Adriano Soares para não comparecer à ALE

Olívia de Cássia - Ascom


O deputado Ronaldo Medeiros (PT) disse hoje ter estranhado no final da tarde de ontem a afirmativa do secretário estadual de Educação, Adriano Soares, de que não ia comparecer à convocação da Comissão de Transporte, Comunicação, Serviços e Obras Públicas da Assembleia, da qual ele é presidente.

O deputado do PT tem feito críticas no plenário da Assembleia a respeito do atraso das obras nas escolas e por conta do ano letivo der 2011 que sequer terminou. Por esse motivo, Medeiros propôs no plenário da Assembleia e á Comissão fazer a convocatória ao secretário.

“Fizemos a convocação por ofício; no final da tarde de ontem, estranhamente, fui informado que o secretário Adriano Soares não ia comparecer na segunda-feira, às 9 horas, como tinha sido oficializado, alegando que nesse dia estaria em Brasília”, reclamou o deputado.

Medeiros disse também que muito lhe estranha esse ‘esquivamento’ do secretário Adriano Soares. “Na certa não terá o dizer aos alagoanos, pelo prejuízo que a educação estadual está amargando”, observou o petista.

ENTENDA O CASO

A proposta para que o secretário preste esclarecimentos à ALE foi feita pelo deputado estadual Ronaldo Medeiros (PT), na sessão ordinária do último dia 14, quando ele questionou o secretário Adriano Soares pelo atraso no início do ano letivo em muitas escolas alagoanas. Muitos pais de alunos culpam o atraso nas reformas das unidades de ensino.

Em seu pronunciamento, o deputado Ronaldo Medeiros lembrou que algumas escolas – principalmente do Agreste e do Sertão – estão com os prédios em condições de funcionamento, mas não têm professores disponíveis.

Medeiros destacou a falta de qualidade na educação pública do Estado e disse que em um concurso público o aluno da rede pública não tem praticamente nenhuma chance de concorrer com um aluno de escola particular.

Oposição escolhe Beto Baía e Eduardo Pedrosa para disputar as eleições deste ano

Por João Paulo Farias -O Relâmpago - Fotos: Dallas Diego

A convenção para escolha dos candidatos a majoritária e proporcional da oposição de União dos Palmares, realizada na tarde desta quinta-feira, 28, indicou o médico Beto Baía (PSD), prefeito e o agropecuarista Eduardo Pedrosa (PMN), vice-prefeito, para disputar as eleições deste ano.

O evento reuniu centenas de pessoas, no pátio do Colégio Santa Maria Madalena, com as presenças dos representantes, presidentes e candidatos a vereador dos 14 partidos que compõem o “Frentão”, o deputado federal João Caldas, junto com seu filho e deputado estadual, João Henrique Caldas (PTN), o ex-deputado Federal, Francisco Tenório (PMN)e os vereadores Edvan Correia, Alan Elves, Julio Paulino, Cícero Aurélio, Almir Belo e Manoel Feliciano.

O deputado federal João Caldas (PSDB), destacou a importância da composição Beto Baía e Eduardo Pedrosa no desenvolvimento de União dos Palmares, “Firmo compromisso com esse grupo sem medo e acredito nessa efervescência política”, disse.

O senador Fernando Collor (PTB), não pode comparecer à convenção, mas via telefone firmou com os presentes ao evento seu compromisso em apoiar o grupo nas eleições deste ano, “o Beto Baía e Eduardo Pedrosa irão respeitar as grandezas de União, eles irão ouvir o que o povo precisa e não irão governar com a chibata”, observou Collor.

A presidente do PT em União, Genisete Lucena, destacou a criação do grupo de oposição, encabeçado pelo PC do B, que nesses dois meses reuniu quase vinte partidos na oposição, acreditando na mudança do quadro político de União dos Palmares.

“Acredito nesse grupo e no dia 7 de outubro União sairá do atraso que manda aqui há mais de 40 anos. Vamos reescrever a historia de União dos Palmares”, disse.

O ex-deputado federal, Francisco Tenório (PMN), disse que o partido marchará com esse grupo, Tenório parabeniza os partidos do “Frentão” e disse que Beto e Eduardo farão um governo sem chicote. “Vamos trazer mais pessoas para compor com esse grupo, Beto e Eduardo irão ser eleitos com a maioria da população de União”, destaca.

O deputado estadual, João Henrique Caldas (PTN), falou da importância da frente de oposição e de como o grupo poderá administrar de forma participativa o município de União. JHC lembra da importância da juventude no processo político e administrativo, agradecendo ao apoio da população de União, que o concedeu mais de dois mil votos em 2010.

O candidato a vice-prefeito, Eduardo Pedrosa, disse que fez a escolha certa e que irá trabalhar junto com o Beto Baía pelo desenvolvimento de União.

Já o candidato a prefeito, Beto Baía, destacou a frente de oposição e disse que irá trabalhar ouvindo a todos, vereadores e população. “Não irei trabalhar como um ditador, precisamos virar a pagina de União mudança é fundamental, vamos fazer um governo participativo”, disse Beto.

O candidato ressalta que a equipe dele já está montando um projeto de governo voltado a todas as necessidades da população do município, destacando, saúde, educação e infraestrutura, como metas principais do seu governo.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Grupo Dona Mariquinha apresenta-se no Deodoro, dia 4

Na próxima quarta-feira, 4, o Grupo Dona Mariquinha apresenta-se no Teatro Deodoro, com o espetáculo “Cerzindo Ritmos”, com apresentação de coco de roda, baiana, maracatu, guerreiro, taieira, pastoril, bumba meu boi, entre outros fazendo com que o público que o prestigia se surpreenda e se identifique passando a ser mais um integrante do Grupo.

Segundo Rose Mendonça, vocalista do Dona Mariquinha, o Grupo iniciou sua trajetória artística em 2010, por meio da união de percussionistas do Maracatu Baque Alagoano. “O Dona Mariquinha, objetivando pesquisar o toque do tambor com o canto dos folguedos existentes no Brasil expressa sua musicalidade em meio as canções populares e autorais”, conta Rose Mendonça.

O Dona Mariquinha, mergulhado na sabedoria popular, apresenta em seu espetáculo “Cerzindo Ritmos” a combinação dialógica do cancioneiro popular com composições autorais e leva o público a mergulhar no que há de melhor na diversidade cultural brasileira da música popular de raiz.

O espetáculo “Cerzindo Ritmos” tem duração de uma hora e dez minutos, com um repertório de quinze canções, com a percussividade de Théo Macaíba – Zabumba, Régis Curió – Pandeiro, Jairon Santos – Caixa, Dalmo Santos – Efeitos e Tambores e a voz melodiosa de Rose Mendonça.

APRESENTAÇÕES

O Grupo Dona Mariquinha participou da Festa da Música do Sesc-Alagoas – Femusesc 2011, da Mostra Aldeia Sesc Guerreiro das Alagoas, Feiras dos Estados e Nações e da Reforma Agrária, Seminário sobre Cultura Alagoana do Centro Superior de Ensino de Maceió, Projeto Engenho de Folguedos do Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore. Firmou parcerias com a Federação Nacional dos Securitários – Fenespic e Ses Alagoas. Contatos: (82) 9334-6740/9978-4701/8821-1178 - rosemendonca2007@gmail.com e grupodonamariquinha.blogspot.com

Serviço: Dona Mariquinha Cerzindo Ritmos no Projeto Teatro Deodoro é o Maior Barato.
Local: Teatro Deodoro/Praça Deodoro, Maceió-AL.
Data: 4 de Julho de 2012.
Horário: 19h
Valor: R$ 10 - Inteira.
R$ 5 Meia.

Lançado o Programa Brasil mais Seguro

Por Olívia de Cássia

O Governo do Estado lançou na manhã desta quarta-feira, o Programa Brasil Mais Seguro, em conjunto com o governo federal, que será um grande desafio. No início da manhã, o Plano já entrou em ação e segundo o que foi informado, serão mobilizados 400 policiais e quatro helicópteros em Maceió e Arapiraca.

Os 400 policiais serão das PM, Polícia Civil e da Força Nacional sem contar o pessoal da PF e PRF. Nesta manhã, os policiais cumprem mais de 120 mandados de prisão, o que mobilizou 40 delegados, que vão formalizar o cumprimento das decisões judiciais.

Além das viaturas policiais, os quatro helicópteros – três em Maceió e um em Arapiraca – estão dando suporte à operação. Segundo a assessoria do governo, o alvo inicial é, principalmente, o tráfico de drogas, mas os mandados de prisão envolvem também vários acusados de homicídio.

O governador, em seu discurso no Centro de Convenções, disse que 80% dos crimes que acontecem no Estado estão relacionados ao tráfico de drogas. O governador observou que o objetivo do Programa Brasil Mais Seguro é reduzir drasticamente os índices de homicídios em Alagoas.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, chegou hoje de madrugada a Maceió e deve acompanhar de perto algumas ações das forças policiais.

Segundo o que foi anunciado no lançamento do Programa, serão realizados concursos públicos para as polícias Civil e Militar. Serão oferecidas 1.440, sendo 1.040 para a Polícia Militar (PM) e 400 para a Polícia Civil.

As vagas para a PM serão distribuídas entre 1.000 praças (soldados, cabos e sargentos) e 40 oficiais (a partir de tenentes). Para a Civil, serão 40 vagas para o cargo de delegado e 360 vagas para os cargos de agente policial e escrivão de polícia.

O ministro José Eduardo Cardozo destacou que é necessário desenvolver políticas de inclusão social para reduzir os índices de criminalidade, mas disse que também é necessário equipar as polícias e proporcionar elementos para a elucidação de crimes.

Ainda de acordo com Cardozo, o Ministério da Justiça enviará homens da Força Nacional para o Estado até que os concursos anunciados sejam concluídos e os novos policiais estejam aptos para atuar nas ruas. Os policiais alagoanos também terão capacitação especial, com treinamentos proporcionados pela União.

