quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

É o fim de tudo?

Por Olívia de Cássia

A vida tem sido generosa comigo, em comparação a outras pessoas que têm situações complicadas na vida, com problemas diversos e de difícil solução. Apesar do diagnóstico no começo do ano da Doença de Machado Joseph, venho perseverando para que meus dias sejam leves e de esperança.

Tenho procurado não pensar nas limitações que já se apresentam e naquelas que o problema pode me trazer. Preciso continuar acreditando que comigo poderá ser diferente do que aconteceu e acontece a muitos dos meus familiares e antepassados.

Apesar de tudo, procuro ser otimista, pois não custa nada. Mas no que diz respeito à atual conjuntura política do País, está difícil ser otimista diante de tanta injustiça, retrocesso, golpes; e da atual conjuntura imoral.

Este ano de 2016 - ainda bem está terminando-, trouxe muitas tragédias, mortes de pessoas queridas, outras pessoas importantes para a história, que lutam por um mundo melhor e mais justo, e isso tem me entristecido e desejado que o ano termine logo.

Diante de tudo, não vejo perspectivas alvissareiras no que diz respeito a nossa política e a nossos representantes e governantes. Estou desacreditada, cética e sem ânimo algum.

Eu já postei em uma rede social, que gostaria de ter saúde e força nas pernas para estar na rua protestando da mesma forma que fazia antigamente. Não consigo deixar de me indignar com tanta indecência, imoralidade, roubalheira, desonestidade e falta de caráter, daqueles que o povo escolheu para ser seus representantes.

Nos meus anos calejados de profissão, aprendi que em política não existem santos nem pureza de sentimentos: existem projetos e muita ânsia de realizá-los, muitas das vezes a qualquer preço.

Alguns seguem o caminho da retidão, São poucos, mas ainda existe. No entanto, a maioria envergonha quem tem ética e vergonha na cara. A direita brasileira, capitaneada pela grande mídia e seus coronéis, tiraram uma presidente eleita democraticamente pela maioria da população, para deixar no lugar um vice sem caráter, golpista e desonesto.

Dilma não aceitou o jogo deles e por isso foi posta pra fora da Presidência. Garanto que muitos enganados que foram às ruas com a camisa da CBF gritando contra a corrupção e pedindo a saída dela, hoje estão arrependidos e envergonhados.

O jogo na política é muito sujo e quem não tem envergadura se quebra. A mídia brasileira e a direita, há décadas tentam incriminar o ex-presidente Lula, desde o começo da sua liderança no ABC paulista.

São esses mesmos que agora estão no poder e que continuam tentando incriminar o ex-operário e a maior liderança que esse país já teve, doa a quem doer. Tentam envolvê-lo em tramoias sem comprovação e deixam parecer à população que ele é o líder da maior quadrilha de desordeiros.

Não sou ingênua, sei que foram feitos acordos para que Lula chegasse à Presidência do País e governasse por duas vezes, fazendo sua candidata se eleger e reeleger. E isso desagradou a corja, que agora está claro mais que nunca, armou para tirar Dilma pelo fato de ser mulher e de não ter aceito o que eles queriam.

Querem inviabilizar a possível candidatura de Luiz Inácio à Presidência em 2018. Estão desesperados, porque em todas as pesquisas ele aparece em primeiro lugar como o preferido da população mais pobre, como resultado das políticas públicas de seu governo, voltadas para a maioria carente.

Queiram ou não aceitar os opositores ao Partido dos Trabalhadores, foi nos governos Lula-Dilma que aconteceram os avanços no campo social, Foram consideráveis os programas de governo que foram implementados e que agora estão sendo extintos por um pacote de maldades aprovado pelo Congresso Nacional conivente, corrupto e sem moral.

Se houve irregularidades de alguns petistas, que paguem perante a Justiça, mas sem unilateralidade. Que todos sejam punidos e não apenas alguns escolhidos. Acabaram com os programas importantes e que beneficiaram mulheres, negros, estudantes e que levaram qualidade de vida para quem não tinha nenhuma, nunca antes implementados pelos governos que antecederam Lula.

O governo impopular, golpista e sem índole e seus seguidores no Congresso Nacional tiraram tudo de positivo que os governos do PT trouxeram para o povo brasileiro. Desta forma, nós que ainda tínhamos esperança e respeito pelas instituições brasileiras as vemos chegar ao limite do cretinismo e da imbecilidade.

Eu não acredito em uma sociedade que não seja liderada e governada pelas vias democráticas. O governo que está aí em seis meses destruiu o pouco que foi dado de positivo para os brasileiros. Será o fim de tudo?

• Olívia de Cássia é jornalista e está licenciada do batente por questões de saúde.


Postar um comentário

E agora, o que fazer?

Por Olívia de Cássia E agora, o que fazer? Essa pergunta me veio à baila, antes e depois da aposentadoria por invalidez e em alguns dias q...