segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Meu irmão

Foto: Olívia de Cássia 

Olívia de Cássia - jornalista

Às vezes a gente fica pensando e querendo entender os desígnios de Deus na nossa vida. Esse agravamento na doença do meu irmão, problema hereditário que acomete a nossa família, me faz ficar pensando o que leva uma das pessoas melhores do mundo a passar por isso.

Meu irmão Petrônio José, o segundo da prole lá de casa, é o melhor de nós, eu sempre digo isso. Um irmão dedicado, que sempre está pronto para me ajudar, na medida do que ele podia, que tivesse ao seu alcance, fosse financeiramente, ou dando uma palavra de conforto, quando podíamos escutar o que dizia.

Petrônio, como nós dizíamos quando éramos jovens, era o ‘filhinho da mamãe’, O mais obediente de nós quatro, o que ajudava dona Antônia nas tarefas domésticas e aquele que não respondia com malcriação  à nossa mãe.

Ver o meu irmão debilitado e agora em uma UTI hospitalar nos leva a pensar muitas histórias da nossa infância e da juventude e em tudo o que ele significa para todos nós que o amamos muito.

Teve o infortúnio de desenvolver muito cedo os problemas da Doença de Machado Joseph (ataxia spinocerebelar) um mal que acomete e já acometeu vários membros da nossa família e herdamos ela do nosso pai, que passou 14 anos de sua vida em cima de uma cama, para se dizer no popular.

Segundo a chefe da área de genética do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e pesquisadora da doença há 15 anos, Laura Bannach Jardim, não existe predileção por sexo e a doença surge, geralmente, na vida adulta. "No sul do Brasil, 50% dos pacientes manifestaram Machado-Joseph por volta dos 34 anos", disse ela.  A doença é degenerativa e ainda não existe tratamento para interromper a progressão da doença.

O ator Guilherme Karan, afastado da profissão desde 2005, agora está em cadeira de rodas e vive isolado em casa. Ele sofre da doença Machado-Joseph. Ela é hereditária e, quando ocorre, necessariamente, um dos pais da pessoa também tem o problema e foi o que aconteceu conosco.

Hoje meu irmão deu entrada na UTI  do Hospital do Sanatório, com complicações por conta da doença. Tenho pedido a Deus para aliviar as dores do meu irmão e que faça o que for melhor para ele, apesar da nossa dor.
Postar um comentário

Ainda tenho esperança

Por Olívia de Cássia Cerqueira O dia amanheceu com mais uma promessa de vida. É sexta-feira, dia de alegria, como todos devem ser: de agr...