sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Mestres da Cultura de Arapiraca habilitados em prêmio nacional

Assessoria

Seis mestres da Cultura arapiraquense foram habilitados na 4ª edição do prêmio "Culturas Populares: 100 anos Mazzaropi", realizado pela Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), do Ministério da Cultura (MinC).

Eles foram inscritos com o apoio da prefeita Célia Rocha (PTB), por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur).

O prêmio tem como intuito reconhecer a atuação de mestres e grupos ou comunidades responsáveis por iniciativas exemplares que envolvam as expressões culturais populares.

"Dos 12 projetos inscritos por nós neste concurso, tivemos a metade aprovados com nossos mestres mostrando a força que Arapiraca tem culturalmente. Agora, será feita uma avaliação pela banca examinadora do prêmio", diz Tânia Santos, secretária Municipal de Cultura e Turismo (Sectur). A Portaria de divulgação foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (26).

Os habilitados foram Alex Gomes da Silva, o "Pai Alex", mestre da Cultura Afrobrasileira; Elias Fortunato de Souza, o "mestre Elias do Guerreiro das Batingas"; José Cosmo de Araújo, o "Nego Aboiador"; José Wilson, artesão em chapéus de Reisado e Guerreiro; e, in memoriam,  José Martins da Silva, o "mestre Martim Zoa", considerado rei do canto do vaqueiro.

Dois destes – Pai Alex e Nego Aboiador – foram nomeados mestres da Cultura Popular Tradicional de Arapiraca em cerimônia realizada no mês de agosto, no Museu Zezito Guedes, juntamente de outros incentivadores culturais, artistas autodidatas e disseminadores da arte popular.


Esta edição do Culturas Populares, do MinC – que recebeu 1.467 inscrições –, é uma homenagem ao centenário de nascimento do ator Amácio Mazzaropi, símbolo da Cultura Popular no cinema nacional, nascido em abril de 1912. Seu principal personagem, o "Jeca Tatu", fazia uma crítica social com doses de bom humor. Serão no total 350 prêmios ofertados.

Nenhum comentário:

Canto escuro

Por Olívia de Cássia Cerqueira Mais uma vez, o autor Daniel Barros leva o leitor/leitora até a última página, sem nem sequer pensarmos em ...