quarta-feira, 9 de abril de 2014

Causa do acidente ainda não foi esclarecida

Olívia de Cássia – Repórter
(Foto: Tribuna Hoje)

A causa do desabamento de um dos silos do Moinho Motrisa, na Avenida Comendador Leão, na tarde de segunda-feira, 7, ainda não foi esclarecida . Segundo o assessor de Marketing da empresa, Rafael Benedict, as famílias que foram retiradas das casas estão sendo assistidas e foram deslocadas para hotéis da Pajuçara e Ponta Verde, em Maceió.
Os proprietários das vinte e três casas da Vila Nossa Senhora do Carmo, local mais atingido pelo desabamento de uma das torres, serão indenizados e Rafael Benedict observou, no final da tarde de ontem, que muita informação está sendo passada sem ter veracidade. “O Moinho Motrisa está dando e dará toda a assistência aos moradores”, pontuou.
 Segundo o assessor de Marketing, não foi confirmado se a causa do desabamento teria sido uma explosão. “Quem vai dizer e o laudo técnico, que deve ficar pronto em alguns dias; é difícil explodir um moinho e ainda é muito cedo para dizer; a reunião desta tarde deverá tirar as estratégias e ações a serem tomadas daqui por diante”, disse.
 Sobre possíveis prejuízos que o desabamento tenha causado  à empresa, Rafael observou que nesse momento o mais importante é dar assistência às famílias, acomodando  o pessoal primeiro.
MP
 A reportagem da Tribuna Independente ligou ontem à  tarde para o Ministério Público Estadual (MPE) para saber se a instituição vai abrir investigação sobre o caso. A assessoria informou que o procurador Sérgio Jucá está viajando, mas  a informação é a de que a priori o MP não vai interceder, a não ser que seja provocado.
“O MP vai aguardar a relatoria do inquérito e se for solicitado, o procurador geral do Estado, (Sérgio Jucá), designará  um promotor”, observou.
Postar um comentário

De uns tempos para cá...

Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira De uns tempos para cá estou introspectiva, pensando na vida e no tudo que ela me trouxe, ao long...