quinta-feira, 2 de junho de 2016

A gente tem que decidir ...


Por Olívia de Cássia

Então chega aquele momento que a gente tem que decidir. O poeta já dizia que uma hora ou outra a gente tem que decidir se fica, se segue em frente ou se dá alguma chance ao que ficou lá trás.  É difícil, mas  o melhor a fazer é tomar a decisão e seguir em frente.

A gente precisa ter um pouco de dignidade e perceber quando não há mais motivos para ter esperança e supervalorizar o outro que nunca soube te dar o devido valor.  "Na dúvida, largue a incerteza no meio do caminho e siga por onde os sinais forem mais fortes".

Mas não pense, meu Diário, que eu tenha agido e pensado sempre assim: foi preciso o peso da idade e dos anos vividos;  que a vida batesse muito no meu lombo; me levasse quase ao fundo do poço, para que, aos poucos, eu tenha ressurgido das cinzas, feito a fênix, aquele passo da mitologia grega.

Apesar das limitações físicas de hoje, sem sombras de dúvida, eu posso dizer que sou uma mulher livre de amarras e impedimentos internos que me  consumiam a alma. Livre de qualquer sentimento opressor e que me levava a ter tão baixa autoestima.

E como é ruim esse sentimento de inferioridade que eu carregava comigo. Por causa disso cometi desatinos; as pessoas não me entendiam ou não procuravam entender que eu era uma menina e jovem tímida, em busca de seu eu, querendo acertar na vida.

Me humilhei até ao ponto que um ser humano jamais deve chegar: de pedir perdão sem nada ter feito, quando eu mesma era a vítima daquilo tudo: vítima da minha ingenuidade e insensatez. A gente tem que tomar as rédeas do destino e decidir.

Num dia qualquer a gente amanhece disposta e aí  age como deveria ter sido  em toda a vida e mesmo que venha a se arrepender depois, não importa: o importante é decidir.  Não ter medo de ter medo e se libertar de todas as amarras que nos impedem de ser feliz. Independente de qualquer coisa, sem fingimento, sem querer ser o que não é.

A vida vai nos levando por caminhos distintos. Fernando Pessoa, em 'O Livro do Desassossego', disse que "a decadência é a perda total da inconsciência; porque a inconsciência é o fundamento da vida".

E reflito que quase sucumbi a essa decadência que fala Pessoa  mas, felizmente, por mérito meu ou do destino, ou seja lá de que entidade espiritual tenha sido, sobrevivi àquela tempestade, Diário. Boa noite.

Postar um comentário

Ainda tenho esperança

Por Olívia de Cássia Cerqueira O dia amanheceu com mais uma promessa de vida. É sexta-feira, dia de alegria, como todos devem ser: de agr...