quinta-feira, 23 de outubro de 2014

VOTO DILMA

Mirabel Alves Rocha - advogado

O fenômeno das redes sociais é, certamente, o grande diferencial da atual campanha eleitoral, muitos se valem da ausência física para, literalmente, “detonar” os noveis desafetos eleitorais adquiridos no calor da campanha e, passado o dia da eleição, certamente restará os resquícios e despojos dessa batalha autofágica, já que somos integrantes do mesmo povo, o que não elimina o direito de termos opção política.

O problema é a brutalidade com que as pessoas estão se tratando, quando deveriam parar para fazer uma reflexão, incluindo uma olhada para trás e ver os tempos em que havia um sentimento generalizado no povo brasileiro que se traduzia em contar os dias para que o mandato de FHC chegasse ao fim.

O governo de FHC, o mesmo que quer se repetir com a face de Aécio, deu as costas para o povo, aprofundando o fosso da desigualdade social, levando a desespero famílias que amargavam os mais baixos índices de qualidade de vida, especialmente no Nordeste brasileiro que sempre foi uma região esquecida pela elite política do Brasil.

O eleitor brasileiro, especialmente o nordestino, tem que lembrar do passado para não dar um passo errado no presente e amargar um futuro com o direito apenas de reclamar, como no passado recente.
Exercitar a memória faz bem, quem não lembra dos juros altíssimos impostos à população pelo PSDB, quem não lembra da dificuldade que o povo enfrentava para ver seus filhos entrarem em uma faculdade e se tornarem qualificados para o mercado de trabalho.

Talvez os integrantes da elite que aderiram ao Fora Dilma não compreendam o que é estar abaixo da linha da pobreza, ou seja, na miséria, e passar a ter linhas de financiamento para adquirir casa própria (o sonho de todo trabalhador), passar a ter alimento na mesa, ter amparo social, através dos tantos programas sociais oferecidos pelo governo federal.

Talvez os ricos não entendam o quanto é importante ser inserido socialmente, porque os ricos já se sentem constantemente inseridos, talvez não haja a compreensão do que significa a inclusão de pessoas que não podem pagar um curso profissionalizante, através de programas como o PRONATEC e outros, os ricos podem garantir a inclusão de seus filhos pagando as melhores faculdades, os pobres não, esses têm sim direito a ver seus filhos se profissionalizarem por serem filhos da mesma pátria com financiamento público, nada mais justo.

Os governos do PSDB nunca investiram em novas universidades, o atual governo sim, o que significa que daremos um salto de qualidade em nossa vida nunca imaginado, porque teremos mais e mais pessoas com consciência crítica e com formação acadêmica. Nisso o governo Lula e Dilma ensinaram e ensinam as elites como deve ser tratada a educação.

Por fim, até entende-se quando um rico declara seu voto ao Aécio, o que eles deveriam fazer era assumir essa posição e dizer que não votam em Dilma porque são contra a inclusão social promovida pelo PT, deviam assumir que sentem mal em ver a inclusão social que vem ocorrendo nos últimos 12 anos no Brasil, com programas sociais, mais empregos e renda para todos.

Ao contrário, estão trazendo à lume temas como corrupção (essa existe e necessita ser combatida em todos os governos), sendo essa a única acusação que não pode ser feita à Dilma que, inclusive, diferentemente do governo do PSDB, tem implantado mecanismos de combate à corrupção que são eficazes, a exemplo da CGU (CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO). Ou seja, corrupção não é desculpa para não confiar em Dilma e no PT.

O PSDB quer oferecer ao povo brasileiro uma oportunidade de parar o progresso real que estamos experimentando com a duplicação das estradas que tanto matavam no Brasil e nunca houve qualquer iniciativa para se duplica-las, deixando o povo a mercê dos riscos de acidentes constantes nas estradas.


É plausível que os ricos votem em Aécio e eles são em menor número no Brasil, daí o esforço de enganar o povo com promessas vazias que não merecem crédito, haja vista que o passado do PSDB não o credencia para o governar o Brasil, pois em suas oportunidades fizeram aquilo que acreditam ser o certo que é governar apenas para as elites. O povo é soberano e deve manter o governo que tem demonstrado sensibilidade com as necessidades da população. Voto Dilma e você? 
Postar um comentário

Em livro, jornalista mostra como descobriu mais de 80 casos de doença rara na família

By Odilon Rios (Site Repórter Nordeste São grandes os desafios das pessoas que convivem com os efeitos da doença de Machado-Joseph, que é...