Projeto Velas Artes‏ leva cultura alagoana para o mar

Olívia de Cássia - Repórter \ Primeiro Momento

No domingo, 4, a partir das 10h, cerca de 20 jangadas desfilarão por três horas entre o Alagoinhas, na Ponta Verde, e a Praia de Pajuçara, onde exibirão os trabalhos criados pelos artistas plásticos alagoanos. O mesmo desfile irá se repetir no dia 5 de dezembro em comemoração aos 200 anos da cidade de Maceió.

A ideia da revitalização da proposta foi de Mirna Porto, para festejar o aniversário da capital alagoana. No Armazém Uzina eles pintaram as velas e reuniram a imprensa para falar da proposta: são estilos diversos e cada um mostra sua criatividade nas artes plásticas, jogando com cores e elementos da cultura alagoana.

“Mirna teve a ideia de revitalizar o Projeto, que foi idealizado por Gustavo Leite, há 21 anos; ela chamou os artistas que participaram das primeira e segunda edições; as pinturas foram feitas nas velas, que terão elementos da cidade de Maceió e serão expostas nas jangadas no domingo”, observa o artista plástico Paulo Caldas, que trabalha com artes desde criança.

Paulo Caldas disse ainda que se sente muito horado em participar desse projeto “e agradecido por ter sido lembrado a participar dele”, destacou. Rogério Sarmento disse que é a primeira vez que está participando do projeto, que segundo ele está trazendo muita harmonia entre os artistas alagoanos.

“Estou achando uma delícia participar do Velas Artes, são três dias de festa e os artistas estão todos numa harmonia só, ajudando um ao outro. A minha tela é a pastora; em homenagem à Vera Arruda. O tema é o filé; a colcha de retalho, a chita e a diana do pastoril, homenageando Alagoas com as cores da bandeira”, disse ele.

Rogério observa que da mesma forma que todos os artistas envolvidos no projeto “são da raiz, vão colocando nas telas um pedancinho do Estado. Uma das velas tem as cores da bandeira do Brasil em balões. Já Paulo Caldas está usando filé, o mar de Maceió; cada um tem a sua criatividade”, destaca.

O artista plástico Lula Nogueira está participando do Velas Artes pela segunda vez e disse que em sua tela-vela está homenageando o bairro do Jaraguá, onde ele pintou a Estátua da Liberdade, que está localizada nos fundos do Museu da Imagem e do Som (Misa).

“Jaraguá foi um bairro boêmio, várias vezes e continua sendo; um bairro que tem a aura da liberdade, atrai os artistas e tem história. Precisa de mais atenção”, observa. Segundo Lula Nogueira, o interessante desse projeto é a convivência dos artistas, trocar ideias, a harmonia, compartilhar o trabalho com a maioria da população.

 “A arte está muito desvalorizada hoje em dia e é preciso levá-la para a população; popularizar, para que o pessoal que frequenta a praia tenha conhecimento, democratizar a arte e essa maneira de produzir também, abre um leque de possibilidades; a acolhida foi muito boa, a crítica também”, destaca.

Outro artista estava fazendo uma homenagem para o músico Beto Leão, que está com problema de saúde sério e hospitalizado. Já  Suel fez uma homenagem para o músico Hermeto Pacoal, tendo feito uma imagem gigantesco do ‘buxo’ da música, que nasceu em Lagoa da Canoa.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Que vença o melhor

De repente você percebe

Até quando não sei