segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

O encontro

Olívia de Cássia – jornalista

Fazia tempo que a nossa turma da faculdade, da Comunicação da Ufal, do movimento estudantil da década de 80, não se encontrava fraternalmente para desfrutar e relembrar dos  nossos bons momentos vividos naquele tempo. Apesar da dureza da ditadura, a gente sabia se divertir, protestar.  

Encontrar uma parte dos amigos me reenergizou, me fortaleceu  e me fez muito bem. É  bom rever pessoas, reencontrar amigos que nos enriqueceram culturalmente e que nos fizeram pessoas melhores. Falamos das aventuras vividas, dos amigos que não estavam presentes, das nossas homéricas farras, dos professores, da vida, enfim.

Apesar de a gente se ver em alguns eventos da categoria, de vez em quando,  fazia tempo que eu não me juntava aos bons amigos. Nos reencontramos depois de muitos anos  e falamos do passado e presente. Ficamos de programar outros encontros, dessa vez mais organizados e previsíveis, com mais participantes.

Apesar das perdas que tivemos ao longo do tempo, da falta de alguns que já se foram, dos anos passados e dos cabelos grisalhos da maioria, dos tingidos também, mudamos, mas continuamos todos iguais.

Continuamos defendendo os nossos ideais, pelo menos a maioria, a persistir caminhos mais justos, a gostar das músicas que ouvíamos antes e a ler os nossos autores preferidos.

O tempo passou, mas ainda somos aprendizes da vida.  E como é bom este sentimento que tenho agora. Vamos nos encontrar de novo, galera. 
Postar um comentário

Em livro, jornalista mostra como descobriu mais de 80 casos de doença rara na família

By Odilon Rios (Site Repórter Nordeste São grandes os desafios das pessoas que convivem com os efeitos da doença de Machado-Joseph, que é...