domingo, 6 de dezembro de 2015

Comemorações de 200 anos de Maceió leva grande público e encanta

Foto: Olívia de Cássia

Olívia de Cássia - Repórter

A festa de encerramento das comemorações dos 200 anos de Maceió levou um grande público ao Estacionamento de Jaraguá, na noite deste sábado, 5, dia do aniversário da cidade. A Prefeitura de Maceió caprichou na estrutura do evento.  

Durante todo o dia de atividades, teve circuito de corrida, seguido de missa solene, exposição de velas na orla, apresentação da Esquadrilha da Fumaça, desfile cívico, projeções em 3D na Associação Comercial e finalizado com o espetáculo Maceió Meu Xodó, onde a diversidade cultural do Estado de Alagoas foi cantada em verso e prosa.

O prefeito Rui Palmeira falou à reportagem e disse que é uma alegria grande (ter promovido o evento); uma festa linda como essa, com Esquadrilha da Fumaça, com desfile  cívico e agora, com chave de ouro, com apresentação de artistas alagoanos fazendo um belíssimo show”, pontuou.

Para o presidente da Fundação Cultural de Maceió (Fmac), Vinicius Palmeira, o evento é uma festa “que tem uma intenção de levantar a autoestima dessa terra nossa, que faz 200 anos e que a gente entende que são esses valores que fazem com que a gente avance e  que retome o amor à terra e à própria valorização da cultura”, disse Vinicius Palmeira.

O presidente da Fmac observou que é um grande momento histórico-cultural e que traz os ícones da cidade; o investimento foi com pessoas nossas mesmo; nossos grupos, nossos cantores e cantoras; atrizes e atores; bailarinas, nessa grande festa para mostrar à própria terra o que de grandioso ela tem”, pontuou.

Vinicius Palmeira disse ainda que “somos a geração que está vendo a festa dos 200 anos; talvez uma próxima comemoração seja daqui a 50 anos e com certeza muitos de nós não estará aqui e acho que o capricho e o esmero a essa data é lembrando disso: do respeito que toda essa geração tem que ter para deixar isso como um legado para as próximas gerações”, destacou.

Segundo ele, o resultado foi compensatório: “A gente se sente compensado pelo resultado, pois o maceioense tem abraçado esses valores, a exemplo disso as esculturas que acabamos de colocar na orla (do escritor Graciliano Ramos  e do lexicógrafo Aurélio Buarque), que está tendo uma interatividade enorme”, explicou.

Vinicius observou ainda que a cidade se apropriou daquilo que ela percebe que é dela “ e é nesse clima que nós comemoramos os 200 anos de Maceió. Estamos muito felizes em estar aqui, com a cidade e dizer a ela que 200 anos (a festa) está só começando, que temos uma vida pela frente)”, complementou.

IDEIAS

O secretário de Comunição, Clayton Santos disse que quando pensou na festa, tinha muitas ideias e uma delas era trazer alguém de fora para fazer o show e cogitou-se vários nomes. “Mas acho que foi a decisão mais acertada fazer os shows com os artistas locais, alagoanos, valorizando os artistas locais; essa valorização tem sido uma constante na gestão do prefeito Rui Palmeira, haja  vista o São João; o terceiro feito pela gestão, entre outros eventos, como o Maceió  Verão”, destacou.

Deputado Paulão, autor da emenda que permitiu a festa, disse que a parceria com a Fmac já vem de algum tempo

O deputado Paulo Fernando dos Santos (Paulão-PT), autor da emenda que proporcionou a festa dos 200 anos de Maceió, observou que a parceria com a Fmac já vem de algum tempo, desde a realização do São João de 2014.

“A gente já tem uma parceria com a Cultura desde que assumi: Vinicius levantou a ideia para mim, relativo ao São João de 2014. Nós apresentamos uma emenda de um milhão, discutimos com ele a metodologia da emenda, com a descentralização de todos os bairros. Cada quadrilha, cada grupo cultural tem um processo de movimentar não só a cultura, mas a economia”, destacou.

Paulão explicou que depois o presidente da Fmac apresentou outra ideia: a proposta dos 200 anos de Maceió e ele apresentou outra emenda com o mesmo valor. “Eu fico triste, porque a cultura não é valorizada e ela tem um papel fundamental; mas ao mesmo tempo tem um lado positivo que me envaidece: fui o único deputado que colocou uma emenda de um milhão; o maior valor da história do Congresso Nacional”, pontuou.

Paulão disse também que a cultura levanta a autoestima da população “e isso é fundamental, principalmente na periferia. Maceió, de acordo com uma pesquisa sociológica, está entre as cidades mais violentas do país e eu não tenho dúvida que, além da educação, é por meio do esporte e da cultura que você pode dialogar com a juventude, que tem um papel fundamental”, destacou.

Segundo ele, é importante ter uma visão republicana; “uma atividade dessa, chama as famílias, cria uma agenda na cultura, no turismo e na economia, estou feliz por ter contribuído com isso”, pontuou.
Postar um comentário

Ainda tenho esperança

Por Olívia de Cássia Cerqueira O dia amanheceu com mais uma promessa de vida. É sexta-feira, dia de alegria, como todos devem ser: de agr...