quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

É Carnaval de novo!

Olívia de Cássia- jornalista

E mais é uma vez é Carnaval, tempo de alegria, de festa, de reencontro com os amigos, de esquecer um pouco as adversidades da vida; entretanto, não podemos nos entorpecer e fingir que não vemos ou colocar uma venda em nosso rosto diante das injustiças cometidas no nosso cotidiano. Não podemos dispersar a chama de inquietação que existe dentro de cada um de nós, pelo menos daqueles que ainda a tem.

O tempo voou, se reinventou, levou pessoas, levou e trouxe esperanças, deixou marcas, acumulou experiências e nos deixou mais atentos. Sinto falta dos meus amigos Silvio Sarmento e Kelly, tão felizes nos carnavais e que me traziam alegrias;  mas vamos pensar que eles estão em mundo melhor e que podem estar num lugar de luz.

Mas mudando de foco, em pleno século XXI me deparo com a notícia, durante a semana, da prisão injusta do ator e psicólogo Vinícius Romão e fico pensando nos milhares de Vinícius injustiçados que diariamente são punidos sem culpa e sem apelação nesse sistema falho que precisa ser mudando com a maior urgência.

A sociedade brasileira ainda carrega ranços colonialistas, de soberba, hipocrisia e preconceito e no racismo existente vamos seguindo o nosso dia a dia, muitos aceitando tudo sem se indignar, mas aqueles que têm um pouco de discernimento e indignação não podem calar diante disso.

E não é pelo fato de Vinícius ter participado de novela da Globo e ser psicólogo;  se não fosse a imprensa  repercutindo o racismo e a vítima fosse uma pessoa pobre, estaria passando por constrangimentos muito piores, traumas que vai carregar para o resto da sua vida. Vinícius ficou preso por 15 dias e sabendo como funciona o sistema prisional no país, dá para imaginar o que deve ter passado.

Mal o ano começou e já foram divulgados pelo menos três casos no País, uma terra de pessoas  que nasceram de uma mistura de raças. O mundo evoluiu, a época da falta de informações e da ignorância já passou e nem assim as pessoas procuram mudar. Mas como existem bilhões de pessoas no mundo e cada uma com o seu modo particular de ser, o ser humano continua sendo uma incógnita, para quem lida com isso.

Mas é Carnaval e nessa época faço viagens saudosas no tempo, me lembrando da infância e juventude e do quando fomos felizes em nossos carnavais na Terra de Zumbi, o herói da liberdade. Dos bailes na Associação Atlética Palmarina,  às nossas incursões pelas ruas e avenida, passeios e muitas vivências.

Em tempo de Carnaval, vamos procurar viver nossas vidas sendo mais tolerantes, sendo verdadeiros e mais felizes. O Rei Momo vem chegando e trazendo irreverência, alegria e muita festa.  Vamos brincar, pular, aproveitar a vida com responsabilidade e prevenção. Aproveitem a vida e bom Carnaval!
Postar um comentário

Em livro, jornalista mostra como descobriu mais de 80 casos de doença rara na família

By Odilon Rios (Site Repórter Nordeste São grandes os desafios das pessoas que convivem com os efeitos da doença de Machado-Joseph, que é...