sábado, 17 de outubro de 2015

Santeiro comemora 40 anos de arte com exposição no Mupa

Olívia de Cássia - Repórter *
Primeiro Momento


Evento vai até o dia 31 de outubro e promete atrair o público interessado pela arte na  madeira.

Até o dia 31 de outubro, das 8h às 14h, Antônio Francisco Santos, 55 anos, mais conhecido como Timmaia Santeiro, faz exposição de suas esculturas de madeira, no Museu Palácio Floriano Peixoto [Mupa]. São 35 imagens esculpidas pelo artista, com tamanhos que variam de 50 centímetros a 1,20 metro.
Timmaia estava sem expor há três anos e presenteia o alagoano com a mostra da maturidade de suas belas esculturas com detalhes perfeitos, que promete atrair um grande público. Fotos: Paulo Tourinho
 A mostra acontece em parceria da Prefeitura de Penedo e o Governo de Alagoas, por intermédio das secretarias de Cultura de Estado e do município. O artista disse que sua última exposição foi em 2013, em Penedo, e agora está com a proposta de todo ano fazer pelo menos duas exposições.
O trabalho do santeiro  conta parte da sua trajetória no mundo do entalhe na madeira e celebra 40 anos de aprendizagem e de arte. “Maceió foi um começo; tem seis meses que venho trabalhando nessa exposição. A primeira vez que fiz exposição em Maceió ainda foi com o professor Ranilson França, na Rua Pedro Monteiro”, conta.
Timmaia estava sem expor há três anos e presenteia o alagoano com a mostra da maturidade  de suas belas esculturas com detalhes perfeitos, que promete atrair um grande público. “São 40 anos de passagem pela Escola de Artes Circulista e de trabalhos em todo o Brasil. Foi duro chegar até aqui”, destaca.
Ele reforça que costuma dizer que o momento mais difícil passou, “que foi criar os filhos sobrevivendo da arte. Não foi fácil, nem difícil. Foram 40 anos de batalha. E para sobreviver da arte, precisei de muito trabalho”, avaliou.
Timmaia explica que aprendeu a arte com o já falecido mestre Antônio Pedro dos Santos, descendente da Escola de Santeiros do Penedo e quem mais deixou discípulos na histórica cidade.
“Eu conheci o mestre o mestre por acaso e ele percebeu que eu tinha talento para a arte. Eu estava tendo aula particular com uma professora para fazer o exame de admissão ao ginásio. Era um teste que se fazia para ingressar no ginásio. Tipo um vestibular, só que para ter acesso ao ginásio”, explica.
 Por coincidência, era no mesmo prédio do Ciclo Operário, onde o mestre dava aula também. “Entre uma aula e outra, eu ficava observado o mestre transmitindo seus conhecimentos, esculpindo e, fiquei interessado pela arte”, lembra.
Timmaia destaca que de repente estava lá, sendo aluno do mestre. “Passei um ano entalhando, sem frequentar diariamente à escola, por causa do ginásio. Depois desse primeiro ano, resolvi transferir o curso para à noite, foi quando comecei a frequentar com mais assiduidade”, pontua.
Com muitas histórias ainda para contar nestes ‘40 anos de Arte’, Timmaia Santeiro já expôs em todos os grandes hotéis de Maceió. Seus trabalhos já foram expostos em Aracaju, Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo. Suas obras estão em todo o Brasil e diversos países do mundo.
“O artista precisa de novos contatos, fazer novas amizades, contar suas histórias para os visitantes e compradores. Também precisamos vender nossos trabalhos para sobreviver. E essa exposição será uma excelente oportunidade. Participem, todos poderão conhecer um pouco da arte de santeiro”, finalizou Timaia. Quem quiser encomendar algum trabalho do artista, é só ligar para o 9 8809-6460.







  * Com assessoria
Postar um comentário

Ainda tenho esperança

Por Olívia de Cássia Cerqueira O dia amanheceu com mais uma promessa de vida. É sexta-feira, dia de alegria, como todos devem ser: de agr...