domingo, 21 de dezembro de 2014

Organização e planejamento devem ser usados para gastos com 13º


Fim de ano e com dinheiro extra no bolso, em virtude do 13º salário, consumidores movimentam shopping centers e comércio da cidade
Fim de ano e com dinheiro extra no bolso, em virtude do 13º salário,
consumidores movimentam shopping centers e comércio da cidade


Fotos: Adailson Calheiros

Olívia de Cássia - Repórter\ Tribuna Independente
O prazo para as pessoas receberem a segunda parcela ou o pagamento integral do 13º salário termina neste sábado, 20, e segundo alguns especialistas deveria ser pensado como aquele dinheiro extra que nos serviria para fazer crescer o dinheiro que já estamos poupando. Para os endividados, o 13º parece ser a salvação para todos os males.
Segundo uma pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), oito em cada dez brasileiros possuem a intenção de gastar o 13º salário em compras de fim de ano. Um dado interessante da pesquisa é que, desse total, 55% disseram que vão utilizar apenas uma parte do valor para comprar presentes e 27% informaram que pretendem gastar todo o dinheiro extra em compras.
Segundo o economista Lucas Sorgato, especialista em economia alagoana e em economia e cotidiano, planejamento é o primeiro passo para se ter tranquilidade financeira. Segundo o economista, antes de mais nada é preciso que o consumidor faça uma avaliação da real situação econômica.
“O décimo é algo esperado por todo o trabalhador e deve ser gasto de acordo com a estrutura financeira da família; depende do perfil de cada um”. Lucas Sorgato explica que se a pessoa tiver dívidas caras como cartões de crédito e outros débitos, é aconselhável que o consumidor utilize o décimo para quitar esses compromissos. “O ideal é quitar o débito para ficar livre do endividamento”, observou.
Paula e Lázaro de Souza disseram que utilizaram o extra para viajar; casal é do Acre e usou o 13º salário para conhecer Maceió: ‘Estamos gostando muito daqui’, disse ela (Foto: Adailson Calheiros)
O especialista em economia e cotidiano também pontua que se a pessoa puder e não tiver dívidas, pode comprar presentes para os entes queridos; curtir com a família: “Mas lembrando que no mês de janeiro aparecem gastos extras como o IPVA, material escolar”, destaca.
Lucas Sorgato ensina que esse é o período de férias da família, quando se sai para jantar; praia e tudo isso deve ser incluído no orçamento. “Se a pessoa não tiver dúvidas e não for usar o décimo para outras despesas, o ideal é que guarde alguma quantia ou faça investimentos que possam render dividendos no futuro”, ressalta. 
Para o economista, saldar as dívidas é realmente o mais importante, mas não deveríamos considerar o benefício como resgate das dívidas. “O 13º devia ser pensado como aquele dinheiro extra que nos serviria para fazer crescer o dinheiro que já estamos poupando. E não falo de guardar dinheiro por guardar: poupamos para ter um fundo de reservas em eventualidades, pagar as contas sazonais - janeiro é mês delas - e também para realizar os sonhos, como viajar, trocar de carro, comprar casa própria", explica.
Consumidores estão divididos sobre o que vão fazer com dinheiro
A reportagem da Tribuna Independente visitou no começo da noite de ontem um shopping da de Maceió, para ouvir os consumidores sobre o que irão fazer com o 13º. Na primeira abordagem, a jovem Milena da Silva disse que vai usar o dinheirinho extra para quitar as dívidas, mas ressaltou que vai fazer mais. “Vou usar para pagar minhas contas de 2014 e fazer outras para 2015”, disse sorrindo.
O casal Paula e Lázaro de Souza utilizou o décimo para viajar. Dona Paula e seu Lázaro vieram do Acre para passeio e disseram que já utilizaram o extra para isso. “Já utilizamos e aproveitamos para viajar e conhecer Maceió; estamos gostando daqui”, disse dona Paula de Souza.
Na terceira abordagem, a jovem trabalhadora Ingredi Francielli disse que vai usar o 13º para investir. “Vou aproveitar e depositar no banco, investir, para ter alguma renda e prevenir para alguma necessidade”, disse cautelosa.
A jovem Ingredi Francielli disse que vai usar o 13º para investir (Foto: Adailson Calheiros)
Dona Raimunda Pimentel veio do Amapá para visitar a família e está em Alagoas desde o dia 10 de dezembro. “Meu genro é daqui e a gente aproveitou para passear e conhecer o Estado; já gastei todo o décimo”, ressaltou.
Dicas para utilizar o décimo-terceiro
A reportagem pesquisou algumas orientações básicas para gastar o 13º sem comprometer o orçamento financeiro e não começar 2015 endividado: Por maiores que sejam as facilidades de compra nesse momento, o consumidor deve observar a sua real situação financeira e projetá-la pelos próximos 12 meses, no mínimo, para ter certeza de que o que foi gasto não fará falta.
Em segundo lugar, relacionar os gastos normais e os típicos de fim e início de ano, como despesas com viagens, ceias (Natal e virada de ano), IPVA, IPTU, matrícula e material escolar, entre outras despesas.
Terceiro: é importante observar que, antes de ir às compras, deve-se guardar parte desse dinheiro para outros sonhos (objetivos e metas); antes de sair às compras, listar as pessoas que irá presentear e quanto pretende gastar com cada uma.
Outra dica é antecipar as compras, evitando, assim, filas. Dessa forma, encontrará preços melhores e terá maior prazo para negociação; pesquisar os preços dos produtos em, pelo menos, cinco lugares, não se esquecendo da internet, que, algumas vezes, pode ter ofertas interessantes.
Também é preciso buscar o menor preço à vista e negociar os valores sempre e evitar parcelamentos, principalmente os longos. Em caso de impossibilidade de pagamento à vista, faça parcelas curtas. Não se esqueça de que essas parcelas serão somadas com outras já existentes em seu orçamento.
Postar um comentário

Ainda tenho esperança

Por Olívia de Cássia Cerqueira O dia amanheceu com mais uma promessa de vida. É sexta-feira, dia de alegria, como todos devem ser: de agr...