quinta-feira, 3 de abril de 2014

Racismo é institucional e está em todo o sistema de comunicação

Foto: Sandro Lima

Olívia de Cássia – Repórter

Um dos temas abordados no I Encontro Nacional dos Jornalistas pela Igualdade Racial (Enjira) foi a Mídia e o racismo institucional, que teve como palestrante Washington Andrade, diretor do Portal Áfricas, da cidade de Araraquara, São Paulo. Segundo o jornalista, o racismo é institucional e está em todo o sistema de comunicação.

“O racismo é institucional, temos dificuldade de colocar o jornalista negro não só nas redações, como em todas as mídias e também na apresentação de jornais televisivos, pois eles (os empresários de comunicação) argumentam que há muita informação, no cabelo e nas roupas dos jornalistas negros”, observa.

Washington Andrade observa também que é difícil ver nas pequenas mídias o investimento do governo. “O governo continua investindo nas grandes mídias e é difícil a gente ver esse investimento nas pequenas mídias. Estamos discutindo no Enjira propostas que serão aprovadas e encaminhadas no final do evento para vários setores”, destaca.

Entre as propostas discutidas na tarde de ontem pelos jornalistas que defendem a igualdade racial estão: analisar o envio de pautas sobre as mulheres negras nas redações; moção de apoio à manutenção do sistema de cotas na Universidade Nacional de Brasília (UNB); apoio para manter pesquisa crítica e nacional sobre a cobertura racial no Brasil; moção de apoio ao Projeto de Lei que está tramitando no Congresso Nacional, a respeito de cotas nos concursos públicos, entre outras.

O evento contou com a participação de integrantes das Comissões de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojiras) de São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Alagoas, Paraíba e Bahia, além do Núcleo de Jornalistas Afrobrasileiros do Rio Grande do Sul, que agregam profissionais engajados na discussão da temática, além de representantes dos demais sindicatos da categoria em outros Estados do Brasil.

Todas as propostas discutidas e aprovadas no I Enjira serão encaminhadas para o 36º Congresso Nacional que foi aberto ontem, com uma conferência de abertura ‘Jornalismo para humanizar a comunicação’, ministrada pelo do sociólogo francês Dominique Wolton, doutor em sociologia, diretor de pesquisa do Centro Nacional da Pesquisa Científica (CNRS) na França, seguida de um coquetel de confraternização de boas vindas.

O evento prossegue nesta quinta-feira, 3, às 8h, com credenciamento e uma plenária de aprovação do regimento interno; às 9h, palestra de Celso Schröder, ´residente da Federação Nacional dos Jornalistas, sobre a contribuição histórica do jornalismo para a constituiçãp da democracia.
Postar um comentário