sexta-feira, 13 de junho de 2014

Assembleia realiza sessão para debater violência contra o idoso alagoano, dia 16

Deputado Ronaldo Medeiros, autor do requerimento
 propondo a sessão (Foto: Olívia de Cássia\Arquivo
Olívia de Cássia – Ascom

 A Assembleia Legislativa Estadual (ALE) realiza uma sessão pública na segunda-feira, 16,  às 15h, que tem como tema:  “Idoso alagoano: O combate à violência no Estado”. O requerimento propondo a sessão é de autoria do deputado Ronaldo Medeiros (PT), atendendo uma sugestão de tema do professor Francisco Silvestre dos Anjos, idealizador do Curso de Agentes Sociais para pessoas da melhor idade da Faculdade da Cidade de Maceió (Facima), onde o parlamentar é professor voluntário da disciplina de políticas públicas.

Segundo Medeiros, a questão da violência doméstica contra o idoso a violência contra os idosos não ocorre só no Brasil: “Faz parte da violência social em geral e constitui um fenômeno universal. Em muitas sociedades, diversas expressões dessa violência, frequentemente, são tratadas como uma forma de agir “normal” e “naturalizada” ficando ocultas nos usos, nos costumes e nas relações entre as pessoas”, explica.

Ronaldo Medeiros observa que a violência e os maus tratos contra os idosos têm se ampliado e sugere uma discussão mais profundada da sociedade; sugere necessidade de maior campo de investigação. “Como defensor da causa do idoso no Estado, tenho vários projetos de responsabilidade social que beneficiam pessoas a partir dos 60 anos e, de imediato, acatei a sugestão do professor Silvestre, por achar um tema pertinente nos dias atuais”, disse Medeiros.

O parlamentar observa que muitos cuidadores e familiares se perguntam como alguém pode praticar atos que possam resultar em maus tratos para com os idosos. “Infelizmente, maus tratos em idosos podem ser mais comuns do que se possa imaginar e o que é mais dramático: os principais causadores dos maus tratos estão dentro de casa, das instituições asilares ou dos hospitais e é por isso esse debate é de fundamental importância”, observou.

O petista lembra ainda que, tanto no Brasil como no mundo, a violência contra os mais velhos se expressa nas formas de relações entre os ricos e os pobres, entre os gêneros, as raças e os grupos de idade nas várias esferas de poder político, institucional e familiar. “A maneira com que a sociedade trata os idosos é muito contraditória e é preciso um olhar especial para essa questão”, pontuou.

Considera-se maus tratos todo ato, único ou repetitivo, ou até omissão velada, que pode acontecer com a pessoa idosa, onde ocorre dano ou incômodo: maus-tratos físicos; abuso sexual; psicológico; negligência e abandono.

Foram convidados para a sessão, além dos deputados, o dr. Flávio Gomes (direitos humanos do Ministério Público); Associação Nacional de Gerontólogos secção Alagoas; OAB (setor do idoso); Associação dos Aposentados do INSS; Federação dos Aposentados; vereadores; secretários e outras autoridades ligadas à temática do idoso.


Postar um comentário

E agora, o que fazer?

Por Olívia de Cássia E agora, o que fazer? Essa pergunta me veio à baila, antes e depois da aposentadoria por invalidez e em alguns dias q...