sábado, 5 de julho de 2014

Atividades físicas devem ser estimuladas desde os primeiros meses de vida

Segundo especialistas, crianças que praticam
 esporte são mais saudáveis. Foto: Sandro Lima
Olívia de Cássia – Repórter

A prática de atividade física é excelente para o desenvolvimento infantil e estimula os hábitos saudáveis por toda a vida; devem ser estimuladas desde os primeiros meses de vida para que os esportes sejam bem trabalhados no futuro. 

A professora de Educação Física Monnique Elaine observa que desde as primeiras séries a prática do esporte já é recomendada pelos educadores.

“Nas primeiras séries a criança é inserida para se socializar, conhecer e fazer atividades lúdicas, sem competitividade; no ensino médio é que muda a forma e vai para o atletismo”, observa a professora. Já a psicopedagoga Lívia Vieira argumenta que estamos vivendo em uma nova era onde os pais colocam os filhos logo cedo na escola, por conta muitas vezes da violência e também da precocidade deles.

“Antigamente a gente tinha pena de levá-los tão cedo, mas hoje eles estão muito precoces e por conta da violência nas ruas, cada vez mais as crianças estão indo para a escola e se inserindo no esporte mais cedo”, observa.

Segundo Lívia Vieira, não existe uma idade definida para se colocar as crianças nas atividades físicas como esportes, línguas e ou artes: “Tem crianças que têm problemas de crescimento e já há a necessidade de se iniciar  com um ou dois anos na natação”, explica.

“A idade de iniciação nas atividades é a que a criança decide; muitas vão com seis anos, mas não existe de fato uma idade certa: minha filha, por exemplo, tem nove anos e o médico aconselhou que fizesse natação”, observa. 

Lívia Vieira reforça ainda que para atividade como leitura e artes, aos três ou quatro anos elas já se iniciam com trabalhos lúdicos para conhecerem.  A psicopedagoga pontua ainda que para o estudo de línguas, por exemplo, com quatro anos já tem crianças se iniciando, o que facilita no aprendizado e é até mais fácil para elas.

“O ideal é incentivar a prática de exercícios desde cedo, de forma que o pequeno crie hábitos saudáveis que o acompanhem ao longo de sua vida. Porém, é importante que a modalidade esportiva seja adequada à idade da criança, pois todo excesso é nocivo”, ensina. 

Escola sócio interacionista surge a ênfase no social

A Escola Oficina da Vida, localizada na Serraria, trabalha com o método sócio interacionista, que foi criado pelo psicólogo bielo-russo Lev Vygotsky e surge a ênfase no social. A escola trabalha com crianças a partir de um ano e quatro meses até o quinto ano e a psicóloga e pedagoga Maria de Fátima Carvalho dos Santos, que está na coordenação da escola, conta que a escola também trabalha com crianças que já estão fora de faixa.

“Esse grupo a gente intitulou de GI que é o Grupo de Integração, porque é um grupo que já está fora de faixa e que já ficou aqui: os amigos já saíram, mas eles continuam aqui porque os pais optaram. A gente apresentou uma proposta de trabalho que atende as necessidades deles, são moças e rapazes que já repetiram séries; tenho alunos com 14 ou 23 anos; a idade cronológica é essa, mas a mental é outra”, explica. 

“A gente foca as necessidades deles. Não adianta eu ter uma criança hiperativa e trabalhar com textos longos. A gente faz toda uma adaptação curricular;  eu trabalho Língua Portuguesa, Matemática, mas dentro do que é possível. Com uma criança eu faço sequência numérica até 100; com outra eu faço até o 20;  é um atendimento que chega a ser individualizado”, enfatiza.

Segundo a pedagoga, a escola tem cinco turmas da educação infantil e seis turmas do fundamental; trabalha do primeiro ao quinto ano com todas as áreas de conhecimento como: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História, Arte, Informática e Educação Física, entre outras disciplinas que estão fora da grade curricular, mas que fica a critério do aluno, como aulas de dança.

“Quando a gente insere as artes, depende do nível da idade de cada turma. Aqui na escola  a gente tem arte, que trabalha desde os pequenininhos desde a socialização ao quinto ano. Aula de futsal e outras modalidades esportivas o aluno faz se for matriculado na atividade. Tem aluno no judô, no futsal, na natação, entre outras”, destaca.

Maria de Fátima observa que a escola trabalha também com outro idioma, mas não existe essa exigência pelo MEC (Ministério da Educação): “Ele dá a sugestão para a gente trabalhar no Fundamental; o Inglês é terceirizado; mas arte, informática, capoeira, tem na grade curricular”, destaca.

Segundo ela, as crianças menores já se iniciam na musicalização a partir da socialização. “Os  pequenos já trabalham com música porque tem ritmo, desde o início. Aulas de arte também, com tintas, lápis; é diferente do fundamental. A Escola Oficina da Vida também fará uma atividade, no próximo dia 18, dividida em grupos, cada um representando uma região do país, destacando alguma dança ou manifestação cultural.


A reportagem da Tribuna Independente chegou à escola no último dia de aula, no fim da tarde e os alunos estavam agitados.  Queriam saber onde seriam divulgadas as fotos que estavam sendo tiradas na sala de aula decorada com a temática da Copa; alguns alunos especiais estavam jogando e desenvolvendo suas atividades. A professora explicou que eles iam sair no jornal e a curiosidade aumentou ainda mais: queriam várias  respostas.
Postar um comentário