terça-feira, 30 de setembro de 2014

Greve dos bancários tem início e agências continuam fechadas

Mas apesar da paralisação, serviços dos caixas eletrônicos continuam funcionando

Olívia de Cássia – jornalista



O primeiro dia de greve dos bancários alagoanos, nesta terça-feira, 30, teve a adesão de 80% da categoria em todo o Estado, segundo o presidente do Sindicato dos Bancários, Jairo França. “A paralisação da categoria começou com forte adesão e pretendemos permanecer de braços cruzados durante todo período de greve”, observou.

Jairo França destaca que a adesão à paralisação nos próximos dias deve aumentar. “A greve começou como nós esperávamos, firme e forte. Vamos trabalhar para que a adesão seja maior no decorrer da semana”, observou.

Com o fechamento das agências bancárias da capital,  as filas nas casas lotéricas se multiplicaram e no GBarbosa da Serraria, ontem à tarde,  estavam dando voltas. O único serviço realizado ontem nos bancos foram os dos caixas eletrônicos que ainda continuam abastecidos.

A maior adesão à greve dos bancários, segundo o presidente da entidade, foi nos bancos públicos, chegando a 100% na capital. “A paralisação atingiu os bancos públicos e privados, incluindo os prédios onde funcionam as superintendências do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste”, pontuou.

MOBILIZAÇÃO

Para o presidente do Sindicato, a mobilização para a realização de uma greve forte foi muito importante, para fazer os banqueiros apresentarem uma proposta avançada aos trabalhadores.  “A última proposta da Fenaban foi insuficiente, não atende a pauta de reivindicações da categoria. Temos que fortalecer nosso movimento para que assim possamos garantir um reajuste digno”, observou.

Segundo o sindicalista, a greve é consequência da intransigência dos bancos, que lucram bilhões por ano e insistem em não melhorar as condições de trabalho, incluindo mais segurança, emprego, salário, saúde e igualdade.

Os bancários estão em negociação salarial e a pedem  a solidariedade da população. Jairo França ressalta que apesar da greve, os serviços dos caixas eletrônicos continuam funcionando, bem como as loterias, para quem precisa pagar contas e sacar pequenas quantias, se for cliente da Caixa.

Os bancários estão indignados com a desvalorização do serviço no dia-a-dia e com a falta de propostas decentes por parte da Fenaban. Na primeira rodada de negociação, ocorrida no sábado, em São Paulo, os banqueiros oferecem reajuste de 7,35% (0,94% de aumento real) para os salários e demais verbas salariais de 8% (1,55% acima da inflação).

Segundo o presidente do Sindicato, os bancários reivindicam reajuste de 12,5%, valorização do piso salarial no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 2.979,25 em junho), defesa do emprego, fim da terceirização e combate às metas abusivas e ao assédio moral. “A greve continua por tempo indeterminado, até que seja apresentada uma proposta que contemple os anseios da categoria”, finaliza. 
Postar um comentário

Alguns instantes. Vivendo por aí...