O Plano anunciado parece ser bom e interessante, esperamos sinceramente que tenha um saldo positivo e que realmente cumpra o seu objetivo, o que está escrito no papel e que não seja mais um plano eleitoreiro, para disponibilizar dinheiro para a campanha eleitoral que se aproxima.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Petista critica atitude de capitão da PM de Poço das Trincheiras

Foto de Olívia de Cássia - arquivo
Por Olívia de Cássia com Camila Ferraz

Na sessão ordinária desta terça-feira, 26, na Casa de Tavares Bastos, além dos protestos dos deputados pelo veto do Ibama à instalação do estaleiro Eisa, o deputado Ronaldo Medeiros (PT), fez um pronunciamento onde pediu punição para o capitão Winston Santana, do município de Poço das Trincheiras que, segundo ele, ameaçou os organizadores da “Trilha de Motocicletas” do município, que percorre trilhas nos povoados e sítios da região e acontece há mais de 11 anos.

Segundo o deputado, a denúncia de ameaça foi feita pelos próprios organizadores da Trilha. “O evento foi comunicado oficialmente à Polícia Militar, Ministério Público, ao Poder Judiciário, à prefeitura e ao Conselho Tutelar; a todas as autoridades envolvidas com o evento”, disse o deputado.

Medeiros observou que foi informado pelos moradores do município que o capitão Winston Santana, assim que tomou conhecimento da realização da Trilha passou a ameaçar os organizadores em todos os locais, dizendo que “o evento não iria acontecer, que quem mandava na cidade e no trânsito era ele”.

O deputado disse ainda que, quando se deslocava para o evento, foi comunicado pelo senhor Valmiro, liderança local, que o capitão estava chegando à cidade com seis viaturas, mais de 15 homens fortemente armados, atirando, prendendo de forma agressiva todas as motos do evento.

Medeiros destaca que a atitude intempestiva do capitão Winston Santana colocou a vida e a integridade de todos em risco. “A previsão do evento era de mais de 400 participantes e alguns ainda estavam chegando à cidade”, destacou o deputado.

Ainda de acordo com Medeiros assim que o capitão Winston Santana tomou conhecimento que alguns motoqueiros ainda estavam chegando para o evento ordenou que duas viaturas se deslocassem até a entrada da cidade e proibissem que novos participantes entrassem no município.

O deputado disse ainda que estranhou a quantidade de policiais e viaturas que estavam na cidade e que se dirigiu ao capitão e pediu explicações: “Para minha surpresa, ele disse que existiam várias motos irregulares e que também não poderia dar segurança aos participantes e “decidiu” cancelar e proibir”, conta Medeiros.

O deputado disse que estranhou o fato de um oficial de alta patente da Polícia Militar, que deveria estar combatendo o crime e a violência “estar efetivamente promovendo um ato insano, violento, truculento, proibindo jovens e adultos de se divertirem”, reclama.

No final de seu pronunciamento, o deputado apelou para que as autoridades competentes tomem as devidas providências em relação à atitude de Santana, para que “punam o capitão, e sirva de exemplo”.

Parecer negativo do ibama à instalação de estaleiro repercute na ALE

Foto de Olívia de Cássia-arquivo
Por Olívia de Cássia, com agências

O parecer do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) dando parecer contrário à instalação do Estaleiro Eisa Alagoas na área conhecida como 5A, na costa litorânea do município de Coruripe, foi tema debatido na Casa de Tavares Bastos na tarde desta terça-feira, 26.

O deputado Gilvan Barros (PSDB) criticou a atitude do Ibama e disse que o Ibama deveria entender que é melhor prejudicar meia dúzia de caranguejos do que deixar de salvar milhares de alagoanos.

“Esses técnicos, que estão a serviço não sei de quem, não têm consciência de que estão fazendo um desserviço a Alagoas, de que estão fazendo o que não interessa ao povo. Acreditar naquele parecer é como acreditar em Papai Noel”, disse Gilvan Barros.

Em aparte, o deputado João Henrique Caldas (PTN) disse que a negativa do Ibama para a instalação do estaleiro em Alagoas foi uma "notícia muito triste" para todos os alagoanos”.

O Democratas Jefferson Morais também saiu em defesa da instalação do Eisa e lamentou o parecer, que segundo ele traz para milhares de alagoanos que investiram em cursos profissionalizantes e se qualificaram para uma carreira profissional.

“Tudo isso não vai adiantar de nada. O governo federal foi de encontro à vontade da população, por isso, sugiro que a Assembleia Legislativa de Alagoas elabore um manifesto contra a decisão do Ibama e que tal documento seja encaminhado à Presidência da República e à direção nacional do Instituto, em Brasília”, sugeriu Morais.

Também o deputado Inácio Loiola (PSDB) concordou com as falas contra o Ibama e disse que o parecer foi político e não teve nada de técnico. “É triste estarmos aqui dizendo que o Ibama condenou a instalação do estaleiro Eisa, enquanto, num passado recente, autorizou a realização do maior projeto criminoso contra o meio ambiente, que foi a transposição das águas do rio São Francisco”, reclamou.

RECURSO

Em declarações à imprensa o governador Teotonio Vilela (PSDB), afirmou nesta segunda-feira (25), que vai recorrer da decisão do Ibama, que vetou a licença de implantação do estaleiro Eisa Alagoas S.A.

Vilela disse que a vinda do estaleiro para Alagoas significa desenvolvimento e crescimento econômico para o Estado, porém, os técnicos do Ibama consideram o local escolhido para a construção como “não ambientalmente viável para a instalação do empreendimento”.

Êxodo rural: uma das causas da violência

Olívia de Cássia – jornalista

Muitas são as causas apontadas para o crescente aumento da violência no Brasil e no mundo. Um desses motivos foi o êxodo rural que se deu de forma acentuada no século XX. As famílias foram expulsas do campo, em busca de melhores condições e qualidade de vida.

Algumas se deram bem; outras amargaram a marginalização e a moradia em favelas nas grandes cidades. Essa baixa qualidade de vida e favelização geraram o aumento crescente da violência, o consumo e o tráfico de drogas.

Segundo Maurício Novaes Souza, engenheiro agrônomo, mestre em Recuperação de Áreas Degradadas e doutor em Engenharia de Água e Solo pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), “a ausência de definição de uma política agrícola focada no longo prazo, propiciou uma acelerada onda migratória do campo para os meios urbanos durante as décadas 70 e 80 do século passado”.

A consequência maior desse fenômeno foi o aumento do número de consumidores que não são produtores. “A grande maioria dos migrantes era produtora de alimentos de subsistência, com um pequeno excedente destinado ao mercado”, observa Maurício Novaes.

Ele diz que a agricultura moderna era voltada para a exportação ou produtos agroindustriais não alimentares, tais como álcool de cana, soja e milho para ração animal. Como consequência, houve uma relativa queda na oferta de alimentos com efeitos imediatos no custo de vida.

Maurício, que é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerai, perito da Promotoria do município de Rio Pomba e Assessor da FAPEMIG, explica que a sociedade brasileira levou menos de 50 anos para transformar-se de um país agrário, exportador de produtos primários, em uma sociedade de base urbano-industrial, em que a exportação de produtos industrializados corresponde a mais da metade das exportações totais.

Dessa forma, devido às precárias condições da infraestrutura básica urbana, proliferaram as favelas em beiras de rio, com riscos de alagamento e, nas encostas, com riscos de desabamento, além das condições sanitárias e de habitação subumanas.

Outra consequência, segundo observa Maurício, é a exclusão da mão-de-obra, deixando uma camada de 20 a 30% no desemprego ou subemprego, provocando a redução no consumo de alimentos e o aumento da subnutrição dessa população migrante, aumentando significativamente a criminalidade.

Maurício Novaes Souza coloca em seu estudo, publicado em seu blog http://mauriciosnovaes.blogspot.com.br/2008/07/o-xodo-rural-e-urbanizao-triste.html, que outro sério problema criado por esse modelo foi o processo de minifundização, que conduz à pauperização e à degradação, perpetuando-se o ciclo que acelera o êxodo rural e ampliam-se os problemas urbanos.

Para que isso se resolva é necessário que os governos invistam em políticas agrárias que fixem o homem no campo, dando qualidade de vida para que produza e possa proporcionar vida digna a suas famílias.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Deputado Ronaldo Medeiros participa de entrevista coletiva com a bancada do PT

Foto de Olívia de Cássia-25-6-2012
Olívia de Cássia - Ascom

O deputado Ronaldo Medeiros participou da entrevista coletiva para a imprensa, convocada pela a bancada do PT na Assembleia Legislativa e na Câmara de Vereadores de Maceió, para falar sobre o Plano Nacional de Combate à Criminalidade, que será lançado em Alagoas ainda esta semana.

Na entrevista a bancada do PT apresentou os dados levantados que deram origem ao Programa que será implantado no Estado, que atualmente ocupa a primeira posição em taxas de homicídios no Brasil. Grande parte deles ocorre nas duas cidades com maior concentração populacional, que são Maceió e Arapiraca, onde o programa será dirigido inicialmente e em mais 12 cidades do interior.

O programa do Ministério da Justiça para Alagoas tem o objetivo específico de induzir e promover a atuação qualificada e eficiente dos órgãos de segurança pública e do sistema de Justiça criminal para redução dos índices de violência e criminalidade no Estado de Alagoas

Segundo o deputado Ronaldo Medeiros, das 604 solicitações de perícia no tocante a homicídios, considerando o período de janeiro a maio de 2012, 590 laudos estão pendentes, isso corresponde a 97% dos laudos. Medeiros explicou que a bancada do Partido dos Trabalhadores no Estado vai acompanhar todo o funcionamento do Projeto, que tem um conjunto de ações, fiscalizando e cooperando “para que vidas sejam salvas”.

Segundo ele, o Programa de Redução da Criminalidade Violenta “Brasil sem Violência em Alagoas”, que tem título provisório, é muito parecido com o plano que foi implantado em Pernambuco. Mas ele observa que o Estado não pode diminuir investimento na área, porque está chegando verba federal. “Ele tem que continuar com seu investimento. Essa é uma preocupação da bancada”, disse ele.

O petista explicou que a bancada do PT na Casa de Tavares Bastos vai montar um grupo de trabalho, para acompanhar toda a execução do plano aqui em Alagoas e que vai propor, inclusive, “que esse acompanhamento seja da Assembleia, não só da bancada; se a ALE não concordar, o partido vai fazer esse acompanhamento”, ressaltou o deputado.

