quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Que vença o melhor

Por Olívia de Cássia

Às vésperas do dia da eleição municipal os boatos correm soltos nas redes sociais, 'como um rastilho de pólvora', como dizia aquela personagem Altiva, da novela Indomada. Tem candidato ficha suja com medo de ser impedido; enrolado na Justiça, mas desmentindo o que foi dito.

Teve candidato que se perdeu pelas besteiras que andou dizendo por aí; e não foram poucas e em quase todos os municípios aconteceu isso: todo ano é a mesma novela enfadonha. Cada um querendo ser melhor que o outro e querendo mostrar serviços que deixaram para fazer de última hora. E 'os podres' de cada um aparecem no horário político.

Mas estranhamente, em município como São Paulo, o melhor prefeito dos últimos tempos aparece nas pesquisas lá embaixo. Fernando Haddad é o homem público que toda pessoa do bem quer ter como gestor. Mas os paulistanos nos criticam dizendo que não sabemos votar e estão apostando em candidatos da direita golpista, por ódio e preconceito.

Se bem que eu não acredito muito em pesquisa, pois elas são encomendadas em cada reduto eleitoral do candidato interessado nos números altos. Tenho acompanhado pelas redes sociais essa peleja. Todo ano o mesmo ritual se repete.

Confesso que já fui muito mais entusiasmada com campanhas e eleições; em dia de votação, papai, que era fanático por eleição, nos mandava andar na rua para assuntar o que estava acontecendo em União e depois passar o relatório para ele, quando já estava inválido, por 14 anos.

E assim fomos seguindo as paixões de seu João Jonas por política. Mas este ano, por motivo de saúde, me limitei mesmo às redes sociais. Minha empolgação se dá mais, no momento, com a conjuntura nacional, cujo desdobramento me dá arrepio a cada notícia que leio.

E quantos cometários sem noção a gente observa por aqui, nas redes sociais. Comentários inescrupulosos de pessoas que sequer abriram um livro de história na vida e emprenham pelos ouvidos, ou manipulados pela grande mídia, principalmente a Rede Globo.

O governo ilegítimo a cada dia comete mais burrice e irregularidade, levando o país ao fundo do poço e à volta para pedir penico ao Fundo Monetário Internacional (FMI), coisa que Lula conseguiu sanar.

E o que acusavam a presidente Dilma e a tiraram do governo por essa alegação, as famosas pedaladas fiscais, já não é mais crime para esses farsantes. E muita gente 'inocente' acreditou no veredito apresentado por poderes comprometidos e parciais.

Com inverdades e hipocrisias proferidas que a cada dia são desmentidas por intelectuais e juristas e de renome, os golpistas fingem que não viram, ou deturpam o que disseram. Só veem quando a irregularidade é cometida por um partido só: o PT.

É verdade que muitos erros foram cometidos pelas esquerdas brasileiras, mas entre escolher uma esquerda que deu seus tropeços e uma direita fascista, sigo sempre à esquerda, como sempre segui.

Tenho feito críticas e observado o comportamento de lideranças; muitas que já perderam a credibilidade: pelo discurso raso e sem veracidade. Mas a direita quer acabar com o Partido dos Trabalhadores e invalidar a possível campanha de Lula às eleições de 2018.

Isso é o que está posto. O jogo é muito sujo, raso, asqueroso e só não entende quem não quer, ou finge que não ver. Boa noite e boa votação para todos.
Postar um comentário

E agora, o que fazer?

Por Olívia de Cássia E agora, o que fazer? Essa pergunta me veio à baila, antes e depois da aposentadoria por invalidez e em alguns dias q...