sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Procissão do mastro; fé e religiosidade

Por Olívia de Cássia

No domingo, 15, acontece em União dos Palmares a tradicional procissão do mastro da Festa de Santa Maria Madalena, dando início aos festejos religiosos no município. São 182 anos de tradição, atraindo nativos e turistas de várias regiões do País.

Este ano não poderei ir por uma questão de logística, mas estarei com o pensamento voltado para a fé do meu povo e às preces a Santa Maria Madalena a quem daqui já peço a sua interseção na minha saúde e orações aos amigos.

O mastro da festa, a exemplo de anos passados, tem mais de 20 metros e o cortejo percorrerá cerca de três quilômetros, numa demonstração de fé dos católicos da região e será carregado nos ombros dos fiéis até a Praça Basiliano Sarmento, onde será erguido na presença de mais de 15 mil pessoas.

Muitos devotos fazem o percurso a pé, descalças e usando roupas pretas; outras amarram fitas e escrevem pedidos de oração e agradecimentos no mastro, antes de a procissão fazer o percurso por várias ruas da cidade.

Outras pessoas vão a cavalo, carroças, bicicletas e motocicletas. É emocionante ver o espetáculo da fé se manifestando em cada devoto, mesmo que alguns estão ali não pela fé que professam, sabemos disso. O calor também é quase insuportável, mas exaustos os católicos cumprem a missão, todos os anos.

Teve ano que a cerimônia do erguimento do mastro foi tensa, pois ele ameaçou cair. Segundo a lenda que corre na cidade, não é bom sinal quando isso acontece. Em 2011 arrisquei acompanhar a procissão a pé, quase correndo, com a ajuda da saudosa amiga Cleria Lilian (Kelly), mas me senti muito cansada, porque já naquela época os sintomas da Doença de Machado Joseph já eram aparentes.

Fé e religiosidade, um sentimento em cada rosto que vai cumprir com a sua obrigação de religioso, pagando penitências e promessas. Muitas pessoas aproveitaram para registrar a procissão, com celulares, máquinas e filmadoras.

Em 2012, o professor Zezito Araújo, da Universidade Federal de Alagoas, que é historiador, também fez o percurso fazendo filmagem do evento. O que impressiona é que a cada ano aumenta o número de pessoas que acompanham o cortejo.

É um evento importante para a renovação da fé, para quem acredita nos poderes de Santa Maria Madalena. Um ato religioso que se mistura com o profano, mas em nenhum interior do Estado tem uma procissão assim, acreditam os católicos.

A história de Santa Maria Madalena é de entrega a fé que ela tinha em Deus e da sua proximidade com Jesus Cristo. No dia 23 haverá a procissão da bandeira, que será erguida no mastro e nela ficará as nove noites de festa.

No dia 2 de fevereiro, considerado o principal da festa, haverá a procissão das charolas, que saem da Igreja Matriz junto com Santa Maria Madalena e percorre também várias ruas da cidade. O encerramento mesmo das novenas acontece no dia 3, com a retirada da bandeira do mastro. E viva Santa Maria Madalena, nossa padroeira!!

Postar um comentário

De uns tempos para cá...

Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira De uns tempos para cá estou introspectiva, pensando na vida e no tudo que ela me trouxe, ao long...