terça-feira, 31 de julho de 2018

Autobiografia e superação: nesta sexta, lançamento de Mosaicos do Tempo

Blog da Graça Carvalho - site Eassim

Por: Graça Carvalho

Jornalista alagoana resgata memórias e revela descoberta de cerca de 80 casos da Doença de Machado-Joseph na árvore genealógica de sua família


Finalmente, o livro de memórias Mosaicos do Tempo, da jornalista Olívia de Cássia Correia de Cerqueira, alagoana de União dos Palmares, saiu do prelo e vai ser lançado sexta-feira (3), no Museu da Imagem e do Som (Misa/Alagoas), em Jaraguá.

A obra poderia ter sido publicada há 14 anos, mas uma sucessão de fatos, incluindo a suspeita e a confirmação de também estar com sintomas de uma estranha doença que vitimava muitas pessoas de sua família – Doença de Machado-Joseph -, levaram Olívia a adiar esse projeto.

Hoje, aos 58 anos, aposentada em decorrência dessa doença degenerativa, que afeta músculos, membros superiores e inferiores, a coordenação, a escrita e, entre outros sintomas, a fala, por meio de um financiamento coletivo e incentivo dos amigos, Olívia está pronta para compartilhar sua historia.

“A ataxia é ainda um mistério e começou a ser estudada na década de 1970. Na nossa família, antigamente, todos só a conheciam como “a doença da família” ou a “maldição da família Siqueira/Cerqueira, Paes, Correia, Vieira” e há bem pouco tempo é que descobrimos o nome científico. É uma doença rara e segundo os cientistas teve início na Ilha dos Açores, em Portugal, onde os casamentos consanguíneos foram acontecendo de forma desordenada”, conta Olívia.

O pai de Olívia, João Correia de Cerqueira, e Petrônio Correia de Cerqueira, um dos irmãos da autora, já falecidos, foram vítimas da mesma doença, que vitimou cerca de 80 pessoas da família, ao longo de séculos. Por isso, antes mesmo de realizar um teste genético, ela já suspeitava ter sido sido “contemplada com a herança maldita da família”. Até porque, conviveu de perto com o pai, e percebia, em si mesma, sintomas e limitações. O mais recente diagnosticado com a doença na família Correia de Cerqueira foi Márcio José, de 40 anos, sobrinho da jornalista.

“Escrever Mosaicos do Tempo, em 2004, ainda me recuperando de uma depressão foi libertador de todos os meus medos e traumas, de todos os meus demônios internos. De lá para cá, sem conseguir publicar por falta de recursos, fiz várias intervenções nos meus escritos, mas avalio que não comprometeu o meu relato”, destaca a autora.

Mosaicos do Tempo é, pois, uma autobiografia que merece lida e transformada em documentário. E para quem pensa que se trata de uma obra pesada, por conta de toda a dificuldade da autora, não se trata disso. Ao contrário, a narrativa é permeada de toques de humor, bem a cara de Olívia, que assume seu amor pela vida e diz que, hoje, encara a doença com suavidade, procurando ter um cotidiano descomplicado.

Só reforçando, o lançamento de Mosaicos do Tempo acontece nesta sexta-feira (3), às 19h30, no Museu da Imagem e do Som (Misa/Alagoas), no bairro de Jaraguá, em Maceió. Dia 22 de agosto, a obra também será lançada em União dos Palmares, cidade natal da jornalista Olívia de Cássia Cerqueira. O livro custa R$ 40,00 (com pagamento em dinheiro ou em cartão de crédito ou débito (Visa ou Mastercard).
Postar um comentário

Nunca deixe de sonhar...

Por Olívia de Cássia As explicações desse texto vêm a público devido a uma necessidade que surgiu depois publicação de Mosaicos do Tempo...