quinta-feira, 8 de maio de 2014

Sindicato discute com prefeito correção salarial de jornalistas

Fonte: Sindjornal
Diretores do Sindicato estiveram reunidos na tarde desta quarta-feira (7) com o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, buscando solucionar a defasagem salarial dos jornalistas efetivos do Município. A reivindicação, que já tinha sido apresentada à Prefeitura em outras oportunidades, inclusive na gestão anterior, ganhou mais força após o governo municipal decidir fazer uma reforma administrativa, cujo projeto será votado na Câmara até o final de junho.

Os jornalistas efetivos do município recebem salário muito abaixo do piso. Uma das soluções  apresentadas pelo Sindicato ao prefeito foi a criação da carreira de jornalista no serviço público municipal, o que corrigiria distorções de salário e jornada, além de permitir a criação de cargos efetivos e comissionados.  A mesma proposta foi apresentada há alguns anos ao governo estadual, que chegou a elaborar um anteprojeto de carreira que se encontra na Casa Civil.

O prefeito não adiantou que medida será adotada para corrigir a distorção salarial dos jornalistas efetivos, mas concordou que a solução deve ser estrutural, de forma a alcançar também jornalistas contratados futuramente. Ele ficou de agendar uma reunião do Sindicato com os gestores da Secretaria de Administração para que a questão seja discutida tecnicamente e, depois, seja apresentada a melhor solução.

A reunião com o prefeito nesta quarta-feira contou com a presença do deputado Judson Cabral (PT), que apoia a reivindicação do Sindicato e ajudou a agendar o encontro. Outros parlamentares, como a vereadora Tereza Nelma (PSDB ), também já se manifestaram favoráveis à reivindicação do Sindicato e estão dispostos a ajudar, na Câmara Municipal, para a criação da carreira do jornalista.

O secretário de Comunicação de Maceió, Clayton Santos, também foi procurado pelo Sindicato. Ele tem contribuído para que a reivindicação da entidade seja discutida com o governo municipal e vem adotando a política de pagar pelo menos o piso da categoria aos jornalistas comissionados. 
Postar um comentário

E agora, o que fazer?

Por Olívia de Cássia E agora, o que fazer? Essa pergunta me veio à baila, antes e depois da aposentadoria por invalidez e em alguns dias q...