quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Que venha o ano festivo...

Olívia de Cássia - jornalista

Daqui a pouco teremos os festejos de Momo, logo no começo do mês de março; depois, a Semana Santa, a Copa, uma campanha eleitoral e as eleições: e tudo vira uma grande festa nesta terra amada chamada Brasil e eu, como festeira que sou não acho tão ruim. Tomara que seja um ano de trabalho, produtividade, muita paz e que consigamos nos fortalecer.  

Cá com meus botões, não alimento mais em mim nenhuma expectativa com relação aos outros, a projetos mirabolantes que são alardeados em épocas eleitorais, feito o canto da sereia. Não acredito mais em promessas vãs.

Hoje em dia eu creio mais em projetos que se concretizam, em propostas viáveis, em quem faz ao invés de ficar criticando. Com tanta notícia negativa cercando o meio político, é bom ter cautela e discernimento, mas também não cair em esparrelas de denúncias vazias, em boatos maldosos e baixarias.

As redes sociais este ano serão uma porta de entrada para muita especulação e é bom ficar de olho. Não tenho mais ilusões e como disse o poeta ‘foram todas perdidas’. Muita coisa ruim deve vir pela frente nesse período e cada dia eu aprendo mais com o ser humano; não me surpreendo doravante com atitudes grosseiras, corrupções e falta de lealdade. Tudo isso anda junto e misturado.

Tenho dito que aprendi muito nesse meio século e pouquinho de vida e não vou mais deixar que me magoem, de uma forma ou de outra. O ser humano é muito venal quando quer e quando os interesses escusos lhes fazem ultrapassar a barreira da gentileza e da honestidade.

Carrego comigo conceitos que apendi com meus pais e muitos nem precisaram ser ditos, porque foram assimilados pela conduta de ambos. Meus pais não tiveram estudos, vieram da roça, mas carregavam consigo ricos valores que nos foram transmitidos para toda a vida. E vez ou outra eu estou a rememorar as lições que aprendi com eles.

Foram muitos os ensinamentos, que, de uma forma ou de outa, me fizeram uma cidadã consciente e uma pessoa melhor.E cada dia eu procuro melhorar; não que eu seja melhor do que ninguém, mas aprendi que cada dia é um aprendizado a mais que temos. Com perseverança, com um pensamento positivo e muita força de vontade eu vou seguindo.

A gente aprende com as decepções e elas se transformam em experiências que vão se acumulando ao longo do tempo e vão fazendo a gente crescer como ser humano.  Mas esse crescimento interior também depende de que forma nós vamos alimentando o nosso cotidiano. Que venha esse ano festivo e atípico que todos dizem por aí.
Postar um comentário