terça-feira, 11 de outubro de 2016

Desorganização e caos

Por Olívia de Cássia

Talvez eu não tenha mais tempo para ver o que vai acontecer no Brasil daqui a 20 anos, quando estiver pago a cota do pacote de maldades do governo ilegítimo aprovado pela Câmara Federal. Mas o que o país está vivenciando, essa onda de atraso e retrocesso social, só vai ser percebida pelos mais jovens talvez quando nada tiver mais jeito.

Sou uma pessoa cronicamente desorganizada. Minha vida não tem sido fácil, como a de muitos brasileiros, mas bem mais estável em alguns aspectos do que a maioria que vai perder todos os benefícios adquiridos ao longo dos 12 anos dos governos Lula e Dilma.

Dependo do Sistema Único de Saúde-SUS que bom ou ruim é o que me tem valido nas horas de precisão, pois não tenho aporte financeiro para pagar planos exorbitantes de saúde. O desmonte na educação e na saúde está me deixando agoniada.

As políticas públicas que eram o carro-chefe do governo do PT estão sendo todas destruídas pela insanidade e incompetência de quem está no poder. Desorganização e caos é o que se apresentam por aqui, cotidianamente, e só poderemos ter dias melhores se o povo tiver consciência e voltar às ruas para protestar por todo esse desmonte.

No que se refere ao desmonte da minha vida pessoal, não posso atribuir culpas pelo meu mal desempenho na vida ou ao que aparece para eu resolver. Sou um desastre. Não fui treinada para as coisas práticas ou não me interessei para aprender e isso tudo agora me afeta de forma muito grave.

Vazamentos, entupimentos, reposição de peças; esses problemas que aparecem em casa, de ordem doméstica, me deixam em pânico, apavorada e eu fico sem saber o que fazer, mas sei que eles aparecem para me mostrar o quanto frágil eu sou nas tarefas do lar e na vida. Não vim ao mundo para administrar.

Ter problema neurodegenerativo não é fácil; tudo se complica a cada dia, as limitações do corpo vão falando alto, gritando, pedindo socorro, silenciosamente, e vamos dependendo mais dos outros para tudo, coisa que eu nunca esperei.

E vou ler para entender isso. Segundo a teoria do caos, uma pequena mudança ocorrida no início de qualquer situação, pode ter consequências desconhecidas no futuro. Talvez seja essa a explicação e entendo que nem tudo nesse rolo compressor deixa de ser positivo.

Diante desses imprevistos vou aproveitando para crescer, ou a vida oferece substância para isso. Que meus dias de ocaso sejam mais leves, para que eu ainda possa viver um pouco mais com suavidade e aproveitar o que me resta. Ainda tenho esperança, apesar de tudo. Bom dia e fiquem com Deus.
Postar um comentário

Alguns instantes. Vivendo por aí...