domingo, 16 de agosto de 2015

Dilma fica!


Olívia de Cássia - jornalista
Desligo a televisão depois do programa rural que gosto muito, para não assistir tanta inutilidade nas transmissões. O silêncio é total, quebrado agora pelo barulho de um helicóptero que sobrevoa a região do Centro de Maceió, no momento em que começo o texto.
Daqui não se escuta os gritos dos inconformados pela derrota na campanha presidencial de 2014, que vão às ruas hoje, novamente, para defender  golpe militar e a derrubada de uma presidente que foi eleita legitimamente pela maioria.
 Não sou contra manifestações, sejam elas pacíficas, até porque já fiz parte de muitas delas, quando ia pras ruas lutar pelo fim do regime militar; por liberdade e contra qualquer impedimento do direito de ir e vir. Minha preocupação, hoje, é com minha bebê Malu que não está bem e amanheceu triste.
Muita gente que está protestando hoje e nos outros dias, nos mesmo protestos, com mulheres correndo nuas, querendo aparecer na mídia, para depois serem convidadas à capas de revistas masculinas, não conhece um terço da história do mundo e do nosso país; vai lá pelo oba oba e pela onda da moda.
Não sabem ou não querem saber o que significa um regime ditatorial. Já nasceram em total liberdade, proporcionada pela perda da vida de muitos que lutaram por ela, sendo torturados, mortos e seus corpos jogados em lugares clandestinos.
E é em nome de todas essas pessoas e de todos os ideais que sempre defendemos, que vou continuar a lutar pela e a defender a democracia e a continuidade do governo da presidente Dilma Rousseff.
Respeito quem pensa ao contrário das minhas ideias, mas também quero respeito. Fui criada num lar religioso, e meu pai sempre defendeu a justiça, a paz e o bem. Minha mãe, apesar de ser uma pessoa muito rígida, também era uma cidadã.
Pela memória daqueles que já se foram, pelos nossos ideais de luta, defendo uma reflexão mais amadurecida e com argumentos de quem faz oposição ao país. Existe um quadro grave de muito preconceito de gênero no Brasil.
Eu só queria saber se fosse um homem a governar o país se tanto ódio estava sendo destilado em todo canto. Pela luta de todas as mulheres, defendo a presidente Dilma, mesmo com todos os problemas passageiros que estamos enfrentando, que não são apenas problemas do Brasil.  A crise é mundial.
Sou contra qualquer tipo de manifestação que venha a ferir o estado democrático de direito e a paz. Contra os preconceitos religiosos, de cor, de opção de vida. Viva a democracia, viva o Brasil. DILMA FICA!!
Postar um comentário

Alguns instantes. Vivendo por aí...