segunda-feira, 30 de março de 2015

Moto Amiga faz campanha educativa para emplacamento de cinquentinhas

Sandro Lima
Quantidade de motos aumentou 130% em seis anos em Alagoas, diz Carlos Silveira
Quantidade de motos aumentou 130% em seis anos em Alagoas, diz Carlos Silveira

Olívia de Cássia - Tribuna Independente

Uma campanha educativa no trânsito encampada pelo Projeto Moto Amiga junto ao DetranAL  propõe o emplacamento, fiscalização e regularização das motos cinquentinhas, com o objetivo de diminuir os acidentes de trânsito no Estado de Alagoas. O coordenador do Projeto, José Carlos Carvalho Silveira, disse que toda vez que vê o resultado das estatísticas de acidentes com moto no Estado fica preocupado. 
“Toda vez que é divulgada uma estatística de acidente, a gente vai ver onde pode melhorar; na verdade tem havido um movimento muito grande de circulação de motos no Estado:  se você pegar os números de 2008 a 2014, a quantidade de carros no Brasil aumentou em 50%; a de motos em torno de 75%; mas em Alagoas esse percentual foi de 130% e isso é preocupante”, avalia.
Com mais motos circulando, segundo José Carlos Carvalho da Silva, há maior probabilidade de acidentes nas estradas, principalmente nas avenidas principais de Maceió que estão esburacadas. “Estamos propondo ao DetranAL que determine  a obrigatoriedade da fiscalização e regularização das cinquentinhas (carteira de habilitação), porque se constatou que a quantidade de acidentes com esse veículo é muito maior do que a proporção deles”, pontua.
Além disso, segundo ele, outras preocupações são destacadas como:  as vias principais  estão cheias de buraco, com o trânsito é intenso , há muito atropelamento. José Carlos observa que na campanha que está sendo feita, junto com o Detran, Secretaria de Saúde, Comitês de prevenção a acidentes de trânsito, “estamos trabalhando no alerta com os buracos,  mais cuidados com as vias e as cinquentinhas”.
A cidade de Caruaru, recentemente regulamentou e criou normas para esses veículos e segundo José Carlos, eles sentiram que estava havendo uma grande quantidade de acidentes. “Já fomos recebido pelo novo diretor do Detran e ele se mostrou receptivo; a ideia é que se crie um centro de pilotagem para a gente treinar os condutores”, observa.
Ainda segundo o coordenador do Moto Amiga, proporcionalmente, tem muito mais acidentes com motos cinquentinhas do que com as motos normais, porque os condutores andam sem capacetes; sem equipamento de segurança; não obedecem as leis de trânsito e, da mesma forma que a moto não tem placa, “eles se julgam no direito de fazer o que querem no trânsito: avançam o sinal, andam com três, quatro pessoas em cima e isso tem elevado o número de acidentes”, ressalta.
Postar um comentário

Alguns instantes. Vivendo por aí...