quinta-feira, 10 de março de 2016

Crônica do cotidiano ...

Olívia de Cássia - jornalista

O dia amanheceu com esperança; sigo meu destino em busca de dias melhores. Lá adiante, a paisagem é convidativa. Nas árvores centenárias, os passarinhos voam, indiferentes a tudo. O prédio antigo é a cara do abandono, como muitos da cidade, descuidada pelo poder público.
As notícias que vejo nos jornais são de ontem. Peço a Deus resistência ainda para o trabalho e que ele me venha aos montes, saúde e disposição para enfrentar tudo de cabeça erguida, até que seja chamada para outra missão.
 Já não me sinto com a mesma disposição de antes para a lida diária, mas preciso ter fé. Tudo vai depender da forma como vou encarar a vida daqui pra frente. Vida que segue adiante. 
Não preciso de luxos, careço de conforto, isso é essencial para que eu tenha qualidade de vida.
O dia amanheceu sorrindo, lá fora o sol está radiante, convidativo para um banho de mar. Faz tempo que não vou à praia, faz tempo que não converso com o mar. Éramos cúmplices na minha mocidade; eu era capaz de me postar horas e horas de frente para aquela imensidão, confidenciando maus sentimentos mais profundos.
Derramei muitas lágrimas contemplando o mar. Ele é sabedor dos meus dramas pessoais; de toda a minha história de vida, vida que teima e segue em frente, em busca de dias melhores e mais justos para todos. Continuarei a lutar por uma sociedade mais fraterna e mais humana, embora não possa estar na rua, como em outros tempos, segurando bandeiras de luta.
No âmbito da política, o país vive um clima tenso, capitaneado por aqueles que não se conformam em ter perdido as eleições de 2014 e já estamos quase nos meados de 2016. Os 54 milhões de votos recebidos por Dilma e confirmados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda despertam o inconformismo  da oposição.
Faz-se de tudo para impedir que o governo de centro-esquerda avance nas melhorias sociais para o nosso país. O fato mais grave acontecido foi a prisão do ex-presidente Lula, na semana passada, permeada de muitos mistérios, indignação e considerada um sequestro por alguns juristas.
A perseguição a Lula e Dilma se avoluma. A cada dia;  a militância de esquerda, os movimentos sociais terão muitos desafios pela frente, mas acredito que será tempo de muitos lutas, planejamentos e avaliações e muitos resultados positivos, tenho certeza.
Precisamos nos reciclar e entender de vez que eles (a direita fascista) não iam deixar barato tantas derrotas sofridas nas urnas e farão de tudo para desestabilizar e condenar o Partido dos Trabalhadores, a esquerda s e seus parlamentares.
Eles vão continuar a buscar o caminho do impeachment da presidente Dilma e querer culpabilizar  Lula, de todo jeito, para tirá-lo do páreo para as próximas eleições, já que aparece nas pesquisas como favorito. Precisamos estar atentos. A história mostra isso.   
Vejo pessoas que não sabem nada do que se passa nos bastidores da política brasileira, não leem, não se aprofundam nas questões e se metem a comentarista e analista do cotidiano, com análises mirabolantes nas redes sociais, com discursos agressivos e me ponho a pensar em que livro de história essas pessoas se baseiam para dizer tanta besteira.
Temos a prova da falta de conhecimento dos fatos e do ‘emprenhar’ pelos ouvidos de alguns. Outros o fazem de caso pensado e disseminam seus venenos aos quatro cantos do mundo, porque capturam leitores e ouvintes que não se informam e se baseiam no que é  divulgado  por uma mídia interesseira e chegada a um golpe baixo.
As denúncias que são feitas contra Dilma e o presidente Lula são de pessoas sem credibilidade e envolvidas em irregularidades perigosas, que se aproveitam de remédios jurídicos como as chamadas ‘delações premiadas’, para lhes diminuírem a pena que a Justiça tem arbitrado.
Comenta-se nos meios eletrônicos que o autor da queixa que fundamenta o inquérito no caso do apartamento do Guarujá, contra o presidente Lula, tentou resgatar R$ 295 mil com documento falso em ação coletiva contra a Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários) no Jardim Anália Franco, zona leste de São Paulo.
Qual é a moral que pessoas que aparecem em tanta irregularidade tem para acusar? Fica a reflexão. Fiquem com Deus.
Postar um comentário

Em livro, jornalista mostra como descobriu mais de 80 casos de doença rara na família

By Odilon Rios (Site Repórter Nordeste São grandes os desafios das pessoas que convivem com os efeitos da doença de Machado-Joseph, que é...