Outra grande preocupação da bancada do Partido dos Trabalhadores, segundo Ronaldo Medeiros, é com relação à perícia que, de acordo com ele, tem que ser feita de forma imediata, se não ela perde a eficácia. “E com isso você privilegia os marginais”, disse ele.

O deputado observou que o Governo do Estado tem uma grande responsabilidade nesse momento, pois, segundo ele, o governo federal vai colocar à disposição do Estado: profissionais como delegados, peritos, policias, “mas tem que haver concurso público, porque a Força Nacional não vai ficar aqui ad eternum, o Estado tem que caminhar com as próprias pernas”, disse ele.

MANIFESTO

A bancada do Partido dos Trabalhadores também emitiu um Manifesto ao Povo Alagoano, observando que na reunião com a Secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Mink, a bancada apresentou cinco preocupações e indicou desafios, além de um conjunto de sugestões com vistas ao aperfeiçoamento do Programa.

Participaram da entrevista os deputados Ronaldo Medeiros e Judson Cabral, o vereador Ricardo Barbosa e Pedro Montenegro

domingo, 24 de junho de 2012

Aos trancos e barrancos

Olívia de Cássia – jornalista

Aos trancos e barrancos eu vou seguindo em frente nessa difícil caminhada de ter que assumir responsabilidades e deveres, de ter que cuidar de mim.

Aqui em casa não está fácil encontrar os objetos tal estado de caos se encontra e se for algum de pequeno tamanho, então, nem se fala. Uma desarrumação total. Aqui há muitas pendências para serem resolvidas.

Acordei às 11h10, ao som de músicas de Luiz Gonzaga na Rádio Educativa, pelo celular; o corpo arrebentado das duas lavadas que dei na casa, para tirar o excesso de barro e sujeira do serviço que foi feito nas paredes e no teto.

Resolvi ir ao shopping para almoçar e me desligar da bagunça que está aqui; os pedreiros não dão um desconto, sujam tudo, até a bolsa com o meu computador estava empestada de poeira e cacos de tijolos.

Dá pena de ver o estado em que se encontram meus livros, todos empoeirados e amontoados num canto que nem sei quando vão ser limpos e colocados no devido lugar. Serviço desse tipo é para quem tem muita coragem, disposição e muita gente para ajudar.

Eram reparos necessários e urgentes esses que foram feitos. E ‘quando Deus der bom tempo’, farei a outra parte. Teve uma hora ontem que deu vontade de chorar pensando em como eu ira resolver tanta pendência.

Não quero passar por aquele estado de angústia de novo, mas desde ontem que ele me ronda, feito alma penada. Aí, de repente, me lembrei da minha mãe, da fortaleza que era aquela mulher, da garra com que enfrentava e resolvia tudo lá em casa e nas nossas vidas.

Era sempre ela quem estava à frente das questões, fossem fáceis ou difíceis e então eu disse para mim que não ia fraquejar diante das dificuldades, que ia ser forte, feito dona Antônia e que vou conseguir aos poucos fazer o que tiver que ser feito aqui em casa.

Dia de São João diferente daqueles vividos na infância. Um trio de forró passa na praça da alimentação do shopping para quebrar a indiferença; a única coisa que lembrou a festa junina hoje.

Enquanto a comida não chegava eu ia observando as mesas, com várias famílias e casais, no almoço de domingo. A vida dá tantas voltas e a gente precisa aproveitar aos bons momentos vividos com a família.

Esses laços são importantes, porque quando a gente perde pai e mãe, parece que as nossas referências vão pela metade com eles. Principalmente quando se tem uma família dispersa e desunida como a minha.

O telefone toca, era meu irmão Paulinho querendo saber notícias. Ele sempre liga para manter contato, é sempre ele, querendo saber notícias do nosso irmão Petrônio, debilitado pela ataxia. Bom São João para todos!

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Bancada do PT na ALE dará coletiva à imprensa segunda-feira

A bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa Estadual (ALE) e na Câmara Municipal de Maceió (CMM) convida a imprensa alagoana para uma coletiva na próxima segunda-feira (25), às 10h, na sala anexa ao plenário da Casa.

Na oportunidade, os parlamentares irão se posicionar sobre o Plano Nacional de Combate à Criminalidade que será lançado em Alagoas, como resultado da análise feita pelos petistas em viagem a Brasília nesta sexta-feira (22).

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Medeiros diz que há irregularidades na Educação e convoca secretário Adriano Soares

Olívia de Cássia, com Sessão Pública e assessoria

Numa sessão que teve o quorum de 18 parlamentares, o primeiro deputado a fazer uso da palavra na sessão ordinária desta quinta-feira, 21, foi o deputado Ronaldo Medeiros (PT). O petista fez várias críticas ao secretário de Estado da Educação, Adriano Soares e afirmou que além do atraso no calendário escolar, o que acarretará possivelmente a perda do ano letivo, devido ao atraso nas reformas das escolas, “as famílias desses alunos também tiveram o benefício do Bolsa Família cortado”.

O deputado lembrou que para que os pais recebam o valor do benefício, os filhos devem estar devidamente matriculados e comparecendo às aulas. Medeiros relaciona, entre as irregularidades, o beneficiamento de construtoras e excesso de consultorias e sugeriu que a Comissão de Educação deve requerer explicações ao secretário; caso não haja a devida atenção, Medeiros ameaça solicitar a instalação de uma CPI para investigar o caso.

Em aparte, o deputado Judson Cabral (PT) reafirmou as críticas feitas pelo colega de bancada e avaliou que há um grave problema de gestão na área educacional do Estado. Depois do pronunciamento de Medeiros e já na tribuna da Casa, o deputado Judson Cabral lamentou o baixo quórum da sociedade e até mesmo de parlamentares na audiência pública convocada pela Comissão de Orçamento, para discutir a LDO 2013, acontecida na manhã de hoje.

Ainda na tribuna do parlamento, Cabral protestou contra a demora do IML de Maceió, que passa até 45 dias para elaboração e emissão de laudos. Ele cita como exemplo o caso de um gari que foi atropelado e por não possuir o documento, não recebe a assistência do INSS.

Ordem do Dia

Na Ordem do Dia desta quinta-feira, 21, os deputados aprovam projeto de lei complementar que cria a Região Metropolitana do Sertão; outro que cria a Região Metropolitana de Caetés; o que obriga o oferecimento de cardápios em Braille em bares, lanchonetes, motéis e restaurantes no Estado; o que dispõe sobre a obrigatoriedade de instalação de provadores de roupas adaptados à portadores de necessidades especiais e o que dispõe sobre a obrigatoriedade de adequação dos balcões destinados ao atendimento ao público para deficientes.

Terminada a Ordem do Dia, o deputado João Henrique Caldas (PTN) fez uso da palavra e retomou o debate sobre as chuvas que atingiram Alagoas há dois anos e que, até hoje, muitas famílias ainda aguardam ajuda oficial.

JHC lembrou os dois anos da tragédia que atingiu os municípios do Vale do Mundaú e do Paraíba, quando 19 municípios alagoanos decretaram estado de emergência por conta das cheias do ano de 2010.

Presentes, o presidente da Casa, Fernando Toledo (PSDB), Patrícia Sampaio (PT), Marcelo Victor (PTB), Ronaldo Medeiros (PT), Severino Pessoa (PPS), Gilvan Barros (PSDB), Judson Cabral (PT), Inácio Loiola (PSDB), Sérgio Toledo (PDT), Ricardo Nezinho (PMDB), Temóteo Correia (DEM), Luiz Dantas (PMDB), Antonio Albuquerque (PT do B), João Henrique Caldas (PTN), Dudu Holanda (PSD), jota Cavalcante (PDT), Thaíse Guedes (PSC) e Marcos Barbosa (PPS).

terça-feira, 19 de junho de 2012

JHC lembra dois anos da tragédia que atingiu Alagoas

Foto de Olívia de Cássia
Charlene Araújo - Assessoria

Durante pronunciamento na tarde desta terça-feira, 19, o deputado estadual João Henrique Caldas (PTN) lembrou os dois anos da tragédia que atingiu os municípios do Vale do Mundaú e do Paraíba, quando 19 municípios alagoanos decretaram estado de emergência por conta das cheias do ano de 2010.

“Àquela época, o presidente Lula veio pessoalmente a Alagoas e se emocionou, além de determinar que, de forma célere, recursos viessem para nosso estado, para que aquelas cidades pudessem voltar à sua normalidade”, afirmou.

JHC comparou as decisões do governo de Alagoas e de Pernambuco, onde o estado vizinho optou por não utilizar as barracas para abrigar os atingidos. “Aquelas barracas foram um grande erro. Até hoje, em Pernambuco, é pago o aluguel social para que aquelas famílias não vivam a triste realidade daqueles campos de concentração”.

O parlamentar lembrou, ainda, a iniciativa de criar a Comissão das Enchentes, na qual é presidente e que serviu como facilitadora para promover a comunicação entre prefeituras e Governo. JHC elogiou a escolha do governador ao colocar o vice, José Thomaz Nonô, à frente do Programa da Reconstrução. “Houve um andamento nas obras, que se encontravam paradas”.

Mas, apesar dessa celeridade, o deputado afirmou que ainda há muito a ser feito, pois há pessoas que continuam morando nas barracas e, aquelas que foram morar nas casas entregues ainda carecem de infraestrutura em seus lares.

JHC falou também acerca do prejuízo que alunos da rede estadual sofreram com a destruição das escolas e a transformação de algumas em abrigos. “Estes alunos estão em situação de vulnerabilidade. Havia a previsão para a construção de 73 escolas. Vi recursos do MEC serem encaminhados para cá e, no entanto, somente duas escolas foram entregues, uma em Rio Largo e outra em Atalaia”, observou.

O deputado mencionou que, se essas escolas estivessem sido entregues, muitas das crianças e adolescentes que foram prejudicados poderiam não estar envolvidos em situações de risco, tendo acesso a drogas e cometendo crimes. “É preciso educar as crianças para não punir os homens”, afirmou JHC, citando Pitágoras.

Ainda sobre a situação dos municípios atingidos pelas cheias, JHC falou sobre o Termo de Ajustamento de Conduta que foi assinado entre Governo, Ministério Público e representantes dos municípios para que fosse estabelecido um prazo para a conclusão das obras. “O prazo está se findando e ainda existem pessoas que estão em dificuldades”, finalizou.

