sábado, 24 de março de 2012

Bem precioso

Olívia de Cássia- Jornalista

Embora a gente viva num planeta que tenha a sua maior parte constituída de água, esse bem precioso corre sérios riscos de secar. O Dia Mundial da Água, comemorado no último dia 22 de março, trouxe mais um alerta a respeito da escassez para a humanidade. A data celebrou o fim da estiagem e o começo do outono, embora na nossa região as estações não sejam bem definidas.

Durante toda a semana que antecedeu o 22 de março, várias discussões foram feitas pelo mundo afora, sobre os diversos temas relacionados a este importante bem natural que precisa de muitos cuidados. Constantemente, os ambientalistas alertam que corremos o risco de morrer de sede se não houver uma dedicação maior e um zelo pelas nossas nascentes, florestas, rios lagoas e todo o ecossistema do planeta.

O professor universitário Jorge Rio Cardoso, em artigo no site Negócios, lembra que o Fórum Mundial da Água, organizado pelo Conselho Mundial da Água (cuja sede é em Marselha), é o maior evento internacional sobre gestão da água e realiza-se de três em três anos, reunindo cerca de 20.000 especialistas de mais de 140 países.

Ele observa que embora suas conclusões não sejam deliberativas, o evento tem servido para “sensibilizar os grandes líderes mundiais no sentido de encontrar consensos alargados sobre o tema e, por maioria de razão, de colocar a Água na Agenda Política Internacional”.

Os temas discutidos no Fórum evidenciam que a causa da escassez de água é urgente. Segundo Jorge Rio, os governos devem assumir um papel de compromisso com as políticas públicas para o setor, tornando-as cada vez mais claras.

O acesso à água e ao saneamento básico é consagrado como Direito Humano por parte das Nações Unidas. “É preciso ter presente que a água é um elemento que, para além de ser essencial à vida humana, dita de forma clara a melhor ou pior qualidade de vida de uma população”, diz o professor.

No Distrito Federal, foi preparada uma vasta programação para celebrar a data. A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) celebrou convênio com a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) para o repasse de R$ 2 milhões a serem aplicados no programa Produtor de Água, nos próximos cinco anos.

O programa tem como foco o estímulo à Política de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) voltados à proteção hídrica no país. O Produtor de Água apoia, orienta e certifica projetos para redução da erosão e do assoreamento de mananciais no meio rural.

Em Alagoas a programação do Dia Mundial da Água foi chocha, pífia e raquítica. Precisamos abrir os olhos para o fato de que as nossas nascentes, mananciais e afluentes dos rios estão correndo perigo de secar. É preciso redobrar o trabalho de preservação, é preciso que as escolas públicas façam uma grande campanha, desenvolvam trabalhos com os alunos, no sentido de incutir a ideia do não desperdício da água, do cuidado com a natureza e com o ecossistema. O meio ambiente agradeceria.

Nenhum comentário:

Gaspari diz que agressão de Bolsonaro aos argentinos foi assombrosa

247 – O jornalista Elio Gaspari ficou indignado com a agressão de Jair Bolsonaro ao povo argentino, dois dias atrás. "A declaração de J...