quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Criança é barrada por companhia aérea em embarque

Foto: Sandro Lima
Olívia de Cássia- Repórter

Na tarde de ontem, no aeroporto de Maceió, uma cena chamou a atenção da reportagem da Tribuna Independente. Eliene Bento da Silva estava indignada com a companhia aérea Azul, na qual veio de São Paulo e teria que retornar ontem, porque não conseguiu embarcar de volta para São Paulo, segundo ela, com a filha adotiva de um ano e meio.
Ela veio passar uns dias na casa da mãe, no município de Teotônio Vilela e estava em uma lanchonete do aeroporto, quando encontramos o grupo. Eliene Bento da Silva estava acompanhada da avó paterna da criança, Maria Felismino Sila e mais um casal e disse que teve autorização da mãe biológica da menina para ir a Alagoas.
Com uma declaração feita a mão e assinada pela juíza substituta Viviane Amorim, do subdistrito 41º de São Paulo, Eliene Bento disse que já tinha percorrido vários fóruns em Maceió, Arapiraca, Teotônio Vilela e Junqueiro, mas disse que os juízes estavam de férias ou ausentes do local de trabalho, que pudesse autorizar o embarque, diante da negativa da Azul.
Segundo Eliene, o pai da criança já é falecido, ela seria mãe adotiva da criança e teria que voltar porque  retoma ao trabalho nesta quinta-feira. Segundo ela, a argumentação da empresa aérea é que a declaração trazida por ela de São Paulo não é válida.
“Se a declaração não é válida, com é que viajei com a criança? Já falei com o responsável pela empresa e me disseram que tem que ter outra autorização”, observou. A reportagem tentou entrar em contato com a empresa  Azul mas não teve sucesso. No final da tarde ligamos para dona Eliene Bento para saber o que ficou definido e ela informou que teria que embarcar e deixar a criança com a sua mãe, que mora em Teotônio Vilela.
“Vou ter que deixar a criança com  minha mãe e a mãe biológica vai ter que vir para Alagoas buscar a criança; não sei como isso vai ser possível. Só neste estado mesmo que acontece isso, se fosse me São Paulo já tinha resolvido”, finalizou.
Postar um comentário

Alguns instantes. Vivendo por aí...