Técnicos da operadora Oi comparecem à ALE para dar explicações sobre pane

Foto de Olívia de Cássia-19-6-2012
Olívia de Cássia – Repórter

Técnicos da operadora Oi compareceram à Casa de Tavares Bastos, na manhã desta terça-feira, 19, para prestar esclarecimentos à Comissão de Transporte, Comunicação, Serviços e Obras Públicas (CTCSOP), presidida pelo deputado Roanaldo Medeiros (PT), sobre as panes ocorridas na empresa e os prejuízos causados aos usuários, principalmente no mês de maio quando os alagoanos ficaram sem os serviços durante um dia inteiro.

Na reunião, Medeiros explicou aos presentes que encaminhou o ofício ao diretor regional da Oi, Francisco de Siqueira Filho, no sentido de que ele prestasse os devidos esclarecimentos de interesse da sociedade alagoana sobre os serviços da operadora em Alagoas.

O diretor de Operações da empresa, Luís Haroldo, falou dos investimentos que a Oi está fazendo e disse que o problema que aconteceu no mês de maio não foi só em Alagoas, mas em outros estados do Nordeste como Sergipe e Bahia, por conta do rompimento de um cabo da rede de transmissão.

“A Oi está ampliando a sua capacidade no Estado para resolver os problemas de congestionamentos e proporcionar melhor cobertura à população. Estamos substituindo os equipamentos e melhorando a capacidade com novas antenas em Maceió, em diversos bairros como Tabuleiro, Guaxuma, Santa Lúcia, entre outros”, disse Luís Haroldo.

CPI

O deputado Jeferson Morais (DEM), que também é membro na comissão, disse que os argumentos apresentados pelos técnicos da empresa não o convenceram e observou que vai propor a instalação de uma CPI na Casa, para que a comissão tenha mais subsídio e ouça mais pessoas sobre os problemas gerados pela operadora e os prejuízos que causa à população.

“A Oi é uma empresa sólida no mercado e o que tem a fazer é prestar um bom serviço à população. Existe uma série de questões que precisam ser esclarecidas”, disse Morais. Segundo o diretor de Operações, a empresa está fazendo parcerias com o Dnit (Departamento Nacional de Trânsito) para renovar a sinalização com a duplicação da BR-101.

O deputado Ronaldo Medeiros indagou aos diretores como a Oi faria para minimizar os prejuízos que os usuários tiveram com a pane do mês de maio, se em bônus ou indenização que possa reparar a sociedade pelo dano causado.

Atendendo pedido da Comissão, a empresa se comprometeu a instalar duas lojas de atendimento pessoal, investir 57 milhões para melhorar a estrutura das torres em Alagoas e a partir do dia 30 colocará novos equipamentos para ampliar os serviços no Estado.

No final da reunião, Ronaldo Medeiros observou que vai levar a questão para os demais deputados membros da Comissão, “para que se inteirem dos fatos e assim, analisaremos se ainda é preciso mais algum esclarecimento por parte da operadora e, se for o caso, formalizaremos o pedido, e só a partir disso decidiremos se precisará realmente a criação de uma CPI”.

Participaram da reunião, o presidente da Comissão de Transporte, Comunicação, Serviços e Obras Públicas, deputado Ronaldo Medeiros, deputado Jeferson Morais, Frederico de Siqueira Filho, (diretor regional da OI), Luís Haroldo, (diretor de operação e implantação SUL), Antônio Loss, (diretor de operação e implantação), Lavínia Guimarães Mota, (Executiva de Relações Institucionais AL), Walmar Peixoto, (advogado), Fabíola Magalhães (advogada) e Walquíria de Moura Castro (advogada)

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Dois anos após a tragédia...

Rua da Ponte, destruída

Por João Paulo Farias – Texto e Foto


A trágica e histórica enchente do Rio Mundaú, que arrasou algumas ruas de União dos Palmares e outros municípios que fazem parte do seu percurso, completa dois anos hoje segunda-feira, 18 de junho. A “cheia” como é popularmente chamada, deixou um rastro de destruição que até hoje não saiu da memória das pessoas atingidas ou não pelas águas mortais.

O município de União dos Palmares, um dos mais atingidos pela tragédia, perdeu literalmente três importantes ruas que margeavam o Mundaú – as Ruas da Ponte, Jatobá e Juazeiro, foram arrastadas pelas águas, além de outras ruas e bairros, atingindo muitos moradores que foram direcionados para escolas e depois, às barracas cedidas pela Defesa Civil do Estado e uma ONG Inglesa.

O sofrimento dos flagelados da cheia se perdurou por mais de um ano, em acampamentos comparados a campos de concentração, devido à precariedade da infraestrutura oferecida a estas pessoas. O sofrimento e a péssima assistência do poder público refletiam a situação daqueles que perderam sua moradia por consequência das águas.

As obras para a reconstrução de 18 mil moradias para os desabrigados em Alagoas se perduram até os dias atuais. O prazo para a entrega das demais moradias seria em junho, segundo o Governo do Estado, mas ainda não foi anunciada a data do término das obras.

Em União dos Palmares estão em construção quatro conjuntos residenciais, dois na segunda entrada da cidade, um no Povoado Várzea Grande, um no Muquém e outro em Rocha Cavalcante, nesses locais ainda têm moradores dentro de barracas. As obras da reconstrução, no município totalizam cinco mil residências.

No Residencial Newton Pereira Gonçalves, será um total de 2.020 moradias; dessas, 365 já foram entregues em dezembro de 2011- um ano e seis meses depois da enchente, os contemplados foram os moradores que estavam alojados em barracas.

Voltando ao local percebe-se que os moradores estão se adaptando ao novo ambiente, algumas casas já receberam reforma, como a construção de muros e até mesmo pequenos comércios, mas os problemas de infraestrutura já começam a aparecer, ruas com crateras e até mesmo um esgoto entupido, incomodam os moradores.

Nas ruas da Ponte, Jatobá e Juazeiro, não existem mais moradias, a centenária Ponte sobre o Rio Mundaú foi reformada e ganhou uma passarela para pedestres, como também quase um quilômetro da AL-205, recebeu pavimentação e sinalização.

Hoje a Rua da Ponte serve como um local para caminhada e atividade física de muitos palmarinos. Nas margens do Rio Mundaú foram plantadas, há cerca de um ano, dezenas de árvores. O projeto da Secretaria Municipal de Meio Ambiente objetiva a revitalização da Mata Ciliar do rio.

Onde existiam casas, só é possível ver algumas ruínas que resistem ao tempo e guardam as lembranças de quem residia no local. No lado oposto ao Rio Mundaú, os terrenos que pertenciam às famílias, receberam uma grande cerca, englobando-se as terras do ex-governador Manoel Gomes de Barros, que reside próximo ao rio.

Já na Rua do Jatobá, encontramos algumas casas e um terminal rodoviário, construído pela prefeitura municipal, que parece abandonado, já que o mato toma conta do local. Esse terminal é o ponto para os passageiros que viajam a Santana do Mundaú.

A Feira do Gado também se mudou para a Rua do Jatobá, a estrutura está quase concluída, mas não há prazo para a inauguração.

A tenebrosa noite de 18 de junho de 2010 será difícil de esquecer, vidas se perderam, sonhos foram arrastados pelas águas do Rio Mundaú. A rotina foi modificada, a geografia da cidade mudou mais em nenhum momento a esperança dos que sofreram com a enchente foi perdida.

Conselho da Juventude toma posse em São José da Laje

Por assessoria


Com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Mulher, Cidadania e dos Direitos Humanos, foi implantado nesta quinta-feira (14) o Conselho da Juventude de São José da Laje.

A posse do colegiado foi conduzida pelo vice-prefeito da cidade, José Wilson, e ocorreu no auditório do polo de apoio presencial da Universidade Aberta do Brasil (UAB). A iniciativa faz parte das ações do Programa Alagoas Tem Pressa na parte da promoção de cidadania e direitos humanos.

De acordo com a superintendente de Políticas Públicas para a Juventude da secretaria, Ana Maria da Silva, este é o sétimo Conselho Municipal da Juventude instalado no Estado. Até agora, já foram implantados conselhos em Teotônio Vilela, Piranhas, Roteiro, São Miguel dos Campos, União dos Palmares e Delmiro Gouveia.

Também estão na iminência de aprovação para implantação Rio Largo, Olho D’Água das Flores, Pão de Açúcar, Ouro Branco e Barra de Santo Antônio. “A meta é chegar a 23 conselhos implantados no Estado até o dia 31 dezembro”, assinalou Ana Maria.

Segundo o superintendente de Articulação da Juventude da Secretaria de Articulação Social, Leonel Theotônio, a finalidade dos Conselhos Municipais da Juventude é discutir e construir um plano estadual de políticas públicas.

“O conselho é o instrumento legal, a voz da juventude para buscar suas demandas. A meta, dentro do Alagoas Tem Pressa, é que, até o fim de 2014, sejam implantados 102 conselhos municipais e um estadual”, frisou.

O Conselho de São José da Laje é um órgão normativo, consultivo, deliberativo e controlador das políticas públicas para a juventude. É composto por 24 membros, sendo 12 do poder público (seis titulares e seis suplentes) e 12 de entidades e setores da sociedade civil organizada (seis titulares e seis suplentes).

Para o professor de geografia Antônio Lopes, que falou pelos conselheiros, a implantação do colegiado se constituiu num fato histórico para São José da Laje. Ao parabenizar o poder público pela iniciativa, ele ainda ressaltou que o conselho será um instrumento importante para construção de políticas públicas. “Devemos abraçar a causa do jovem e trabalhar na sua formação integral”, expôs.

O evento também contou com a participação do presidente da Câmara de Vereadores, Henrique Valença; da secretária municipal de Assistência Social, Maria Lyra; do coordenador de Educação para a Paz da Secretaria de Promoção da Paz, Fábio Rogério; e da coordenadora geral de Juventude da Prefeitura de São José da Laje, Juliana Albuquerque.

domingo, 17 de junho de 2012

Eu era uma menina....

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira...

Eu era apenas uma menina ingênua, que tremia em teus braços envolventes cada vez que me abraçavas com teu ímpeto de macho arrebatador. Eu era uma menina que não sabia de nada da vida e sabia de tudo ao mesmo tempo.

