sexta-feira, 20 de maio de 2016

O sono já se foi...

Por Olívia de Cássia

Querido Diário, às três horas da matina o sono já se foi tem mais de horas. Fui dormir cedo; tem sido um hábito corriqueiro e fazia tempo que não escrevia durante a madrugada. Ouço o barulho do caminhão vindo recolher o lixo da rua e ao longe as conversas dos garis: trabalhadores batalhadores que merecem todo o nosso respeito.

Meus gatos e cães dormem tranquilos o sono dos anjos. Hoje recebi a visita de amigas de União e fomos ver uma comédia, para aliviar um pouco as tensões e nos desviar das notícias indigeríveis da política brasileira.

Mas não consigo me desligar do noticiário e informações que me chegam de tanta asneira, trapalhadas, rabujice e indecência do chamado governo interino que prefiro chamar de golpistas, como todos os jornais do mundo noticiaram.

Só quem não percebeu foi Rosa Weber que intimou a presidente Dilma a explicar o motivo pelo qual chamou de golpe o atual governo. Sabe de nada a inocente. Vivemos dias intranquilos onde a população já não acredita na Justiça e nos poderes constituídos.

O silêncio da noite às vezes no faz refletir sobre situações passadas e presentes: tanto pessoais quanto conjunturais. Hoje encontrei num supermercado  uma moça da minha cidade natal que quase não reconheci, pois tivemos pouca aproximação, e nos pusemos a conversar sobre traições e infidelidade do ser humano e como é difícil de se conviver com isso.

A traição em todas as suas formas e situações é a pior covardia de um ser humano. Tanto nos relacionamentos pessoais, de amizade e ou corporativos. Dizem que o tempo e a vida se encarrega da lei do retorno, mas eu não sei mensurar se quando chega essa resposta o autor da traição estaria lembrado do que fez ou arrependido de tão sórdida atitude.

E fico me perguntando muitas vezes, onde está a justiça que as pessoas tanto dizem que existe. Mas esse não é um assunto da minha seara e deixo a quem de direito possa fazer um estudo aprofundado a respeito dessa querela.

Mas me indago como pode haver pessoas tão cínicas, sem escrúpulos que acham que nunca vão ser descobertas em suas 'espertezas e atitudes abjetas. Vejo injustiças sendo cometidas a todo o instante ao meu redor.

O país está passando por uma das suas maiores crises políticas, sendo corroborada por uma imprensa corrupta, que sempre esteve do lado do poder econômico e dos poderosos e lamento tudo isso.

Vi no noticiário alternativo os argumentos do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e dá nojo de ver a cara cínica da figura e de pensar que muita gente foi para a rua, para defender pessoa tão sem escrúpulo.

Segundo ele avalia, colocar dinheiro num “trust” é a solução para qualquer lavagem de dinheiro do mundo e no Brasil isso tem se tornado rotina. De acordo com o site Tijolaço, o que Cunha diz quando 'doa ao “trust”, o dinheiro não é dele mais.

Numa entrevista que concedeu, disse que o dinheiro era mulher 171 que tem,  ex-jornalista da Globo e ele apenas um usuário da conta. Chama a todos (instituições e pessoas) de idiotas. É muito cinismo.

Por outro lado, o tal governo provisório, permeado de corruptos que diziam lutar contra a corrução, vem cometendo trapalhadas e retrocessos desde o primeiro dia. Sem contar a nomeação de sete ministros envolvidos na Operação Lava Jato, que o juiz Sérgio Moro ignora.

Só valia o seu interesse para comprometer o PT, Lula e Dilma. É muito ódio a um partido que fez tanta benfeitoria para os menos favorecidos, atitude que revolta elite endinheirada e alguns setores da classe média remediada, que está se achando rica.

A sacanagem mais recente foi sitiar a presidente Dilma no Palácio da Alvorada. A mídia golpista não denuncia, mas as redes sociais e sites alternativos, ainda bem que existem e têm mostrado para o mundo o que o Brasil está vivendo.

A 'República das Bananas' comandada por patetas corruptos, insanos e desconexos. A informação foi passada pelo senador Jorge Viana (PT), em discurso na tribuna do Senado.

O parlamentar afirmou que, para ver a presidenta, qualquer pessoa precisa passar por uma barreira e um militar fortemente armado: "A presidente eleita está sitiada?", perguntou.

Segundo o site Rede Brasil Atual, o petista apelou aos ministros da área militar para que interceda na questão. O senador do PT disse que havia acabado de visitar Dilma.

“Eu estava com o presidente do Congresso Nacional e tivemos que nos identificar, esperar um bom tempo para que telefonemas fossem dados para ver se nós podíamos passar para fazer uma simples visita à presidente Dilma. Isso significa que a presidente eleita está sitiada? Que país é esse? Que governo provisório é esse?”, indagou.

Cada dia fica mais claro que a Operação lava Jato não foi criada para investigar a corrupção no país e sim o Partido dos Trabalhadores e suas lideranças e incriminá-los de qualquer jeito.

Em várias delações premiadas, o senador Aécio Neves (PSDB) foi citado e nem assim o juiz abriu inquérito para investigá-lo, pois o nobre magistrado, como já foi noticiado largamente tem ligações muito próximas aos tucanos.

Só para clarear um pouco meus leitores do blog, em janeiro do ano passado, o policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho, o Careca, foi acusado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal de ser transportador de dinheiro de propinas do doleiro Alberto Yousseff.

Segundo o noticiário da época, Careca disse em depoimento à PF do Paraná que, em 2010, entregou R$ 1 milhão ao então candidato a governador de Minas Gerais Antônio Anastasia (PSDB) para repassar a soma a Aécio Neves.

Em agosto de 2015, o doleiro Alberto Youssef afirmou, durante depoimento à CPI da Petrobras, que Aécio Neves recebeu dinheiro de corrupção envolvendo Furnas, subsidiária da Eletrobras. “Eu confirmo (que Aécio recebeu dinheiro de corrupção), disse o doleiro.

As denúncias, no entanto, foram engavetadas. A assessoria de imprensa de Aécio afirmou que Youssef apenas disse que ouviu dizer que o senador recebeu propina, não que ele recebeu dinheiro de corrupção.

Também à época e em nota, o PSDB disse que as declarações dadas por Youssef à CPI não foram “informações prestadas, mas sim ilações inverídicas feitas por terceiros já falecidos”, a respeito do então líder do PSDB na Câmara dos Deputados, podendo, inclusive, estar atendendo a algum tipo de interesse político de quem o fez à época”.

E conmo sempre acontece quando a corrupção se refere aos tucanos, nada foi investigado e tudo continua como antes: investigações só servem para as supoistas irregularidades cometidas pelos desafetos da mídia, da Justiça e do podre Congreso Nacional.

 Só para a gente refletir um pouco nessa madrugada, quase amanhecendo já. Uma ótima sexta-feira para todos.
Postar um comentário