segunda-feira, 30 de junho de 2014

Perdidos no tempo...

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Um poema, uma bebida quente, uma saudade,
Uma lembrança, uma paisagem deslumbrante,
Um horizonte imaginário, sem fim.
No campo as flores se desnudam
Para uma nova estação.
Onde anda a juventude de outrora?
Um pensamento, uma saudade.
Cadê meus sonhos juvenis?



Postar um comentário

Alguns instantes. Vivendo por aí...