Eu era uma menina e queria transformar o mundo, mas minha ingenuidade foi tanta, que eu não sabia como me comportar naquela situação, acanhada que era em minha rotina de vida, de leituras, romances e poesias.

Eu era uma menina sonhadora, que queria transformar o mundo e achava que as minhas ideias e escritos, por si só, seriam capazes de fazer com que os outros entendessem isso.

E gritava para o mundo ouvir que eu era capaz do meu intento, com a minha maneira de pensar: ninguém ia proibir que eu realizasse meus sonhos de menina, de adolescente, sonhos juvenis.

Eu era uma menina que acreditava no amor incondicionalmente. Acreditava no amor dos romances que eu lia, mas sabia que a vida não era um conto de fadas; isso eu aprendi muito cedo, embora fosse muito ingênua.

Eu era uma menina que foi capaz de ficar te amando platonicamente por longos anos, à espera que um milagre acontecesse; mas o milagre que eu esperava não veio, pois milagres não existem por aqui; isso é fato.

sábado, 16 de junho de 2012

Versos tristes

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Meus versos são tristes, como triste é a minha certeza da tua ausência. Da mesma forma que entendo que não vou te ter mais em meus braços, nem na minha vida, resolvi fazer versos; versos que diminuem a ansiedade e a saudade que eu sinto de ter você.

A tarde está triste, parece que vai chover bastante. A chuva me traz muitas lembranças dos amores que já tive, do meu passado distante. Ela anuncia que para mim o tempo já passou e que algumas situações eu posso ter deixado para trás sem ter sido resolvidas, sem ter vivido.

Nos meus versos eu posso viajar no tempo e embarcar nas minhas fantasias e em aventuras nunca vividas, mas que só eu posso tê-las. Sinto falta de você, falta da tua presença, tua presença que me faz falta.

A falta que eu sinto da tua companhia que por muitas vezes foi rara e foi diminuindo à medida que o tempo foi passando, envolvido que estavas em tantas aventuras, em outras vidas.

Aventuras que até podem ter te dado experiências, mas nunca o carinho, a lealdade e a cumplicidade que havia entre nós.

Vida dividida, metades incompletas. Lembranças que não se apagam da nossa vida a qualquer preço. Ligo a TV e vejo uma cantora de rua, de voz maravilhosa, entoando uma canção num programa de sábado.

A canção é de Adele e faz partir o coração. Não consigo conter as lágrimas que caem do meu rosto de tão tocada que fiquei pela voz e pela música cantada.

Dá vontade de abraçar e receber abraços, quando a gente ouve falar de amor. Emocionante isso. Quem não é capaz de se emocionar ao escutar uma bonita história e uma linda canção, não é capaz de ter sentimentos.

Sem as emoções e a capacidade de ter sensibilidade não somos nada na vida. É bom a gente ter sentimentos. Eles elevam a nossa alma e nos faz entender que a vida é divina e que Deus nos fez com essa capacidade, a capacidade de amar, mesmo que não seja amada.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Oposição escolhe Beto Baía e Dr. Paulo para disputar a Prefeitura de União dos Palmares

Fotos: O Relâmpago
Por João Paulo Farias

A oitava reunião da Frente Democrática Independente, liderada pelo PCdoB, escolheu na noite desta quinta-feira, 14, o médico Beto Baía (PSD), prefeito e o procurador federal Dr. Paulo (PDT), vice, como os nomes da oposição para disputar mais uma vez a prefeitura municipal.

Em um clima de muita expectativa pela escolha do nome da oposição, os presidentes de partidos, pré-candidatos a vereador, vereadores e correligionários, aguardavam a decisão dos quatros pré-candidatos a prefeito, Zé Alfredo (PCdoB), Carlos Leão (PSOL), Beto Baía (PSD), Dr. Paulo (PDT) e Genisete Lucena (PT), mediadora da escolha, que estiveram reunidos por mais de uma hora, num local reservado da reunião, onde conversaram e entraram num acordo pela escolha deste nome.

A chapa se repete, já que em 2008 os mesmos nomes disputaram as eleições municipais e foram derrotados pelo atual prefeito Areski Freitas. Agora a chapa volta forte e o principal argumento usado pelo candidato a vice, prefeito, Dr. Paulo (PDT), é que as chances de ganhar as eleições são fortes, pois em 2008, tiveram 13.528 votos. “Vamos ganhar as eleições, União vai começar uma nova história”, disse.

Dr. Paulo parabeniza a iniciativa do PCdoB, pelo projeto de criar uma frente de discussão, nunca vista na história do município, “O grupo está forte, não chegamos até aqui sozinhos, temos que continuar unidos”, destacou o candidato a vice prefeito.

O candidato a prefeito, Beto Baía (PSD), destacou a iniciativa do PCdoB, pela criação do “Frentão”, que hoje reúne quase vinte partidos e disse da alegria em voltar a disputar a Prefeitura de União dos Palmares. “Esse grupo fará o prefeito de União, o município sairá do marasmo”, disse Beto.

O médico destacou que, caso seja eleito, fará um governo participativo, cumprindo os compromissos firmados com a população palmarina.

O empresário Zé Alfredo, disse que irá marchar com os nomes, “Aceito a chapa, os dois tem história em União e vejo que tem comprometimento com essa população”, disse. Para Carlos Leão, a união da oposição deve continuar e que agora é hora de se trabalhar o nome e a campanha.

A presidente do PT em União dos Palmares, Genisete Lucena, disse que está feliz com o resultado dessas reuniões: “A oposição tem que estar junta para derrubar o coronelismo, vamos continuar unidos e mudar o curso da história de União”, destacou a ex-vereadora.

Feliz com o resultado das oito reuniões da Frente Independente, o presidente do PCdoB, Edemir Morais, disse que a primeira etapa do projeto foi vencida, agora é dar continuidade a esse grupo e organizar a estrutura das eleições. “Acredito na vitória desse grupo nas eleições”, disse.

O presidente destaca a criação de um local para apoio aos pré-candidatos a vereador, onde serão oferecidas orientações de como proceder na parte burocrática do processo eleitoral, registros de candidaturas, aberturas de contas e outros processos.

Já o articulador político do PCdoB, Joacir Muniz, lembra da convenção, que será realizada no dia 28 de junho e pede que os partidos se articulem. Joacir destacou o momento histórico para União e disse que o grupo tem que permanecer unido e trabalhar junto com os nomes lançados ontem à noite.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Peritos criminais recebem apoio de petista

Foto de Olívia de Cássia-arquivo
Por Olívia de Cássia, com sessão pública e assessorias

Em depoimento na tarde desta quinta-feira, 14, na Assembleia Legislativa, com a presença de 14 parlamentares, o deputado Judson Cabral (PT) declarou seu apoio ao protesto dos peritos criminais que ameaçam entrar em greve em virtude das más condições de trabalho e pela insatisfação com relação às condições salariais.

Os peritos criminais, papiloscopistas, médicos-legistas, odontolegistas e auxiliares de necropsia estão em vigília e elaboraram uma pauta de reivindicações que já foi apresentada ao Governo do Estado.

Em assembleia realizada na noite dessa quarta-feira (13), a categoria decidiu aguardar a proposta do governo até o dia 20 deste mês. Caso as negociações não avancem, a categoria poderá deflagrar uma paralisação de 24 horas tanto no Instituto Médico Legal (IML) de Maceió como no de Arapiraca, havendo ainda a possibilidade de cruzarem os braços em definitivo, caso decidam por greve geral.

FALTA INVESTIMENTO

Ainda na tribuna da Casa de Tavares Bastos, o deputado Judson Cabral comparou os gastos do governo estadual com propaganda oficial com os investimentos na área de perícia criminal.

Segundo ele, a perícia recebeu pouco mais de R$ 6 milhões, enquanto os gastos com publicidade ultrapassam os R$ 400 milhões, desde o início da gestão tucana em Alagoas.

O parlamentar conclui seu pronunciamento convidando a todos para participar da sessão especial em homenagem ao padre Teófanes Barros, em virtude de seu centenário de nascimento. A sessão, marcada para amanhã, a partir das 9h, foi convocada por iniciativa de Cabral.

SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO

Já o deputado Ronaldo Medeiros (PT), questionou o secretário de Estado da Educação, Adriano Soares, pelo atraso no início do ano letivo em muitas escolas alagoanas e, além disso, o atraso nas reformas.

“Estamos chegando no mês de julho, mês de férias escolares e alguns instituições de ensino sequer tiveram a reforma iniciada, 30% dos nossos alunos estão fora da sala de aula, o que é um absurdo”, observou Medeiros.

O petista acrescentou ainda que algumas escolas principalmente do Agreste e Sertão estão com os prédios bons estruturalmente falando, mas não têm professores.

O parlamentar comentou que metade dos alunos estão fora das salas de aula, “de acordo com as investigações da polícia o assassino do médico no corredor Vera Arruda foi um jovem de 16 anos, sinto muito em dizer que esses jovens que hoje estão sem aula, são os marginais de amanhã, educação não é só sala de aula tem que ter planejamento”, disse Ronaldo Medeiros.


JHC

Já o deputado João Henrique Caldas (PTN) prestou homenagem póstuma ao ministro aposentado do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Gomes de Barros, que faleceu no dia 8 de junho, em Brasília.

“Mesmo não tendo nascido à mesma época, tive oportunidade de conhecer essa pessoa que se dedicou ao acesso universal à Justiça. Homem que primou por uma boa cultura, como autor de obras literárias e que nutria um enorme carinho por nosso Estado”, afirmou JHC, relembrando o tempo em que estagiou no Senado, quando era estudante de Direito.

Participaram da sessão os deputados Jota Cavalcante (PDT), que preside a reunião, Ronaldo Medeiros (PT), João Henrique Caldas (PTN), Patrícia Sampaio (PT), Gilvan Barros (PSDB), Judson Cabral (PT), Isnaldo Bulhões Jr. (PDT), Olavo Calheiros (PMDB), Temóteo Correia (DEM), Severino Pessoa (PPS), Sérgio Toledo (PDT), Ricardo Nezinho (PMDB), Thaíse Guedes (PSC) e Inácio Loiola (PSDB).

