domingo, 2 de novembro de 2014

Sobre o ódio e a intolerância...

Olívia de Cássia – jornalista

Incrivelmente, há uma semana das eleições presidenciais, o acirramento da disputa ainda não acabou e parece que terá um terceiro turno pela frente; pelo menos é o que apostam os perdedores insatisfeitos. São sentimentos conservadores que estavam encubados e que se revelaram na campanha presidencial.

Alguns eleitores do candidato derrotado Aécio Neves, liderados pelo roqueiro entorpecido pelo ópio Lobão, fizeram uma passeada no sábado, 1º, pedindo o impeachment da presidente Dilma, eleita legitimamente pela maioria e num processo democrático, no último dia 26 de outubro.

Não pensem que a militância que foi às ruas defender a candidatura da presidente Dilma vá se acovardar diante de uma provocação, mas é melhor que as ‘ditas’ lideranças desses lunáticos entorpecidos se afinem com a realidade e lembrem que a ditadura já passou.

Vivemos em um regime democrático e de direito e se não fosse isso, esses que foram às ruas ontem,  teriam sofrido represálias, diferente do que propagam ser o Brasil uma ditadura. Quem diz que estamos vivendo numa ditadura está agindo de má-fé; nunca leu um livro de história ou está querendo se aproveitar da ignorância de outros.

É de se estranhar a postura dessa gente, principalmente do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, tão afeito à civilidade e à elegância, que inclusive estava percorrendo o Brasil, defendendo a liberação da maconha, que esteja apoiando esse tipo de comportamento.

Mas da mesma forma que nesse mundo a gente deve estar acostumada a todo tipo de insurgência, não devemos estranhar tanto a postura desse pessoal. Dizem que o ser humano não sabe amar pela metade, da mesma forma que não sabe odiar pouco. Vai aos extremos.

Embora eu não concorde muito com a teoria, ultimamente é o que estamos vendo nas redes sociais. Ao contrário dessa gente, como disse Kiko Nogueira em seu blog, temos que nos unir para a continuação de um país mais solidário, mais justo, com mais oportunidades para todos: independente de cor, crença, religião ou região do país em que cada um tenha nascido.

“As pessoas deveriam ser agradecidas pela diversidade do nosso grande país. Essa é a nossa riqueza”, disse Kiko. Os ricos e conservadores de plantão, insatisfeitos com os programas sociais do governo, disseminam o ódio e a volta do país a uma ditadura militar.

Só um ignorante e sem escrúpulo defende a volta do cerceamento dos direitos civis e da violência por causa da manifestação de pensamentos, porque é isso que estão defendendo claramente.

Cinicamente, esses defensores da direita, inconformados com a derrota das urnas e porque não aceitam a decisão da maioria, estimulam o desprezo e a violência enquanto falam o que lhes dá na telha: muita asneira inconsequente. Que a paz seja a mola mestra que nos norteia: uma boa semana para todos. 
Postar um comentário

Em livro, jornalista mostra como descobriu mais de 80 casos de doença rara na família

By Odilon Rios (Site Repórter Nordeste São grandes os desafios das pessoas que convivem com os efeitos da doença de Machado-Joseph, que é...