Crônica urbana

Olívia de Cássia – jornalista

Da janela do ônibus que me conduz ao trabalho, eu vejo a paisagem que passa ligeira. À frente o mar de cor mais escura por causa da chuva que caiu à noite.

O ônibus segue adiante. Vejo pessoas na rua, umas aflitas por causa de horários a cumprir e ônibus passando rápido.

Uns nem obedecem a solicitação de parada e ‘queimam’ os pontos deixando quem necessita desse tipo de transporte aflito. As pessoas caminham rápido aos seus destinos.

A vida é corrida pela sobrevivência e quando a gente se dá conta, o tempo já passou, rápido como um furacão em nossas vidas.

E aí nos damos conta de que nos esquecemos de viver intensamente e amiúde e de fazer coisas simples, mas que são necessárias na vida.

Um vendedor de chicletes entra no ônibus, o discurso de todos é o mesmo. A falta de oportunidades e o desemprego.

Alguns a gente percebe que falam a verdade, que tentam ganhar a vida honestamente. Outros querem dinheiro para droga. Não deveria ser assim.

Há muitas injustiças no mundo. Se eu pudesse ajudaria muita gente mas , da mesma forma que não sou a palmatória do mundo, faço a minha parte e fico indignada com as desigualdades.

O ônibus segue em frente. No Jacintinho, na feirinha da Cleto Campelo, é intensa, vendedores de tudo. Lojas e ambulantes; todo mundo querendo ganhar o pão de cada dia.
Vejo vitrines de coisas que nunca vou comprar.

A cabeça começa a doer. O ônibus passa lentamente na rua engarrafada. Vendedores de peixe borrifam o produto com água. Daqui a pouco não servem mais para o consumo.

Meus olhos ardem intensamente lacrimenjando. Já não têm a mesma qualidade visual de antes, sinais de velhice e cansaço pelo uso intenso. Boa tarde.

Minha poesia não tem nexo...

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Minha poesia não tem nexo, rima, forma ou definição, minha poesia é livre. Ela é livre de qualquer conceito acadêmico e flui sem amarras, para liberar sentimentos e emoções.

Ela brota das minhas entranhas, da mente e do coração, como o sangue que corre nas minhas veias.

A poesia, da forma como conhecemos, é uma linguagem que define nossos sentimentos mais profundos e tem fins estéticos.

A poesia é o momento, está na nossa mente e no coração também. No instante em que surge, temos que colocá-la no papel revelando nossos sentimentos.

Não tenho medo de falar daquilo que vai em mim. A poesia não é só falar de amor. Amor não se escolhe, ele nasce em nós e pronto.

Fica aí para ser alimentado todos os dias, com pequenos gestos e atitudes, com afeto, compreensão, palavras de carinho, de conforto e, sobretudo, para viver com fidelidade.

Muitas e tantas vezes os sentimentos profundos nascem da adversidade da vida, dos contrários, das emoções vividas. O amor se conjuga no verbo amar: eu te amo, mas tu não me amas, isso é contraditório. Estou só.

Não há sentimento mais divino que o amor, quando ele é correspondido. Amar sem ser amada é dolorido e sofrido e temos que saber controlar as emoções e os sentimentos, para não morrer de solidão e tédio.

A poesia que há em mim é um jogo de palavras que se acertam, mas não se define. Minha poesia não tem nexo e daí?

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Vontades e desejos ...

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Estou sozinha, mas não me sinto só.
A falta que sinto de você é de pele, de cheiro, de gosto, de presença...
Estou só e penso em você.
No tudo que vivemos e naquilo que não vivemos também.
Não encontrei na vida outro igual a você.
Com teus defeitos e qualidades...
Ouço tua voz rouca no telefone e uma saudade imensa toma conta de mim.
Queria poder te abraçar, te falar dos meus desejos, das minhas vontades, carinhos, necessidades.
Queria mais uma vez, pegar na tua mão e te conduzir onde eu quisesse chegar....
Te conduzir para me levar à felicidade desejada, vontades e desejos meus....

Deputado Temóteo Correia ataca imprensa novamente

Foto de Olívia de Cássia-arquivo
Por Olívia de Cássia, com assessoria e Sessão Pública

Na sessão ordinária que contou com a presença de 19 deputados, na Assembleia Legislativa, o primeiro parlamentar a ocupar a tribuna da Casa de Tavares Bastos foi o deputado Temóteo Correia (DEM) que, como sempre faz, não fala coisa com coisa mistura os assuntos e chegou a defender o impeachment de jornalistas, por conta de matérias antigas que desagradaram o parlamentar, quando informam a verdade que se passa no parlamento alagoano.

Na verdade, as falas do deputado do Democratas estão cada dias mais loucas e quando ele está na tribuna da Casa, nem os próprios pares se importam com o que fala e a maioria dá as costas. Na sessão de hoje ele falou também sobre a ampliação das Varas da Justiça Federal, um fato que aconteceu há mais de um mês no Estado.

Após quase 20 minutos de falas sem sentido do deputado Temóteo Correia, quem ocupou a tribuna da Ale foi o deputado Judson Cabral (PT). Ele discorreu sobre a visita que fez ao campus da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), hoje pela manhã, quando foi lançado o "Bosque em Defesa da Vida", para lembrar as vítimas da violência no Estado.

Cabral também criticou o governo do Estado, que solicitou autorização da Assembleia para contrair empréstimo de 150 milhões de dólares ao Bird. Na avaliação do petista, é imprescindível que os deputados recebam o relatório oficial do Executivo sobre a aplicação dos recursos oriundos de outros empréstimos.

Ainda na tribuna da Casa, deputado Judson Cabral solicitou à Mesa Diretora a inclusão na pauta do projeto do governo, que doa terreno para a construção de moradias na Vila Emater. Depois do horário do expediente, começou a Ordem do Dia, apenas com tramitações normais e o Projeto de Origem Governamental que prevê as despesas para o exercício de 2013, a Lei de Diretrizes Orçamentárias que está tramitando para recebimento de emendas.

PEQUENOS PRODUTORES

O deputado Ronaldo Medeiros (PT) utilizou a tribuna da Casa de Tavares Bastos para parabenizar a medida do Governo Federal que, a pedido da bancada alagoana, admitiu a renegociação da dívida dos pequenos produtores alagoanos.

Segundo o político, “é uma medida correta que o Governo Federal está tendo, visto que, alguns produtores que pegaram o emprestado, o equivalente a R$ 30 mil reais, por exemplo, hoje, devem R$ 500 mil, não por culpa do banco, mas por conta do contrato, o que é um absurdo!”, observou.

A fala de Ronaldo Medeiros tem como base a proposta apresentada pela ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, a parlamentares da bancada do Nordeste sobre a renegociação de dívidas de produtores rurais da região, prevista na Medida Provisória (MP) 565, conhecida como MP da Seca.

Estiveram presente à sessão de hoje os deputados: Fernando Toledo (PSDB), Dudu Holanda (PSD), Ronaldo Medeiros (PT), Gilvan Barros (PSDB), Patrícia Sampaio (PT), Marcelo Victor (PTB), Olavo Calheiros (PMDB), Judson Cabral (PT), Nelito Gomes (PSDB), Temóteo Correia (DEM), Marcos Ferreira (PSDB), Sérgio Toledo (PDT), Ricardo Nezinho (PMDB), Severino Pessoa (PPS), Isnaldo Bulhões Jr. (PDT), Marcos Barbosa (PPS), João Henrique Caldas (PTN), Thaíse Guedes (PSC) e Jota Cavalcante (PDT).

Diretor Regional da Oi vem a Maceió prestar explicações sobre caos na empresa

Olívia de Cássia – Ascom

Atendendo solicitação do deputado Ronaldo Medeiros (PT), presidente da Comissão de Transporte, Comunicação, Serviços e Obras Públicas, o diretor regional da empresa de telefonia Oi, de Recife, Frederico de Siqueira Filho, vem a Maceió, no próximo dia 19, às 11h horas, para prestar esclarecimentos a respeito dos constantes problemas ocorridos na rede de telefonia celular no Estado.

O deputado argumentou que encaminhou o ofício ao diretor da Oi para convidá-lo a comparecer à Assembleia Legislativa Estadual, no sentido de que ele preste os devidos esclarecimentos de interesse da sociedade alagoana sobre os serviços prestados pela Operadora OI em Alagoas.

Segundo Medeiros, as panes apresentadas no mês de maio afetaram os serviços prestados pela operadora no Estado, “o que trouxe enormes transtornos para a população alagoana, especialmente para a parcela da sociedade que utiliza os serviços da OI em Alagoas”, explicou o deputado.

O petista disse também que os esclarecimentos solicitados ao diretor regional da Oi serão prestados junto à Comissão de Transporte, Comunicação, Serviços e Obras Públicas da Casa de Tavares Bastos, da qual ele é presidente.

Resumo

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Assim como naquela música, já se passaram quase nove anos e pouco eu vejo teu rosto, sem que eu te encontre com frequência e assiduidade por aí...

Nem parece que moramos no mesmo Estado e agora, na mesma cidade. A vida é corrida, corremos para todos os lados, mas na hora das minhas lembranças, é em você que penso.

É em você que meus pensamentos viajam...

E nesse instante, peço a Deus para te dar juízo, saúde e para que tenhas tudo de bom na vida.

Não importa o que tenhas feito comigo no passado. Às vezes dói lembrar, mas a vida é quem vai dizer quem estava errado nessa história, quem sou eu para julgar?

Não sou eu que tenho que fazer julgamentos a teu respeito. Eu te amo, isso não posso negar, embora esse amor hoje em dia se resuma em saudade.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Alunos de pós-graduação realizam ciclo de palestras para profissionais da área de comunicação

Com o tema “Desafios na Gestão de Crises” alunos da pós-graduação - em Assessoria de Comunicação e Marketing do Centro de Estudos Superiores de Maceió (Cesmac) - realizam o ciclo de palestras para profissionais da área de comunicação.

O evento que será realizado no dia 7 de julho contará com as presenças dos palestrantes Gustavo Mascarenhas [Maceió Music Festival (MMF)] e Marcus de Barros Pinto (Gerente de Comunicação – SAODS | VRG Linhas Aéreas S.A. - Grupo GOL).

Gustavo Mascarenhas vai debater sobre o tema “Case de Gestão de Crises” relacionado ao ocorrido no MMF em 2011. Marcus de Barros direciona sua palestra para o “Papel da Comunicação no Gerenciamento de Crises”.

O ciclo de palestras acontecerá no auditório da Faculdade de Educação e Comunicação (FECOM), das 14hrs às 17hrs, localizado na Rua Ângelo Neto, Farol, vizinho ao Colégio Sacramento. As inscrições deverão ser feitas pelo email desafiosnagestaodecrises@hotmail.com A entrada é um quilo de alimento não perecível.

Mais informações:

Email: desafiosnagestaodecrises@hotmail.com

Twitter: @Gerenciadecrise

Facebook: Desafios na Gestão de Crises

Nome do evento: “Desafios na Gestão de Crises”
Data: 07/07/ 2012

Horário: 14hrs às 17hrs

Local: Auditório da Fecom no Cesmac


Palestrantes


Gustavo Mascarenhas – Maceió Music Festival (MMF): “Case de Gestão de Crises”

Formado em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Universidade Tuiuti do Paraná e Pós Graduado em Marketing e Publicidade pelas Faculdades Maurício de Nassau. Trabalhou como assessor de imprensa na Câmara Municipal de Curitiba e participou na equipe do hoje deputado estadual Osmar Bertoldi (DEM-PR) na campanha à Prefeitura de Curitiba, em 2004. Trabalhou e empresas como Petrobras, Grupo Uninter e Biogenesis Bagó. É diretor da empresa Pubblico Assessoria de Comunicação e atende, em Maceió, as empresas Hapvida Saúde, Natura, Shopping Pátio Maceió, Lojas Guido e Vivendi Empreendimentos. Atendeu também eventos como Réveillon Enchanté Celebration, Fest Verão e Maceió Music Festival.



Marcus de Barros Pinto– Gerente de Comunicação – SAODS | VRG Linhas Aéreas S.A. - Grupo GOL: “Papel da Comunicação no Gerenciamento de Crises”

Marcus de Barros Pinto é jornalista profissional, com 29 anos de experiência. No jornal O Globo, no Rio de Janeiro, atuou nos jornais de bairro, na editoria de esportes, cidades, política e suplementos ao longo de 12 anos. Depois, no Jornal do Brasil, começou no Caderno B e chegou a editor-chefe ao longo de dez anos. Foi gerente de comunicação da Confederação Nacional da Indústria, da Federação do Comércio de São Paulo e há cinco meses é gerente de comunicação corporativa da Gol Linhas Aéreas. Marcus é autor do livro “O pulo do gato – a aventura do recém descasado”, ganhou o Prêmio Esso de Primeira Página em 2004 e cobriu duas Copas do Mundo (México 1986 e França 1998).

Camilla Ferraz
Jornalista – MTE 1364/AL
8866-2327

Viva Santo Antônio!

Olívia de Cássia – jornalista

O dia amanheceu chuvoso. Mandei uma mensagem de texto de feliz aniversário. Véspera de Santo Antônio no interior a gente comemorava com fogueiras, milho assado, pamonha, canjica, bolo de milho e outras iguarias.

Era uma fartura que dava gosto de ver, mas a gente não tinha a consciência disso e não valorizava a questão. Era um tempo de muita alegria e muita festa e a meninada se encantava com tudo aquilo.

As quadrilhas eram todas muito animadas e os grupos se vestiam como matutos de antigamente. Não tinha essa pirotecnia em torno de quadrilhas da forma como existe hoje. As roupas eram feitas de chita ou eram emprestadas dos nossos pais, de algum parente ou de algum amigo e agente se divertia bastante.

Os santos homenageados nessa época eram devidamente comemorados em seus dias. Durante o dia, as donas-de-casa trabalhavam na culinária à base do milho e a turma jovem começava os preparativos para a noite.

As ruas e o local da festa do milho eram ornamentados com bandeirolas e balões, barracas cobertas de palha e tudo o que fosse para o bom desempenho do evento. Os locais onde tocava o forró amanheciam o dia e quem aguentasse o rojão ficava até terminar o arrasta-pé.

Músicas de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Humberto Teixeira e outros compositores eram as mais tocadas, tudo de bom gosto e qualidade, para a nossa alegria e divertimento.

Atualmente não se faz mais festa junina como antigamente; só em alguns lugares e categorias isoladas é que a gente vê a tentativa de resgate das tradições populares. Lá na minha terra a gente tinha muito forró pé de serra, o autêntico ritmo do Nordeste.

A gente costumava escutar com Alonsinho músicas de Jorge de Altinho, Alceu, Elba Ramalho e diversos outros artistas mais. Nossas festas eram divertidas e uma delas foi na casa do então prefeito Rosiber Oliviera, cunhado do meu amigo Aldo Eugênio.

Outra quadrilha improvisada nossa aconteceu na sétima Coordenadoria Regional de Ensino (CRE) e essa foi inesquecível porque fomos o primeiro grupo de jovens na cidade a fazer uma quadrilha invertida.

Nessa quadrilha eu fui o noivo e meu amigo Aldo Eugênio foi minha noiva. Daí em diante, outros jovens gostaram da brincadeira e foram fazendo o mesmo, mas o pioneirismo mesmo nessa modalidade de quadrilha foi da nossa turma de jovem. E Viva Santo Antônio!

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Presidente do diretório do PTdoB de Cajueiro impede candidatura de suplente

Foto de Olívia de Cássia
Olívia de Cássia – Repórter

O presidente do diretório municipal do PTdoB de Cajueiro, Antônio Melo, está criando regras, impedindo o registro de seus filiados a concorrerem às eleições municipais deste ano. A denúncia foi feita pelo suplente de vereador Antônio da Silva.

Segundo Antônio da Silva o impedimento está acontecendo porque ele entrou com um recurso na Justiça contra o presidente Antônio Melo, “por ato de perseguição do partido e abuso de poder econômico”. O denunciante alega que o recurso na Justiça já se encontra no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em última instância para ser julgado.

“A minha briga é para concorrer à eleição deste ano. O presidente pode a qualquer momento perder o mandato de vereador e está com medo, nas últimas pesquisas eu apareço na frente e ele perde. Na outra eleição eu perdi na coligação por cinco votos”.

Seu Antônio da Silva disse que tentou um entendimento com o presidente do diretório municipal e ele respondeu: "Não quero corja com você, procure a Justiça.

I Conferência de Cultura será realizada em União dos Palmares

Foto de Olívia de Cássia - arquivo
Olívia de Cássia - jornalista

Nos próximos dias 15 e 16 acontece em União dos Palmares a I Conferência Municipal de Cultura, com o tema ‘Construindo o Plano Municipal de Cultura – 2012-2022’.

O evento acontece no auditório da prefeitura e terá abertura na sexta-feira, 15, às 18h, com o credenciamento, seguido de apresentação cultural às 19h.

Segundo o secretário de Cultura, Elson Davi, às 19h30 do mesmo dia será instalada a Mesa de abertura da Conferência e às 20h haverá uma palestra com o tema ‘Cultura Palmarina’.

No sábado, 16, haverá discussão dos Eixos Temáticos e depois do almoço o debate sobre o mesmo tema continua. A plenária final acontece às 16h.

domingo, 10 de junho de 2012

Cadê a passeata pela paz?

Olívia de Cássia – jornalista

A sociedade alagoana continua estarrecida com os crimes que acontecem em Alagoas, todos os dias; no entanto, parece que a mobilização pela paz ocorrida no Corredor Vera Arruda, no Stella Mais, depois do assassinado do médico José Alfredo Vasco, palmarino de nascimento, esfriou e só aconteceu mesmo pela morte dele.

Não é de se admirar isso, porque parece que quando mexem com a classe bem aquinhoada, as articulações são feitas de imediato, mas em se tratando da classe pobre, nada é feito. Causa indignação. Quem vai à Vila Brejal, ao Benedito Bentes, Jacintinho e em outros locais da periferia fazer alguma coisa por essas pessoas?

Pressionado pela mobilização que foi feita de imediato no Facebook, de protesto contra o que aconteceu com José Alfredo Vasco, o governador, de pronto foi a Brasília e na volta anunciou algumas ações de combate à violência, mas de concreto mesmo, pouco se viu.

Também não vejo comentários de indignação nas redes sociais pelos assassinatos, todos os dias, de menores, jovens e crianças, tão pouco pela morte da dona-de-casa na quinta-feira e hoje de uma criança, vítimas de bala perdida na periferia da capital alagoana.

Uma pena que assassinatos só comovam quando acontece com ricos e famosos; aí é uma indignação total. E quando a imprensa critica e cobra ações, as pessoas se incomodam e agem com agressões nas redes sociais, mas o que deveriam mesmo era fazer um exame de consciência.

Enquanto a violência não tinha chegado aos bairros nobres da capital, ou estava abafada, estava todo mundo calado, “pianinho”, como diria um amigo meu.

Por que essa gente não faz uma grande mobilização nas redes sociais, também, pela morte de tantos josés e marias que acontecem todos os dias, vítimas da falta de educação, de oportunidades, de políticas públicas, de ações concretas, que venham a minimizar ou exterminar de vez esse problema, que é um câncer na sociedade do século XXI?.

Essa mesma sociedade, que estimula o consumismo exagerado de tênis importado, de últimos lançamentos da moda em tecnologia e celulares de última geração nos meios de comunicação é a mesma que não oferece grandes oportunidades para que o menino da periferia compre essas coisas caras, tenha condições de adquirir esses bens.

E o que ele vai fazer para conseguir isso? A resposta está aí nas ruas. Esse jovem vai tentar a todo custo obter aquele objeto, custe o que custar. Não precisa ser um grande teórico para saber disso. É preciso que a gente reflita sobre isso também.

Ideologia é ótimo a gente ter uma, todo mundo precisa ter a sua, mas ela, está comprovado, não enche barriga, não dá empregos e não gera bens de consumo, me perdoem os amigos que pensam diferente. Em época de ‘tchus e tchas’ de mau gosto, vamos para rua também por isso.

Ou todo mundo está anestesiado, inerte e absorto em seus próprios interesses, defendendo cada um o seu biscoito?. Cadê os movimentos sociais que não estão se mobilizando contra esse estado de guerra que estamos vivendo, ou só vão fazer algo mais concreto quando estiver bem pertinho do pleito eleitoral¿. Fica aqui a minha indignação.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Oposição realiza convenção dia 28 em União dos Palmares e escolherá nome que disputará a prefeitura

Com informações de João Paulo Farias, O Relâmpago

Em União dos Palmares, a sétima reunião da Frente Democrática Independente, liderada pelo PCdoB, reuniu na noite desta quarta-feira, 6, vários presidentes, representantes de partidos, além de quatro dos pré-candidatos a prefeito da oposição, onde foi discutido e aprovado a data da realização da convenção, no próximo dia 28.

O “Frentão” teve nessa reunião a adesão de mais dois partidos: o PRB e o PPS, somando até o momento 18 partidos. O encontro teve a participação de membros da diretoria estadual do PCdoB, Paulo Petuba e Sinval Costa.

O articulador político Joacir Muniz (PCdoB), negou as especulações propagadas pela imprensa estadual de que o nome da oposição que irá disputar as eleições seria Beto Baía (PSD) para prefeito e Iran Menezes (PMDB), vice. “Querem desarticular essa Frente, espalhando informações infundadas pela cidade”, disse Muniz.

Para o secretário estadual de Organização do PCdoB-AL, Sinval Costa, “não é fácil a construção de uma frente ampla como esta”. Ele parabenizou o partido local pela iniciativa da reunião, destacando a importância do PCdoB em seus 90 anos de fundação.

Já o presidente do PCdoB em União dos Palmares, Edemir Morais, disse que nenhuma decisão que não seja discutida e aprovada nestas reuniões terá validade. “A direção do partido vai continuar dessa forma; não haverá “treta” lá fora que irá abalar essa frente”, disse.

Edemir ressaltou que já é o momento de se começar a formalizar as documentações dos partidos para as composições, já que faltam vinte dias para a realização da convenção. O pré-candidato Beto Baía (PSD) negou que houvesse formalizado lançamento do seu nome com o ex-prefeito Iran Menezes (PMDB) e disse que a decisão será conjunta.

Acompanhando a reunião pela segunda vez, o presidente da Associação dos Estudantes de União dos Palmares – Ames, Igor Monteiro, fez uso da palavra e falou da importância da Associação como intermediária da luta pela gratuidade do transporte dos estudantes universitários a Maceió. “A Ames é apartidária, porém é formada por cabeças pensantes”, disse o presidente.

Igor apresentou e propôs aos pré-candidatos a assinatura de um termo de compromisso com os estudantes universitários, abraçando a causa destes, na luta pelo fim do pagamento do transporte. A proposta foi elogiada pelos presentes.

Na próxima segunda-feira, 11, haverá uma reunião com todos os presidentes dos partidos que compõem o “Frentão”, para se discutir as coligações dos pré-candidatos a vereador.

Após mais de duas horas de discussões, a Frente Democrática Independente volta a se reunir na próxima quinta-feira, 14, dando continuidade as articulações políticas da oposição para as eleições deste ano.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Encontro saudoso de amigos

Olívia de Cássia – jornalista

No dia 7 de setembro próximo, quando se celebra o Dia da Independência do Brasil, antigos moradores da Rua da Ponte, do Jatobá e Taquari, em União dos Palmares, vão se encontrar num evento saudoso, para se confraternizarem e lembrar as amizades e dos bons momentos vividos nessas ruas do município.

O encontro está sendo articulado por Luciana e Ana Peixoto, antigas moradoras da Praça Benon Maia Gomes, que também foi levada pelo Mundaú. Passados dois anos, ainda é difícil para quem nasceu e viveu nessas ruas, acreditar em tudo o que aconteceu por ali.

Olhando os vídeos na internet a gente não pode deixar de se emocionar com o que aconteceu com a Rua da Ponte, uma rua história da cidade. Em 18 de junho próximo completa dois anos da grande tragédia de União dos Palmares: a enchente de 2010.

Parecia que um imenso tusinami tinha passado pela cidade naquele dia. Ruas completamente devastadas, pessoas desabrigadas e passando todo tipo de necessidade e até mortes de entes queridos aconteceram.

Foi como se o Rio Mundaú tivesse se esgotado e cansado de tantos maus-tratos de tanta poluição e de tanta imprudência humana e quisesse se vingar de todos passando por cima e arrastando tudo.

Mas as águas barrentas e velozes do rio naquele dia levaram não só os maus-tratos, mas também levaram sonhos, projetos, vidas e quereres. A saudosa e querida Rua da Ponte, a rua da minha infância e local onde eu nasci, foi levada sem dó nem piedade pelo Rio Mundaú.

A casinha onde eu chorei as minhas primeiras lágrimas, onde gritei meus primeiros gritos, tudo isso o rio levou. Não ficou uma só casa em pé; tudo foi transformado num monte de entulho, como se uma guerra tivesse atingido aquela região.

Foi duro acreditar que os sonhos que os meus pais construíram no começo da vida tinham ido embora, apesar de que já tinham se desfeito das casas e vendido tudo, mas dói ver que tudo aquilo foi embora e ainda bem que não estavam mais aqui para presenciar a tragédia.

Na Rua da Ponte, quando eu era menina, era por onde circulava o movimento econômico da cidade. Fábrica de doces, de panelas, de colchões de palha, mercearias, posto de gasolina, armazéns, oficinas , fábrica de vinagre, alambique de seu Orlando Baia e todo o transporte para a capital circulava por ali.

Os carnavais animados da rua, a escola de samba, o desfile dos mascarados, a festinha de rua que acontecia em frente da fábrica de doces. Tudo isso nos remete a lembranças saudosas.

Durante o dia, ficávamos na calçada da mercearia de meu pai observando tudo, com meu avô Manoel Paes; era lá na frente que tudo acontecia, pois os carros abasteciam no Posto de Gasolina de seu Anselmo Cavalcante, o Nininho.

A Rua da Ponte teve também associação de moradores, a escolinha do Bangu onde estudei minhas primeiras letras com a professora Josete Belém, reforçada com as aulas que tinha do meu irmão mais velho. São lembranças inesquecíveis para todos nós, além dos saudosos e bons banhos no Rio Mundaú.

Na Rua do Jatobá, tinha a festinha de seu Pedro fogueteiro, pai da professora Doralice Félix, a Dora, da Divonete, do Félix e da Adeilda. Eu ia pra festa com meu padrinho Durval Vieira e andava nos barcos de madeira do seu Cícero Lopes, pai de Gracinha. Era tão encantadora aquela nossa vida!

Os homens e mulheres devotos dos santos saiam nas portas das casas com a imagem do santo do dia, que estivesse sendo homenageado, tocando pífano e uma zabumba, pedindo donativos. É uma imagem que tenho muito viva. A Rua da Ponte e as demais que o rio levou não vão ser esquecidas, ficaram na memória da gente.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Projeto de reajuste de militares é aprovado em regime de urgência na ALE

Foto de Olívia de Cássia - arquivo
Por Olívia de Cássia com Sessão Pública e agências


Na sessão desta quarta-feira, 6, que contou com a presença de 17 deputados no plenário da Casa de Tavares Bastos, foi aprovado, em regime de urgência, o Projeto de Lei nº 25/12, de origem governamental, que fixa a nova tabela de subsídios para os soldados da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) de Alagoas. A votação aconteceu durante sessões ordinária e extraordinária.

Agora o projeto de lei seguirá para a sanção do governador Teotonio Vilela Filho (PSDB). Antes da aprovação da matéria, em primeira e segunda discussões, a sessão foi suspensa, por 30 minutos, a pedido do deputado Isnaldo Bulhões Júnior (PDT), para que as Comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Orçamento apreciassem o PL e emitissem os pareceres, que foram favoráveis à aprovação do texto.

Pelo projeto de lei, a nova tabela de subsídios para os soldados que compõem os quadros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas fica dividida em três categorias: aqueles quem têm mais de 25 anos de instituição passarão a receber R$ 2.343. Já quem possui até 24 anos, terá vencimentos de R$ 2,2 mil. E os soldados alunos vão receber R$ 1.046,00.

A mensagem explica ainda que, dentro desse aumento, já estão inclusos os 6% que foram concedidos para todos os funcionários públicos estaduais.

OUTROS PROJETOS

Também foram aprovados na sessão, em regime de urgência, o projeto que concede a revisão geral anual dos vencimentos dos servidores do Ministério Público Estadual (MPE) e o que reestrutura os cargos em comissão do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Este último, com os votos contrários da bancada petista e do deputado João Henrique Caldas (PTN).

Mesmo aprovadas em primeira e segunda discussões, a votação das matérias do TC e do MP na redação final – necessária, uma vez que os projetos receberam emendas modificativas – foi adiada por uma sessão, a pedido de JHC e Ronaldo Medeiros (PT), respectivamente.

Antes de votar contrário ao PL, o deputado Judson Cabral (PT) argumentou que o projeto não apresenta o impacto que a criação dos cargos comissionados terá na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e cobrou a implantação do Plano de Cargos e Carreiras (PCC) dos servidores da Corte de Contas, aprovado no Poder Legislativo.
Decisão judicial

O deputado Dudu Holanda. Ocupa a tribuna da Casa, para falar sobre seu partido, o PSD. Ele se reporta à decisão judicial, que negou o recurso do PMN, que reivindicava o mandato do parlamentar. Já o deputado João Beltrão (PRTB), por meio de requerimento, solicitou uma licença de 30 dias.

Encerrada a sessão o presidente da Casa convida os deputados para a próxima sessão, na terça-feira, 12, já que amanhã, 7, é feriado de Corpus Cristhi e não haverá expediente na Casa.

Estiveram presentes, o presidente Fernando Toledo (PSDB), Dudu Hollanda (PSD), Inácio Loiola (PSDB), João Henrique Caldas (PTN), Isnaldo Bulhões Jr. (PDT), Marcos Ferreira (PSDB), Patrícia Sampaio (PT), Olavo Calheiros (PMDB), Judson Cabral (PT), Severino Pessoa (PPS), Sérgio Toledo (PDT), Jeferson Morais (DEM), Ronaldo Medeiros (PT), Ricardo Nezinho (PT), Thaise Guedes (PSC), Nelito Gomes de Barros (PSDB) e Temóteo Correia (DEM).

Alguns instantes. Vivendo por aí...